NA WEB
    Google+

    OTIMISMO RUBRO NEGRO

    Por em outubro 6, 2013

    wallace-flamengo-coritiba-021013-650x400O meio de semana foi marcado pela vitória do Flamengo no Paraná, contra o Coritiba. A importante vitória quebrou dois tabus: Pra começar, foi a primeira vez no Campeonato Brasileiro de 2013 que o Mengão venceu duas seguidas. Por fim, o Flamengo voltou a vencer o time paranaense em Curitiba após 15 anos.

    Se nas derrotas encontramos quem garanta que o Flamengo cairá, que todos os nossos jogadores e diretoria não prestam e que o fim do Mundo está chegando, nas vitórias, principalmente as improváveis, o Flamengo passa a ser candidato a Libertadores e outras coisas mais. È comum ouvir a Nação falando “deixou chegar…”, “rumo a Tóquio (ou a Marrocos, como queiram)” entre outros. Essa semana, após o jogo, eu ouvi a pérola “se cuida Cruzeiro”.

    A verdade é que tudo no Flamengo é exagerado. Assim como um pequeno problema ganha uma dimensão gigantesca, tanto na mídia como com os torcedores, a boa fase repercute imensamente e transforma o já convencido rubro-negro em um poço de otimismo, o fazendo vislumbrar um futuro de sonhos.

    Essa característica do Flamengo e de sua torcida faz parte da história. Foi ela que arrancou com o time em 2009, foi ela que lotou estádios em 2007 e nos levou à Libertadores e ela que rotineiramente deixa os torcedores adversários perplexos.

    Torcida-Flamengo-Maracana-Botafogo-MendesLANCEPress_LANIMA20130729_0020_26Seria como uma torcida do Botafogo ao contrário. Eles, mesmo quando o time do Botafogo vai muito bem e tende a disputar títulos, desconfiam da boa fase e não aparecem nos estádios. A receita é inversamente simples: A torcida não apoia, o time acaba tendo uma queda de rendimento e torcedor alvinegro lamenta a falta de sorte, o destino infeliz ou até os árbitros mal intencionados. Já a Nação Rubro Negra espera apenas um ínfimo motivo para ir em massa aos estádios, acreditar numa virada improvável, empurrar o time e escrever ela uma nova história. E o estádio cheio parece ser um dopping para os atletas rubro-negros. Não é difícil ouvirmos que a torcida do Mengão nos levou a classificações e a títulos.

    Eu confesso que, apesar de rubro-negro apaixonado, sou muito mais “pé no chão”. Não são duas vitórias em sequência que me farão acreditar em uma improvável classificação para a Libertadores. Como colunista deste site, é minha obrigação ser verdadeiro com os meus leitores. Agora, se o Flamengo ganhar hoje do Vasco, ninguém segura. Deixou chegar, já era. Vou começar a ver passagens para o Marrocos em 2014. E tem mais: Se cuida, Cruzeiro!

    *     *     *

    FLAMENGO X VASCO

    LOCAL: Mané Garrincha, em Brasília (DF)
    DATA/HORA: 06/10/2013/16h
    ÁRBITRO: Ricardo Marques Ribeiro (MG)
    AUXILIARES: Marcelo Bertanha Barison (RS) e Rafael da Silva Alves (SP)

    FLAMENGO: Paulo Victor, Léo Moura, Wallace, Chicão, João Paulo; Amaral, Elias, André Santos, Carlos Eduardo (Luiz Antonio); Paulinho e Hernane. Técnico: Jayme de Almeida

    VASCO: Diogo Silva, Fagner, Jomar, Cris e Yotún; Fillipe Soutto, Pedro Ken, Juninho e Marlone; André (Jhon Cley ou Willie) e Edmilson. Técnico: Dorival Júnior.

    Leave a Reply

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.