E agora, o que eu faço?


oie_1115111jhA3ZeG1Nasceu a bússola que orienta a vida da Fla Mochila. Enquanto ela não sai o nosso ano não começa direito. Norteia nossos compromissos, vida social, marcação de férias, dentre outras coisas menos importantes que o Flamengo em nossas existências.

E olha que esse ano saiu bem antes que o habitual. Costuma sair na melhor das hipóteses lá pro final de março. Eis que do nada, ainda no começo de fevereiro, o som interminável do whatsapp da Fla Mochila traz as boas novas. Júlio, sempre ele, é o mensageiro da frase que tem significado tão especial para nós: “CBF divulga tabela da Série A do Brasileiro”.

Pânico, euforia, primeiras impressões, troca insana de mensagens que vão se acotovelando umas sobre as outras em um emaranhado de informações que só em um segundo momento será observado com mais calma.

“Tá molezinha”; “Antes da parada pra Copa só tem viagem fácil”; “Goiás de novo no meio da semana”; “Setembro complicado mais uma vez com um monte de jogo fora”.

Claro que também lembramos, na avalanche de informações, que quando saiu a tabela de 2013 ficamos bem animados e depois a CBF, os Smurfs, os vândalos que fizeram seus times perderem mandos de campo, dentre outros fatores, acabaram frustrando nossa animação e transformaram o campeonato em um longo, terrível e imprevisível pesadelo pra turma que é mais de jogar a mochila nas costas e ver de perto o nosso amado Flamengo.

Conforme prometi, após perder alguns jogos do ano passado por ficar esperando definição do desdobramento da tabela da CBF/Globo, fui logo tratando de ver passagem para algum jogo das últimas rodadas. Meio que para marcar território.

Acabei concluindo que vale mais comprar passagem para ir no sábado e voltar no domingo e aguardar o desdobramento, do que esperar e descobrir que não dá pra ir porque em cima da hora a passagem tá muito fora da minha realidade. Compra antes pra cacete e dorme no pior e mais pulguento muquifo que arrumar.

Aí tá lá… Última rodada contra o Grêmio em Porto Alegre. Volta um pouco salgada, mas dá pra esperar. Ida barata (no linguajar Flamochilano “a ida tá dada”).

Trava…

Essa tabela que foi divulgada estranhamente cedo é a que vai valer? Dá pra confiar?

Claro que não. Pelo que me consta e pelo que leio por aí, o campeonato pode até começar e ser paralisado no meio por conta de alguma liminar qualquer. Pelo que imagino como pior cenário, essa tabela pode até mesmo ser rasgada e substituída por outra.

Ficamos então de mãos atadas.

Melhor torcer pro Tapetense F. C. nunca mais cair no campo. Já se sabe que vão acabar dando um jeito de não descer mesmo. Só serve pra atrapalhar o andamento das coisas.

Quero voar seguindo o Flamengo. Não bastasse a desorientação espacial dos Smurfs e da CBF, agora nem mesmo sei se a bússola que tenho em mãos aponta para o norte certo.

CURTAS

DOENÇA. O nível do transtorno psicológico que o Flamengo me causa é tal que já estou me sentindo um merda completo porque não vou a um jogo que será realizado no México.

ORGULHO. Por outro lado, feliz de saber que outros membros da Fla Mochila estarão por lá. Três pra ser mais exato. Provavelmente a maioria dentre todas as outras torcidas presentes ao jogo.

DOENÇA II. Um dos que embarcam hoje para Leon, o Zé Paulo, jura de pé junto que em 2014 ele vai normal aos jogos e sem cometer excessos. Ainda não faltou nenhum do Carioqueta, está indo pro México, e já me perguntou se ir a 37 jogos do Brasileirão pode ser considerado normal. Cria minha esse guri. Tem como não ficar orgulhoso?

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.