NA WEB
    Google+

    PERRENGUE FIFA

    Por em junho 3, 2013

    hotel-em-joinvilleE assim começou nossa estadia fracionada nas belas terras catarinenses. Graças a Deus, dessa vez não foi o desgraçado do evento FIFA. Mas o perrengue foi. O simples fato de a FIFA cagar para a partida de Sábado, e não se meter, nos trouxe diversas consequências, todas boas. Primeiro, pagamos menos para entrar (100 reais é caro pra caralho, mas é menos do que 160). Segundo, não sofremos nada para entrar. Em menos de 30 segundos, já invadimos a simpática Arena Joinville, que não custou 1,2 bilhão. Terceiro, pudemos comer. Afinal de contas, em evento FIFA, a batata custa 8 reais e o refri, 7. Por lá, saborosos espetinhos e salgadinhos não passavam de R$ 3,50. Mas o melhor mesmo foi poder assistir a partida ao lado de torcedores do seu time, e até mesmo admirar respeitavelmente a festa dos donos (quase donos) da casa.

    Mas essa parte da viagem, na verdade, foi a única realmente sossegada. O resto foi perrengue FIFA. Chato, desagradável e que poderia não ter existido.

    Captura de Tela 2013-06-03 às 08.48.01Primeiro, foi o drama dos ingressos. Não cabe comentar a fundo aqui, mas o fato de sermos Sócios Torcedores não contribui em nada para conseguirmos COMPRAR (nós nunca pedimos) nosso ingresso. Muito pelo contrário. No meio da epopéia, descobrimos até que tinha gente ganhando dinheiro às custas do clube, que nem na época de domínio das organizadas. Organizadas, aliás, que desapareceram das viagens depois que a molezinha acabou. No final das contas, conseguimos milagrosamente comprar nosso ingresso na bilheteria do estádio e sem fila. Ah, se fosse evento FIFA…

    Final do NBB - Flamengo x UberlandiaMas o perrengue começou muito antes. Com o jogo marcado inicialmente para Curitiba, compramos nossas passagens e tinha gente até tentando desafiar o Deus Chronos e assistir à NBB antes de embarcar. Voltaríamos no mesmo dia. Bonzão. Tava muito mole. Aí, começou a desandar. O jogo foi pra Joinville e não mudou nada a nossa ida. Mas a volta…

    Pra trocar nosso voo, teríamos que coçar o bolso em mais de 700 reais. Aí, não dá. A solução genial foi dada pelo Zé Paulo: “Vamos voltar de busão, tem um que sai de lá às 23:55!”. Só 17 horas de viagem. Mas, já estava resolvido, ninguém nem pensou nisso. Mas era só o começo.

    foto 2-1Chegando a Joinville, nós, como fazemos costumeiramente, nos descaracterizamos por precaução. Só que, esperando o frio que nos congela por lá, ninguém levou camisa neutra. Só os casacos. O problema é que estava um calor dos infernos no portal do paraíso. Qualquer pessoa minimamente inteligente perceberia que estávamos escondendo nossos Mantos ou que éramos retardados mentais.

    Dentro do estádio, saímos de dentro daquele forno. Estádio, por sinal, muito simpático. Tinha até bebedouro, coisa que eu não vi nem naquele tal lá do evento FIFA. Pensei até em roubar a energia elétrica do bebedouro para carregar meu celular, que já tinha devorado toda a bateria. Mas peidei e desisti. Até me arrisquei em uma tomada abandonada, só que a FIFA deve ter passado por lá e ela não funcionou.

    foto 2-2Mas, feliz mesmo eu fiquei com a torcida catarinense. Empurrou a equipe, mesmo com a má atuação do primeiro e nem esboçou vaias. No segundo tempo, após o segundo gol, abraçou o time, que reagiu e buscou o resultado. Como deve ser. Parabéns e que sirva de exemplo.

    Mas o perrengue mesmo viria mais tarde. O ônibus que era para chegar  às 23:55 em Joinville, vindo sei lá de onde, não chegava de jeito nenhum. Pior é que não tinha mais ninguém no guichê da companhia para perguntar. Decidi trocar uma coxinha por informação na lanchonete de lá, e a resposta assustou. “Ah, esse ônibus atrasa mesmo. Ontem, ele chegou já era mais de 03:30 da manhã.” Desespero total. Neguinho consultando site de companhia aérea esperando promoção milagrosa, quando surge, triunfal, o tal do ônibus, com apenas 1 hora de atraso. Alívio que foi se esvaindo ao longo da viagem, que durou mais de 18 horas. Uma sonoterapia, melhor dizendo.

    imagem-10-dicas-para-dormir-no-aeroportoPior é que, na quarta, estaremos lá de novo, jogando “em casa”. Sem perrengues FIFA, esperamos. Mas enganando nossos chefes e dormindo no chão do aeroporto, como quase todo jogo de meio de semana.

    Agora, é hora de dormir, já são 23:00 de domingo. Seria mais fácil se eu não tivesse dormido mais de 15 horas no ônibus…

    Leave a Reply

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.