Gol de craque

DSC_2863

Na última sexta-feira o Falando de Flamengo entrevistou o maior ídolo da torcida Rubro-Negra. Zico nos recebeu no CFZ com a simpatia e a humildade que sempre acostumamos ver. A emoção de todos que foram colaborar com a gravação foi grande. Após cumprimentos, abraços e corações aos saltos iniciamos a entrevista tocada pela nossa musa, Marcellinha.

Zico falou sobre o passado, sobre o presente e o futuro. Mas foi um tema que, para esse colunista, teve maior destaque: Copa do Mundo.

Confesso ter ficado bastante incomodado ao ver meu grande ídolo no Maracanã no dia anterior. Você logo me perguntará:

Como assim?!?! Incomodado com o Zico no Maracanã?!?!

Pois é! Mas tenha calma. Eu sei que Maracanã e o Zico é uma combinação prefeita!

Mas naquela quinta-feira o que me incomodou não foi exatamente a presença do maior camisa 10 que vi jogar no gramado do maior templo do futebol. Na verdade estranhei aqueles que entraram aos seu lado. Não eram os craques dos anos 80: Júnior, Adílio, Andrade, Julio César, Raul entre tantos.

Ao invés daquele timaço de ídolos, estavam aqueles responsáveis, direta ou indiretamente, por desmandos, superfaturamentos, negociatas, muitos lucros (para eles), e por mortes, como a sétima ocorrida ontem na obra do escandaloso Itaquerão. Aquele estádio que todos iremos pagar mas apenas poucos (embora se achem muitos…) usufruirão.

Me incomodou ver ali meu ídolo, figura que tomo como exemplo, do lado daqueles que podem estar em diversos sacos com diferentes etiquetas: oportunistas, alienados, corruptos etc. E penso que não fui o único que sentiu isso… que pensou: Por que? Para que?

No entanto ao ver meu ídolo de perto, vos digo, nem lembrei desse sentimento.

Já no final da gravação, nossa musa parabenizou o Galinho por ser o novo Embaixador da Copa, membro do Comitê Organizador. Informação que foi dada pelo ex-jogador Bebeto ainda no evento de quinta-feira. Naquele momento o desenrolar da entrevista se deu por um outro caminho e minha admiração pelo ídolo e pelo cidadão se renovou!

Zico não fugiu da dividida! Encarou o adversário com todo a genialidade e respeito que acostumamos vê-lo reproduzir em campo e fora dele.

Se posicionou na faixa do ataque e chutou! Golaço de craque.

Restou-me mais uma vez aplaudir.

Confira no trecho da entrevista abaixo e entenda a posição daquele que, é sim, um exemplo de ídolo e cidadão comum, se é que Zico pode ser considerado comum:

https://www.youtube.com/watch?v=9vnUxzlIxpM

Em tempo:

Quero dizer que não sou contra a Copa no Brasil. Reconheço plenamente a importância do futebol para o brasileiro e para a formação de sua auto-estima. Faz parte de nós! Não considero o apaixonado pelo futebol um alienado político ou social. No entanto, não descarto minha avaliação crítica quanto aos processos que envolvem o futebol e a realização do evento.

Assim como Zico acho que é hora de fazermos o melhor possível.

Talvez nós, o povo, tenhamos que suplantar com nossa brasilidade a incompetência, também inerente a esta condição, que aflora nos nossos políticos e dirigentes acéfalos.

Depois de mostrarmos nossas qualidades coletivas, temos que aproveitar o afloramento dos nossos problemas e incompetências para cobrar até o último voto os mandos e desmando e a roubalheira.

Saiba mais:

Zico fala sobre o Fla na Libertadores, Copa do Mundo e seus novos projetos

Foto: André Pinto

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.