OS INTOCÁVEIS

INTOCÁVEISDepois de toda a polêmica – vamos combinar que por falta de afinidade com a semântica de muita gente – resolvi abordar um tema mais leve e sadio para o texto dessa semana: nossos intocáveis!
 
Sim, pois parece que o Flamengo possui uma dupla que faria inveja a Elliot Ness. Estou falando daqueles que só sairão de campo caso o INSS entre e entregue a aposentadoria compulsória: Léo Moura e Renato Abreu.
 
É indiscutível que hoje não dá para contar com jogadores que não estejam com 150% do físico em dia. Que a troca de posições e marcação no campo do adversário são armas mais do que necessárias para se vencer um jogo. Se o Bayern, o Barcelona e outros fazem, a gente não vai fazer?
 
Com ambos vai ser difícil. É inegável a contribuição deles (mais o primeiro que o segundo) para a história recente do Flamengo, mas o clube não está ali para fazer caridade. Está ali para ganhar títulos.
 
Domingo, contra o Santos, Léo Moura fez aquilo que vem fazendo há tempos: vai de uma intermediária a outra sem profundidade e deixando espaços nas costas, que tiveram que ser preenchidos pelo Luis Antônio, aliás, um acerto do Little George. Pior, nem cruzamentos ele consegue acertar mais e protagonizou um festival de erros.
 
14042013---renato-abreu-comemora-um-de-seus-gols-pelo-flamengo-no-classico-contra-o-fluminense-1365979606888_1920x1080

Já o Abreu emperra o time. Ele é um cara para entrar no segundo tempo, segurar a bola se estivermos ganhando, não pode nunca ser o pensador do time, que faz a bola correr. Com Elias e Luis Antônio ganhamos uma dupla veloz, mas o Abreu desafina o tom do meio campo. E ao fim do jogo estava morto. Só nosso técnico não viu.
 
Com um centroavante feito o Marcelo Moreno, é preciso laterais que cheguem à linha de fundo e saibam cruzar e um meio que seja rápido na troca de passes. Não temos isso.
 
PS 1: Aliás, que capacidade incrível nosso comandante tem de mexer mal na equipe. Vínhamos jogando bem, pecando demais nas finalizações contra um Santos medíocre, o maior motivo do Neymar ir embora e escapar dessa furada. Mas Little George bota Paulinho e Carlos Eduardo (alguém avisa que ele já pode estrear?) e os caras simplesmente desarmam o esquema, desorganizando o barraco.
 
PS 2: Além disso, também poderiam pedir para o Gabriel ver uns vídeos do Zico para saber o peso da camisa que ele está vestindo e parar de palhaçadinha na cara do gol. Golaço é para quem sabe. Faz de qualquer jeito que para você tá bom demais.

3 comentários em “OS INTOCÁVEIS”

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.