Google+

MEDIR, AVALIAR E IDENTIFICAR PERDAS

2013 – O primeiro ano do início da reestrururação

Por em dezembro 19, 2013

27nov2013---leo-moura-ergue-a-taca-de-campeao-da-copa-do-brasil-de-2013-apos-vitoria-do-flamengo-sobre-o-atletico-pr-1385604400884_1024x575Reta final do ano de 2013. Momento do balanço anual, seja com relação às finanças, seja para identificar erros e brindar acertos. Esta temporada para o Rubro-Negro foi um marco de mudança.

O torcedor teve que aprender uma nova linguagem, um novo formato de gestão. E aprendeu que para ter um Flamengo gigante tem que aprender, também, a lidar com tais mudanças. No vértice desse processo, o clube lançou o imperativo que abrange, além de torcedores, os trabalhadores de alta qualificação, como executivos e gerentes, com objetivo de mudança geral.

Mudanças aceleradas, pressões, novas mudanças. Ousar, ser criativo, eficiente. Mudar, mudar, mudar. Sem isso, o gigante que vinha sendo diminuido ao longo dos anos, ficaria à margem da falência. O desafio foi colocado.

E o que concluir ao final de um ano? Muita coisa melhorou. O torcedor percebeu vice presidentes comprometidos, aguerridos, na linha de frente do combate, buscando soluções, quitando dividas por um Flamengo forte. Como avaliar este novo Flamengo como um todo? Quem produziu? Quem trouxe resultados? Muita expectativa foi criada em torno do Marketing Rubro-Negro, onde o torcedor esperava soluções criativas e ações que efetivamente convertessem em resultados para o Flamengo como um todo. E o que se pode concluir com relação a essa esfera, especificamente?

305696_545722035441345_956852197_nA folha de pagamento dos empregados de uma “empresa” é uma fatia considerável de seus rendimentos. Quanto cada um destes profissionais deveria converter em lucro para a organização, para justificar sua permanencia?

Durante a campanha da atual gestão, muito foi dito sobre esta tal “profissionalização”. Que profissionais egressos do mercado seriam identificados e atuariam com metas preestabelecidas, e assim seriam avaliados. E como avaliar? Como identificar se o profissional trouxe resultados significativos para a empresa e não pesou no orçamento final?

As empresas mais bem sucedidas apresentam resultados porque possuem as pessoas certas. As pessoas certas mantém o desempenho porque entendem a estratégia da instituição e seus papéis dentro dela. Em virturde do estado em que a empresa – Flamengo – foi encontrada, a prioridade foi buscar soluções rápidas e eficientes para sanear dividas, e fortalecer o clube.

Não seria este o momento de avaliar a empresa em toda estrutura organizacional? O momento para identificar onde o clube deveria obter resultados, mas que está tendo perdas? Através de muito esforço o Flamengo finalizou o ano com muitos acertos, com uma grande conquista (Copa do Brasil) e fortalecendo  o laço torcedor/ instituição. Para dar continuidade a este trabalho, é necessário olhar agora para dentro, e acertar onde ainda velhos erros continuam sendo repetidos.

Por um Flamengo mais forte, é mister observar onde estão as perdas e os ganhos. É momento de fazer o debriefing. De medir o que é melhor, de definir diretrizes e de alinhar, sobretudo, o que se espera de cada um que faz parte deste time. Uma estratégia com elevado potencial de sucesso pode falhar se o desenho organizacional for mal projetado, se os grupos não funcionarem bem, ou se as pessoas não estiverem motivadas.

18-12_flamengoDa mesma forma, uma organização pode não ser eficaz – ainda que tenha pessoas motivadas – se estiver implementando uma estratégia inapropriada. A ausência de medição impede a plena gestão. Sem medição, a identificação dos problemas é prejudicada. Sem medição, as pessoas não podem compreender totalmente o que delas se espera. A medição é fundamental para que as pessoas tenham maior compreensão da adequação do seu desempenho. É chegado o momento de olhar para dentro e realizar uma analise de onde ainda é necessário acertar e extrair de cada um o rendimento que ainda não aconteceu.

Providencial que haja uma avaliação geral, e assim identificar possiveis erros no caminho. O torcedor Rubro Negro desceu das arquibancadas, compreendeu e apoiou todas as mudanças. Muitos renunciaram à paixão de estarem presentes no seu lugar de origem (as arquibancadas), apoiando o momento de arrecadação para quitar dividas. Com esta mesma responsabilidade este torcedor merece uma prestação de contas dos resultados em toda organização. Esta responsabilidade está nas mãos de todos. Torcedores fazendo sua parte, empregados fazendo o seu melhor e dirigentes trabalhando com afinco para um efetivo retorno.

Que 2014 traga o Flamengo cada vez mais forte e sólido, especialmente de dentro pra fora.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.