Google+

Flamengo com a tática vencida

Por em junho 29, 2015

Mais uma vez o Flamengo consegue destruir minha semana antes mesmo dela começar. Venho repetindo aqui desde o inicio do Brasileirão, que até então, eu via como uma possível reviravolta na temporada que já havia se iniciado de uma forma horrorosa. Infelizmente o meu medo se concretizou, um planejamento equivocado pode estar destruindo todo ano de 2015 ainda em Junho. Digo isso, pois, o Departamento de Futebol do clube se mostra à deriva, não dá um norte e os seus comandados não sabem o que fazer.

Nem vou entrar na mazela da falta de comprometimento dos jogadores, esse assunto me dá náuseas, e me irrita tanto, que vou pular essa parte. Venho dizendo que falta comando há muito tempo, e se não existe comando cabe à torcida cobrar. Como disse na última coluna o Cristovão se quisesse se manter treinador do Flamengo, deveria esquecer o 4-3-3 ou 4-2-1-3 que vêm desde a época do Luxemburgo e buscar fechar o meio. Apesar dele “estar” com o prazo de validade vencido, vou tentar ajudar novamente.

O 4-3-3 ou 4-2-1-3 para dar certo no futebol atual, necessita de duas coisas, ou grandes jogadores no meio e ataque, ou um comprometimento total da equipe, pois, sem essas características a facilidade de “perder” o meio campo é gigantesca. Pois, o adversário “ganhará” o meio campo em número de jogadores, ou seja, vai faltar gente para tanto espaço, sendo assim, quem vai sofrer é o sistema defensivo.

Hoje o Flamengo joga da seguinte forma:

CAMPO FLAMENGO 2

Não precisa ser gênio para observar que se ninguém do “ataque” auxiliar ao meio campo, qualquer time que povoar aquela área levará vantagem. Foi o que o Vasco fez ontem e que o Atlético exerceu com maestria no Maracanã na semana passada. Perdemos o meio campo e perdemos o jogo. Mas, esse ano o Flamengo (Torcida e Diretoria) em si, é soberbo não conseguiu perceber ainda que tem um time fraco. Digo tem, porque existem promessas de novas contratações.

A Torcida foi iludida pelo inicio do Estadual, a Direção de Futebol pelos devaneios do Vanderlei e hoje estamos com um time de merda, arrotando caviar. Agora, se depois de perder o Estadual e ter a seguinte campanha no Brasileirão 6 – derrotas, 4 – empates e 2 – vitórias estando desde o inicio na competição no Z4 não conseguirmos enxergar isso, é papo de internar, Torcida e Diretoria.

Não é possível que com seis jogos e duas semanas completas de treino, o ainda treinador, Cristovão, não tenha observado que não temos esse time todo. Nisso o Roth ontem foi mais, bem mais, inteligente do que o Cristovão fechou a casinha e ganhou o jogo, com uma bola, e  foi essa a proposta do Vasco, jogar por um lance. Jogando como time pequeno, venceu, e é isso que o Flamengo tem que fazer, deixar a arrogância de lado e jogar fechado, buscando o resultado.

Mas, parece que o nosso treinador não percebe isso, sinceramente tenho medo de levar um “7×1”, o cara toma um gol fica desesperado, começa a improvisar, bota meia na lateral, ponta no meio, abre o time todo, e se não fomos goleados ainda, foi por que o Galo tirou o pé e os outros times são também muito ruins. Com seis meses de temporada, podemos dizer que  Pico, Pará, M. Araújo, Arthur Maia, Almir, Mugni, Marcelo, Bressan, Thallyson e outros que esqueci, não podem jogar no Flamengo, no máximo são peças de reposição. Wallace e Samir, não passam de uma zaga mediana, que quando não protegida (Vem acontecendo sempre) é uma catástrofe.

Nosso meio campo, não arma e nem marca, e nosso ataque precisa jogar mais nos gramados do que no Barra Music ou Tradição Show. Enfim, fazendo essa analise do futebol do Flamengo, coisa que o Departamento de Futebol já deveria ter feito faz tempo, precisamos entender que é brigar para não cair. Sendo assim eu entraria com o seguinte time contra o Joinville.

CAMPO FLAMENGO 1

O Armero é obvio, ele é o nosso lateral esquerdo, e deveria ter entrado em campo ontem, já que mostrou disposição e vontade de ajudar. E além disso,  o reserva dele é o Jorge, não se deve, nem se precisa improvisar, o garoto tem mostrado futebol na base e na seleção, e tem que ter sua chance, queimar ou não depende mais dele do que do Flamengo.

Barraria o Everton, primeiro pelo seu rendimento em campo e o Alan Patrick mostrou ser mais meia do que ele, além disso, o Everton precisa saber que não é essencial. Tiraria do Canteros a obrigação de marcar, iria fechar espaço e ter mais liberdade de chegar ao ataque, como jogou ano passado, mas, também não é intocável, saindo atrás no placar, entraria com o Everton em seu lugar.

Esse é meu time para o jogo de quarta-feira, mas, além disso, eu afastaria três jogadores, vou chutar aqui, Pico, Pará e Paulinho, colocaria para treinar em separado, já que os três jogam mais fora das 4 linhas do que nos campos. Pegava os três de “Boi de Piranha”, serviria como exemplo. Até porque, apesar de ter a certeza de que o Cristovão não dura muito, e logo teremos o oitavo e quiçá o nono treinador da Gestão antes do fim do Brasileirão. Temos que parar de procurar os culpados no elenco e procurar mais acima, principalmente em quem decide pelo futebol.

Está na hora de dar um choque de realidade nesses caras, e isso passa pela Gestão do Futebol Rubro-Negro. Passou da hora de alguém colocar o “pau” na mesa e fazer uma cobrança geral, antes que a vaca vá para o brejo.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.