NA WEB
    Google+

    Velhos novos ares

    Que seja a última mudança

    Por em julho 25, 2014

    oie_25155812NljDHiW0

    Polêmico. Amado por uns e odiado por outros tantos, Luxa está de volta.

    Pra variar, parte da Nação não aprovou a vinda de Luxemburgo. O mais bacana e sintomático é que boa parte da turma que não gostou manifesta isso abertamente… E não aponta nenhuma outra sugestão.

    Se foi certa ou não a escolha, não faz mais a menor diferença. Meu técnico favorito e apoiado para o cargo será sempre o atual treinador. Mesmo porque, nós do lado de cá não somos dirigentes e, como torcedores, nossa função principal deveria ser, como o próprio nome diz, torcer para as coisas darem certo.

    Seria de bom tom que essa fosse a última mudança de técnico na temporada. Um dos motivos é que se não precisar trocar outra vez, provavelmente será porque as coisas dentro de campo começaram a tomar o rumo certo. O motivo principal é mesmo o fato de que esse troço de trocar a todo momento, geralmente faz parte do currículo das equipes que terminam o campeonato no Z4.

    enqueteMudança aprovada ou não – em enquete realizada pelo Falando de Flamengo, Luxemburgo teve 90,5% de aprovação -, PARECE que a Nação Rio vai dar as caras no domingo. Como sou da Velha Guarda, ainda não me acostumei com as matérias em tom otimista que falam em “já (??!!) foram vendidos nove mil ingressos para o clássico”, mas enfim…

    Estou ficando ultrapassado mesmo…. Opa… Aliás esse adjetivo também tem sido bastante utilizado para rotular Luxemburgo. De qualquer forma, como nós já fomos mesmo ultrapassados pelas outras dezenove equipes que participam do campeonato, talvez não seja a hora mais apropriada para ficar julgando a modernidade de ninguém.

    Vale relembrar que a última passagem do Luxemburgo por aqui foi sim positiva. Estadual invicto, uns seis meses sem derrotas e campanha de Brasileirão com vaga na Libertadores do ano seguinte. Aliás, não fosse o apagão que ocorreu durante umas dez rodadas, poderíamos até mesmo ter ido mais além.

    Tenho certeza, ainda que eu seja suspeito, que esse velhos novos ares irão nos fazer bem. Em breve sairemos dessa posição em nada condizente com as nossas tradições. E aíé pensar em 2015… Ah… Tem a Copa do Brasil também. Vai que…

    Leave a Reply

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.