NA WEB
    Google+

    Noite de pesadelo

    Por em julho 17, 2014

    oie_17214921K8HUq3EH

    Quando cheguei em casa e liguei a televisão para ver como estava a rodada, dei de cara com a tabela que mostrava que estávamos temporariamente em último por conta da vitória do Figueirense. Temporariamente? Era o que eu gostaria que tivesse acontecido, mas todos já sabemos o que veio em seguida.

    Bastava uma vitória simples para a gente não só largar a base dos infelizes, como também botar a cabeça no travesseiro um pouco mais tranquilo e sonhar para que o perrengue não continuasse a nos atormentar.

    Pois é, mas esse sonho não veio. E o início do jogo já dava indícios do pesadelo que seria o nosso fim de noite. Logo aos 14 minutos do primeiro tempo, nossos rivais de traje rubro-negro conseguiram nos proporcionar uma aceleração de batimentos cardíacos. Felizmente a arbitragem marcou falta, anulou o gol e nos deu aquele baita alívio.

    Como em todo filme de terror, logo após o susto gratuito veio a parada séria. O fato infeliz que deveria ter servido como baque para acordar os caras, só fez com que o time se perdesse de vez e a bateção de cabeça começasse a surgir por todos os lados.

    Estava tudo errado! Vimos um time lento, desorganizado e que nada mostrou de novidade em relação às declarações feitas durante a intertemporada. Quarta-feira, 22h, a galera chegando do trabalho… se não tivesse sido tão assustador, acredito que muitos rubro-negros teriam acordado pela manhã no sofá da sala, sem nem saber o resultado da partida.

    Se é que é possível extrair algo do que assistimos, o Mugni deu uma mudada considerável na partida (de novo) e o Luiz Antônio em um lance fez mais do que o Elano no jogo inteiro. Está aí a solução? Não. Pode ser um ponto para as mudanças começarem? Talvez sim.

    De qualquer forma, não podemos já tratar os fatos de ontem como o fim do mundo. Da mesma maneira que uma vitória não resolveria de vez nossos problemas, a derrota não pode servir para desesperar. Mas é claro que está começando a assustar e tirar o nosso sono.

     

    .

    Leave a Reply

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.