NA WEB
    Google+

    O placar não mostrou quem perdeu

    Por em setembro 25, 2014

    oie_25181450c5MwdHiJ

    Que quarta-feira, meus amigos! Em um jogo fora de casa, contra o até então vice-líder do Brasileirão, que possui um time realmente forte principalmente na parte ofensiva, o Flamengo certamente teria um desafio pesado pela frente. Só não imaginava que seria tão complicado assim.

    O time iniciou a partida meio estranho, respeitando demasiadamente o São Paulo. A marcação dos caras estava no nosso campo e com esse cenário, parecia que o gol contra a gente sairia a qualquer momento. E saiu, num pênalti polêmico que, na minha humilde opinião, não existiu.

    Mas aí o Flamengo acordou, finalmente se organizou, foi pra cima deles e começou a querer jogar bola. Então surgiu ele, o cara que vem sendo o grande destaque do time na temporada: Éverton. Numa falha do Rogério Ceni, ele veio naquele sprint master e mandou pra rede.

    Empatamos e passamos a dominar a partida. Por esse motivo, tivemos mais algumas oportunidades de virar o placar ainda no primeiro tempo. A principal delas, novamente com o Éverton.

    Com isso as expectativas eram boas para a segunda parte do jogo, mas logo no início fomos surpreendidos com um novo erro do apito, e dessa vez chegou a ser bizarro. Tudo bem que está rolando essa polêmica toda em torno da história da mão na bola e tal, mas independente disso, o lance aconteceu muito fora da área.

    Sorte nossa que temos o Paulo Victor no gol, que defendeu a cobrança do Ceni. Após essa situação extremamente infeliz, o Flamengo continuou bem e pressionando os donos da casa. E no decorrer dos acontecimentos, como se já não bastasse, tivemos outro erro de arbitragem, onde foi marcado equivocadamente um impedimento do Canteros, em um lance que fatalmente já resultaria em outro gol nosso.

    Nesse momento o São Paulo estava com menos um, por conta da expulsão (Aê! Acertaram uma) do Michel Bastos. O jogo estava tão peculiar, que pensei até que o árbitro fosse expulsar o Éverton. Vai saber, né? Sei lá. Aos 42, veio a cobrança de escanteio que, teoricamente, salvaria a noite injusta. Alecsandro marcou de cabeça e viramos a partida.

    De qualquer forma o alívio, a felicidade e sensação de justiça duraram pouco. No fim do tempo regulamentar, o Luís Fabiano resolveu deixar tudo igual novamente.

    Agora, apesar do Flamengo ter deixado escapar a vitória faltando tão pouco para acabar, será que é possível criticar? Particularmente não consigo, até porque o time fez uma boa partida mesmo com tantos contratempos. Falando apenas do mínimo, foram dois pênaltis e um impedimento. Embora o segundo não tenha sido convertido, essas confusões acabam dando aquela movimentada na cabeça da galera.

    Eu só espero que todos aqueles que diziam que o Flamengo estava sendo favorecido pela arbitragem, tenham assistido ao jogo. E não, não estou empurrando pra lá dizendo que fomos “roubados”. A arbitragem brasileira é que está muito ruim. É com todo mundo e toda hora.

    O jogo foi empate, mas o futebol perdeu três pontos em mais uma rodada. E acho que nada vai mudar enquanto o foco for buscar quem é o tal “favorecido da vez” ao invés de irem direto ao problema.

    .

    Leave a Reply

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.