Google+

ÚLTIMA CHANCE PARA O MARACANÃ

Por em agosto 6, 2013

por Marcio Braga

Texto publicado no jornal O GLOBO

4959492Pé de laranja não dá limão. Como um rio que corre para o mar, o Maracanã pode reafirmar sua vocação para ser a casa do futebol do Rio de Janeiro.

A privatização que impediu a participação dos clubes de futebol na administração do estádio e desconsiderou toda tradição e relevância esportiva do Parque Aquático Julio de Lamare e do Estádio de Atletismo Célio de Barros realmente precisa ser revista imediatamente.

Assim como não se pode demolir a história da natação e do atletismo brasileiro, o futebol é a razão de ser do Maracanã, e os clubes não podem ficar reféns de interesses empresariais que não levam em consideração aspectos humanos e sociais do esporte.

A união dos clubes pode resultar num modelo de gestão compartilhada que preserve a essência esportiva de todo complexo do Maracanã e não sacrifique empreendimentos singulares e complementares como Engenhão, São Januário, Laranjeiras e Gávea.

Inclusive, boa parte dos estudos de viabilidade, projeções econômico-financeiras e pesquisas de mercado para isso já foram feitos por Flamengo, Fluminense, CBF e ISG, em 2008, quando se trabalhava com a ideia de os clubes administrarem o estádio.

Á época, por exigência do Flamengo, este grupo buscou a participação da AEG, maior empresa de conteúdo para estádios e arenas dos Estados Unidos, que pode viabilizar uma quantidade considerável de eventos no Maracanãzinho, transformando-o no grande diferencial para a geração incremental de receitas permanentes de todo complexo.

Hoje, ISG, braço da IMG, sócia de Eike Batista na IMX, se apresenta com 5% do Consórcio que pretende administrar o Maracanã, AEG com mais 5% e Odebrecht, que já recebeu mais de R$ 1 bilhão para fazer as obras, com 90%, sendo que, no modelo atual, ainda haveria obras no entorno com valor estimado em mais de R$ 500 milhões.

Com a manutenção do Célio de Barros e do Julio de Lamare, diminui consideravelmente a necessidade de aportes adicionais no entorno do estádio e, sem obras, a Odebrecht, empreiteira que faz obras, pode não ter tanto interesse em permanecer no negócio.

Então, surge aí uma grande oportunidade para que o Maracanã volte a ser a casa do futebol carioca.

Os clubes podem assumir este espaço deixado pela Odebrecht. O desafio é construir a unidade, preservando as diferenças. E se isso cabe em algum lugar, é no Maracanã.

Marcio Braga

Marcio Braga é o presidente que mais vezes comandou o Flamengo (1977-1980, 1987-1988, 1991-1992 e 2004-2009) e mais títulos de expressão conquistou, dentre eles, os de Campeão Brasileiro de 80, 82, 83, 87, 92 e 2009, dois Tri Campeonatos Estaduais (78/79/79 e 2007/2008/2009) e a Copa do Brasil de 2006.

3 Comments

  1. Rogerio

    6 de agosto de 2013 at 10:25

    Me desculpem, mas eu não posso entender vocês ainda darem voz ao Marcio Braga, um dos maiores responsáveis pela atual situação financeira do Flamengo, que agora quer possar de bom administrador, Faça-me o favor Marcio GAGA Braga.

    • Fábio Cruz

      6 de agosto de 2013 at 20:33

      Concordo com você Rogério, já não é a primeira vez isso! Triste ver Flamenguistas dando voz a esses caras!!
      Esse cara quer voltar pro Flamengo e se o fizer, vai voltar a afundar o clube!

  2. VARNEYJOSE

    6 de agosto de 2013 at 12:00

    Tem de ser encarada com muita esperança a possibilidade do NEWMARACA voltar a ser o “GRANDE TEMPLO” do futebol brasileiro !
    Essa é uma das bandeiras das manifestações populares que ocorrem no RJ, e que podem forçar o Governo do Estado a rever o contrato feito com o consórcio gestor do estádio… MARCIO BRAGA, político e dirigente esportivo experiente e sagaz, percebeu bem que o momento único é agora, e para isso é necessário que os clubes (notadamente FLA/FLU) se mobilizem e formulem propostas concretas para assumir a gestão de pelo menos a arena de futebol; na hipótese (a ser aventada) da divisão do complexo esportivo em diferentes áreas de administração.
    Qualquer seja o projeto a ser apresentado, o importante é os clubes se manifestarem de pronto com intenção de assumirem responsabilidade, e demonstração de capacidade de gestão.
    “ULTIMA CHANCE PARA O MARACANÔ como diz o presidente MARCIO BRAGA, pode ser a grande chance da galera poder gritar “O NEWMARACA É NOSSO !!!”

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.