NA WEB
    Google+

    Liberta, DJ

    Pra não desmarcar a festa

    Por em março 19, 2014

    oie_191349579gB9XJdcDevolver presente é uma das maiores faltas de educação que se pode cometer. Cancelar festa também não é das coisas que mais pontuam socialmente.

    É por isso que acredito em uma reversão do panorama um tanto quanto sombrio que se desenhou naquela fatídica quarta em que cometemos gafe social ainda maior, cochilar no meio da festa e deixar os convidados um pouquinho mais à vontade do que seria aceitável.

    O presente a que me refiro é a nossa própria participação na Libertadores. Posto que foi um presente ofertado pelos deuses do futebol, dentre eles a Deusa Nação, que brindaram o Clube de Regatas do Flamengo com a Copa do Brasil de 2013, em detrimento do “planejamento” genial dos Smurfs, que tinha mais cara de preparativos para um velório ao final da temporada.

    Pois bem… Presente aceito e recebido de muito bom grado. Logo, não há motivos para abandonarmos a festa antes mesmo do seu verdadeiro começo pra valer. Mesmo por que… Nós somos a festa.

    Se vai ser hoje, se vai ser nas próximas rodadas, isso eu não sei e minha bola de cristal ficou até meio turva após aquele ensaio de catástrofe do jogo contra o mesmo adversário de hoje à noite.

    Mas que nós vamos passar, vamos e pronto. Revogam-se as disposições em contrário.

    Os poucos e honrados heróis que estarão no estádio, e todos nosotros que estaremos acompanhando pela TV, em tudo quanto é canto do planeta, sabemos (e de alguma forma a gente sempre sabe) que a festa não acabará desse jeito.

    Se vamos ganhar a Libertadores já é outro assunto, o que não podemos é abandoná-la assim, na primeira fase, sem nem termos tempo de tornar nossa participação memorável… Ou pelo menos marcante.

    Isso não seria bom pra ninguém, nem mesmo para os nossos amados desafetos aqui do Rio, que andam tão mal das pernas que ultimamente só sentem algum tipo de emoção no futebol quando estão diante da TV assistindo aos jogos do Flamengo.

    Em prol da festa, em prol da alegria, aliás, em prol da verdadeira festa…

    LIBERTA DJ, Liberta Felipe, Liberta Léo Moura, Liberta Tio Jayme, e porque não dizer… Enfim, já não era sem tempo, aleluia… Liberta Cadu.

    Boa sorte para todos nós.

    Flamém.

    CURTAS

    • #CineFla. O ÚLTIMO GRANDE HERÓI. Aventura Dramática. Júlio Veloso é abandonado por todos os outros membros da Fla Mochila e, em viagem solo, vai desbravar as agruras bolivianas em busca de um pote no fim do túnel. Reza a lenda que há três pontos fundamentais dentro do tal pote.
    • SEM NOÇÃO. Frase de um taxista de Niterói, torcedor do Tapetense: “Aquela época em que o Fluminense estava na terceira divisão foi muito triste. Parecia que éramos time pequeno”. Vergonha alheia em seu estado mais puro.
    • BRASILEIRÃO. CBF já até fazendo desdobramentos na tabela que aí está. PARECE que vai valer mesmo. Hora de começar a busca pelas passagens. Insanidades tupiniquins começando em 3, 2, 1.
    • INCOERÊNCIAS SOCIAIS. Porque um retardado ofende o Arouca e o mundo desaba, enquanto a imprensa oficial não perde a oportunidade de ofender o Walter do Tapetense em tudo quanto é matéria?

    Leave a Reply

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.