O CONCEITO DE ÍDOLO

renato_outSegunda-feira, 17 de junho de 2013. Apresentação oficial de Mano Menezes na Gávea. A apresentação do treinador parecia ser o único assunto relevante de mais uma semana sem o Mais Querido em campo. Parecia. Logo após a apresentação, ainda na segunda-feira, o site oficial do Mengão anunciou a rescisão unilateral do contrato do jogador Renato Abreu. O anúncio foi curto e objetivo, agradecia os serviços prestados pelo jogador e desejava sucesso no seu próximo clube.

Na mesma hora, nas minhas contas das redes sociais pipocaram posts dos mais variados. A grande maioria comemorava a saída do jogador. Uma outra parte lamentava a perda de um grande ídolo. Ops… Ídolo?

Podemos falar muita coisa do Renato Abreu. Os seus defensores ainda acreditam na qualidade de seu futebol, na sua garra (meio esquecida nos últimos tempos) ou até que ainda tem a condição física para agüentar o futebol moderno. Não podemos negar que é um jogador que se identificou com o Flamengo, que participou ativamente da campanha vitoriosa na Copa do Brasil de 2006, que marcou um grande número de gols de falta, que usou uma máscara de urubu, ganhando o apelido de Urubu-Rei. Mas nunca poderemos promovê-lo a ídolo. Seria uma heresia.

ÍDOLOSÍdolo é pra sempre, é eterno, é mágico. Ídolo é inquestionável. Ídolo é Júnior, Leandro, Adílio e Andrade. Se formos buscar um ídolo em tempos mais antigos do que a geração de 80, ídolo é Dida. Se olharmos mais pra frente, num passado menos distante, ídolo é Pet. Todos olhados de cima pelo nosso Rei, nosso ídolo maior, Zico.

Não podemos considerar ídolo um jogador que não sabe receber vaias da torcida, que não tem humildade para reconhecer erros, que tira a camisa quando marca um gol, como se debochasse da instituição, que tenta colocar a mão na bola quando já sabe ter o cartão amarelo. Isso para ficar só dentro dos gramados.

Dessa forma, deixo um recado respeitoso aos rubro negros que hoje lamentam a saída do Renato: O Flamengo é muito maior que qualquer jogador. Atente-se a esse fato e ajude o gigante rubro-negro a se levantar. Ao rubro negro é permitida a tranqüilidade e confiança de quem sabe ser superior. Está na hora de usá-las.

Um comentário em “O CONCEITO DE ÍDOLO”

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.