Google+

UMA DECISÃO MORAL

Por em dezembro 15, 2013

8199276062-134ced13ff-c-jpg_154713O que ocorre hoje no futebol brasileiro é completamente imoral. Não é uma questão clubista, mas de caráter. Leis e regras devem ser cumpridas e respeitadas, mas a aplicação das mesmas em seus tribunais devem ser feitas por quem não tem ligação com as partes interessadas. Isso é o que mais me incomoda nessa polêmica que envolve não só Fluminense e Portuguesa, mas também o Flamengo.

Como torcedor do Flamengo, confesso que muito me incomodou as polêmicas que sempre envolveram o meu Clube fora de campo. Dividas, jogadores em páginas policiais e vexames protagonizados por más administrações. Pelo menos hoje a realidade é diferente. Não somos mais pauta em cadernos policiais e nem temos jogadores indo na mídia dizer que o Flamengo é mal pagador.

A Portuguesa errou sim. Escalou equivocadamene um atleta que não podia jogar aquela partida, mas houveram situações parecidas em que para o procurador geral do STJD, têm medidas diferentes. Se em 2010 ele tomou uma decisão num mesmo caso, por que agora a decisão tem que ser diferente? A lei mudou?

photo5

Outra coisa que é estranha e nos entristece, pois mostra como funciona o futebol brasileiro nos seus bastidores é a postura primeiramente do advogado da Portuguesa. Além de advogar para diversos clubes, tem uma ligação, digamos afetiva com o Fluminense e não comunicou ao clube da suspensão do jogador. A mesma coisa cabe ao procurador do STJD. Além de negócios que o ligam ao time do Fluminense, a sua relação é de torcedor.

Tirando tudo que foi exposto acima, não viria problema algum do Fluminense se beneficiar com o erro da Portuguesa e permanecer na primeira divisão do Campeonato Brasileiro, mas infelizmente há toda essa história e seria de bom senso que a Portuguesa seja absolvida. Será mais ético com o futebol brasileiro e seus milhares de torcedores. Será uma resposta moral para que possamos acreditar que as coisas podem ser melhores no futuro.

caiu6Eu não entendo de leis, de Direito, e não vou ficar aqui citando trechos do código desportivo, mas que os artigos em discussão dão margem a interpretações dúbias, isso dão. E aí pergunto: Por que não fazer leis mais objetivas e claras? Por que não discutirmos a partir de agora a necessidade do STJD e seus membros? Até onde podem interferir nos resultados ocorridos dentro de campo? Como deve ser a postura dos membros do STJD? Tudo isso deve ser levado para a discussão.

Se há o movimento Bom Senso FC criado pelos jogadores para fazer algumas mudanças e moralizar o futebol brasileiro, por que não incluir também a justiça desportiva. Que a decisão a ser tomada seja moral! Para o bem desse Campeonato! Para o bem do futebol brasileiro!

Por Túlio RodriguesBlog Ser Flamengo

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.