Estranho amor

 

Flamengo v Criciúma - Brazilian Serie A 2013

Tava aqui pensando: “Vou escrever sobre…”. Aí elas aparecem. O pesadelo de todo escriba. As tais reticências, que por vezes parecem sugar toda e qualquer possibilidade de uma crônica.

Enquanto pensava, na falta de algo melhor pra fazer, entrei no site do Nação pra comprar os ingressos para o jogo contra o Bahia. Resolvi deixar para outra hora os afazeres do artigo para o Falando de Flamengo, e achei o tema onde não procurava.

Ingressos comprados, pensamento já na quarta-feira e, como bom rubro-negro, já contabilizando os três pontos desse jogo e dos próximos. Fora os doze pontos que minha visão deturpada da realidade já vai planejando para o pré – Copa, vem a alegria (de gosto duvidoso) de saber que em dez dias serão quatro jogos fora.

Claro que a lógica smurfética de que se não há Maracanã, o jogo contra o Figueirense tem que ser no Morumbi, é no mínimo curiosa. Discordo disso de forma tão definitiva, que me nego até a argumentar contra.

Mas não trato disso no momento. Falo aqui do motivo visceral que me levou a, na atual situação delicada do time, diretoria e Nação Rio, sem mais nem menos, levantar da mesa de trabalho já após a hora da saída e aos pulos, sozinho na sala, começar a entoar os cantos de hábito da arquibancada.

Uma felicidade pura e, não há como negar no momento, completamente não alimentada por resultados. Uma prévia da maratona que nos aguarda. Macaé, São Paulo, Sampa de novo e Uberlândia.

Pela lógica comum de arquibancada, o desempenho bem abaixo de qualquer expectativa das duas últimas partidas, seria motivo mais que suficiente para gerar um certo desânimo. Só que felizmente não funciona dessa maneira.

Estaremos lá nas quatro partidas. Eu e meus aguerridos e fiéis amigos da Fla Mochila. Sei lá na realidade quantos pontos vamos trazer na mochila após a exaustiva jornada. Ainda que seja só um punhado, mesmo que (isola) não seja nenhum, lá estaremos após a Copa de qualquer forma.

Smurfs? Ticket Médio? Troca de técnico? Erros de passe? Bola que não chega no ataque? Rede adversária que não balança? Nosso amor pelo Flamengo é bem maior que isso. Bem maior mesmo.

Se o Flamengo brigar lá na parte de cima da tabela, na parte mais desesperadora da mesma, ou permanecer naquela região modorrenta (o que acho mais provável) de meio da tábua de classificação, o ânimo pra pegar a estrada, dormir no chão do aeroporto, ou seja lá quais perrengues nos esperam, esse seguirá inalterado.

Aqui é FLAMENGO!!!

Leia mais:
Time sem cérebro. Quem seria o ‘camisa 10′ ideal para o Fla?

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.