Google+

30 dias

Pô… Era pra todo mundo?

Por em julho 17, 2014

oie_1716543DzVb0RLN

Passamos todo o período da Copa das Copas com uma única certeza em nossos corações e mentes inocentes: “Flamengo tem 30 dias para treinar”.

Confesso que também me deixei levar pelo simplismo retardado. Cheguei mesmo a comentar por aqui que, apesar de todos os distúrbios financeiro/logísticos que as obras para a Copa do Mundo me causaram, julgava a parada de mais de um mês uma tábua salvadora, uma ilha de segurança em meio ao mar revolto do nosso turbulento início de Brasileirão.

Fui para Macaé todo bobo. Ainda mais por conta das boas novas que pululavam a todo momento, dando conta de coisas como novas táticas, movimentação do time, posicionamento, e alguns outros nomes bem inspiradores e que tratavam de dar alento aos nossos combalidos corações.

Confesso. Estava mesmo achando que iria respirar novos ares. Admito igualmente que olhando daqui, com toda a sapiência que fatos já ocorridos nos trazem, que estava até exagerando em minhas perspectivas. Guardadas as devidas proporções, já estava imaginando quase uma continuação de qualidade padrão Copa do Mundo. Coração apaixonado é assim mesmo.

20140716222810_739

Antes da metade do primeiro tempo uma revelação bombástica caiu cruel e reveladora sobre meu cérebro. Foi daquelas coisas que chegam de uma vez só. Sem muito raciocínio e um tempo justo para assimilar o golpe. Em uma jogada de contra-ataque do Atlético, a troca de passes foi precisa e o lançamento muito bem feito. Pensei: “Pô… Legal… Eles devem ter ensaiado isso no treino”.

Fuck… Choque de realidade instantâneo. Juro que só naquele momento me dei conta de que TODOS os outros 19 clubes foram contemplados com os tais 30 dias. Traição das traições.

Como todas as minhas esperanças anteriores ao jogo de ontem estavam depositadas em base tão pueril e inocente, a primeira reação não poderia ser menos infantil. No reflexo, pensei: “Quer dizer então que todo mundo treinou também? Isso é uma baita de uma sacanagem”.

Aí já veio a avalanche toda de uma vez. O time errando em campo, a torcida impaciente vaiando nas arquibas, eu projetando o futuro. E nem precisei ir muito longe. Logo no próximo domingo esbarrei em um Internacional que não nos traz boas recordações de quando jogamos em seus domínios… E ainda por cima após 30 dias de treinamento. O que esperar?

O pior é que ao fim do jogo fiquei com a sensação de que não houve uma melhoria em nosso desempenho em campo, se comparado com as sofríveis partidas anteriores ao Mundial. Agora sim. Agora acabou a Copa do Mundo e estou de volta à realidade.

Da mesma forma que proferi durante a Copa, antes do jogo da semifinal, que: “Se ESSE Brasil ganhar DESSA Alemanha, fatalmente será o Campeão do Mundo”, não sei se movido mais uma vez por esperanças suspeitamente tendenciosas e apaixonadas, tenho um raciocínio parecido para nossa atual situação.

Acredito que se ESSES mesmos atletas simplesmente mudarem de atitude, e é só isso que precisa, muito em breve essa complicada colocação na tabela será apenas a lembrança de uma má fase.

Mais uma vez. E já estou começando a cansar de encerrar textos dessa maneira…

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.