NA WEB
    Google+

    LÉO MOURA REVELA DETALHES SOBRE A TROCA MANO-JAYME

    Lateral-direito e capitão do Flamengo foi o entrevistado da semana no programa Kajuru Pergunta, da TV Esporte Interativo

    Por em dezembro 15, 2013

    b49457fb-ea4d-4e56-973c-4dcd8df3b1bd_leo2flaApós um início de temporada turbulento e três trocas no comando técnico, o Flamengo terminou 2013 de maneira positiva: longe da zona de rebaixamento no Campeonato Brasileiro, com o título da Copa do Brasil e uma vaga na próxima Libertadores da América. O capitão do clube da Gávea, Leonardo Moura, foi o convidado do programa Kajuru Pergunta desta semana e frisou a importância do treinador Jayme de Almeida – auxilir que passou a interino e foi efetivado – para o desfecho de ano positivo.

    “O mérito do Jayme é a simplicidade, é acreditar em cada companheiro. Eu já tive grandes treinadores, mas o Jayme tem uma coisa que eu nunca vi. Quando se ganha um jogo, é fácil elogiar. Mas receber um elogio do treinador na derrota é muito difícil. O Jayme via quando a gente jogava bem, via que a gente fazia o que ele pedia, mas às vezes não dava certo. Faz parte do futebol. Ele faz questão de incentivar e botar todo mundo para cima nas derrotas. Se o treinador nos coloca para cima, a gente tem que jogar por ele. O Jayme sempre pede para não inventar. Futebol é jogado de forma simples. Independentemente das características de cada um, o ser simples no futebol funciona demais. E o Jayme sempre cobrou isso da gente”, revelou.

    Antecessor de Jayme, Mano Menezes saiu de forma polêmica. Após a derrota de virada por 4 a 2 para o Atlético-PR no Maracanã, partida da 22ª rodada do Brasileirão, o ex-técnico da Seleção Brasileira disse que não estava conseguindo passar seus pensamentos sobre futebol ao elenco rubro-negro e pediu demissão do cargo. Quase três meses depois do episódio, Léo afirmou que ainda não compreendeu o motivo da decisão de Mano.

    “Não entendo a saída do Mano até hoje. Eu não estava naquele jogo, mas estava no dia a dia com ele. Não havia problema. Não posso dizer que seríamos campeões da Copa do Brasil com o Mano, mas eu não via problema. Estava tudo bem, apesar de os resultados não estarem vindo. Talvez por isso essa frustração do Mano. Para mim, foi uma surpresa”, salientou o camisa 2, antes de responder porque o trabalho de Mano Menezes não deu certo. “É um peso muito grande ser treinado por um cara que veio da Seleção. Isso inibe os jogadores um pouco. O atleta acaba não conseguindo mostrar tudo que pode. Aí o grupo não consegue funcionar. Eu acho que não deu certo por isso”, comentou.

    Sobre Adriano, Léo Moura não teve papas na língua. Está feliz pela chance de retorno do ex-companheiro no Atlético-PR, mas falou abertamente sobre o erros do Imperador nos últimos dois anos.

    “Eu acredito no Adriano. Se ele colocar na cabeça que pode voltar, vai conseguir. Fiquei muito feliz com a possibilidade de retorno dele. Quem conhece o Adriano sabe que ele não faz mal a ninguém, só a ele próprio. Um cara espetacular, fantástico. O Adriano perdeu os últimos dois anos por bobeira. Se largou. Deixou as más companhias influenciarem na vida dele. Eu acredito que ele pode voltar a ser um atacante que dá muito trabalho, basta querer. Se estivesse bem, seria titular absoluto da Seleção Brasileira. E ele sabe disso. Ele sabe que perdeu a oportunidade de jogar uma Copa do Mundo no país dele. A gente era parceiro de quarto. O Adriano tem uma ligação muito forte com a comunidade dele. Não é por isso que se pode deixar as amizades influenciarem no ganha pão. O Adriano deixou. As pessoas se aproveitaram de um cara que tem um coração muito bom, que não sabe falar não”, encerrou.

     FONTE: Esporte Interativo

    Leave a Reply

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.