NA WEB
    Google+

    DIGA NÃO À TIMOFOBIA

    Porque quem ama futebol está do mesmo lado

    Por em dezembro 11, 2013

    fobia-grandeNão. Esse não é um texto execrando a violência descabida e imbecil ocorrida em Joinville na última rodada do Brasileirão 2013. Apesar de que a timofobia é a fonte primária desse tipo de acontecimentos. Fazer isso seria chover no molhado. Fora isso, esse assunto há de ser debatido exaustivamente pelos envolvidos e responsáveis pelas próximas semanas, até enjoar, cair no esquecimento, e começarem os debates outra vez assim que ocorrerem mais barbáries.

    Trato aqui do estranhamento que provoco quando, rubro-negro empenhado e inconteste que sou, venho a público mostrar respeito pelos nossos desafetos de São Januário, ou até mesmo declarar minha simpatia pelo Corinthians.

    Percebo que muitas das vezes decepciono algumas pessoas com essas minhas atitudes. No trabalho, pra exemplificar, passei os últimos dois dias me esquivando de participar do massacre moral sofrido por companheiros de trabalho que amam o Vasco. … Vá lá. … E que amam aquele Time de Bairro chamado Fluminense.

    Belo momento esse nosso de terminar o ano com um título, vaga na Libertadores e, de brinde, presenciar a derrocada calamitosa e conjunta de dois dos nossos rivais cariocas. Fica com cara de “Game Over. Flamengo wins”.

    Mesmo assim prefiro deixar os derrotados com suas dores. Limito-me às piadas contra as duas instituições nas redes. Isso porque existem dois tipos de torcedores: os que gostam, amam, se envolvem, respiram futebol. Faço parte desse grupo. Tem também a turma do tanto faz. Sabe? Aquele cara que te pergunta na terça quanto foi o jogo de Domingo? E mesmo assim mais pra puxar papo que realmente por algum tipo de interesse?

    Aí é que encontro a minha divisão. O grupo ao qual pertenço é o dos que passam o ano olhando tabelas, decorando contra quem serão os próximos dez jogos, projetando pontuações altíssimas nas próximas 3 rodadas mesmo que a lógica indique outro tipo de realidade. E pertenço a esse grupo com orgulho e plenamente consciente da minha alienação. Pertenço a esse grupo seja lá pra quem for que essas pessoas torçam.

    Esse é o motivo pelo qual não me considero um timófobo. Afinal, com quem seria mais fácil me identificar? Com um vascaíno que terminou o último Domingo aos prantos vendo seu time ser varrido (temporariamente) da elite do futebol brasileiro com uma goleada, ou com um rubro-negro que sequer sabe quanto foi o nosso jogo contra o Cruzeiro?

    Além disso, cá entre nós… Que tipo de raiva e ódio podemos sentir de Botafogo, Fluminense e Vasco? Gente que nos dá tantas alegrias…

     

    CURTA

    TRI-TAPETÃO. Amanheço tomando conhecimento da desagradável notícia de que o fluminense vai tentar de novo. E da mais desagradável ainda de que o Vasco se inspirou e também vai entrar nessa. Acontecendo… Aí só vai sobrar um time grande no Rio mesmo.

    Leave a Reply

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.