NA WEB
    Google+

    Flamengo 7 x 0 Fluminense: A maior goleada do Fla x Flu

    Se é pra lembrar dos 7, lembro desde 1945…

    Por em julho 8, 2015

    20150708072442Nesta quarta-feira, 08 de junho de 2015, completa-se um ano da trágica goleada de 7 x 1 sofrida pela Seleção Brasileira perante a Alemanha, no Mineirão, pela semifinal da Copa do Mundo de 2014. Um ano após o “Mineirazzo”, há quem ache que 7 x 1 foi pouco. O que se pode ter certeza é que, desde aquela data, o 7 deixou de ser um número comum na história do futebol mundial. Os brasileiros que o digam…

    Mas se é pra lembrar dos 7, o torcedor do Flamengo apresenta um motivo para se orgulhar. Não foi em Copa do Mundo, sequer em uma competição continental, muito menos nacional ou estadual. Trata-se do Torneio Municipal, hoje extinto, no longínquo ano de 1945. Foi um Fla x Flu, num dia 10 de junho, que poderia ser mais um de tantos, não fossem aqueles 7. Ah, aqueles 7… Tão inexpressivos, de modo geral, perto do vexame da Seleção Brasileira, mas da mesma forma inesquecíveis para nós, rubro-negros, que inspiramos os alemães a se vestirem de vermelho e preto. Até hoje, ninguém nunca mais fez 7 daquela maneira.

    Dois anos antes, o Fluminense havia vencido o Flamengo por 5 x 0, no Torneio Relâmpago do Rio de Janeiro de 1943, ostentando o status de dono da então maior goleada do clássico. Se momento e fase entrassem em campo, o tricolor das Laranjeiras tinha tudo pra vencer com tranquilidade o confronto do Torneio Municipal de 45. Vice-líder da competição, o Flu jogava para permanecer na briga pelo título, enquanto o Flamengo, que era o atual tricampeão carioca, não fazia uma grande campanha e precisava de uma vitória convincente pra colocar as coisas nos eixos. Convincente é pouco para descrever a vitória que viria…

    A partida aconteceu no estádio de São Januário, que, curiosamente, recebeu naquele dia vários vascaínos, que se interessavam pelo resultado pelo fato do Vasco ser o líder do Municipal. O Flamengo entrou em campo escalado com Luis Borracha, Newton e Quirino; Biguá, Bria e Jaime; Adilson, Zizinho, Pirilo, Tião e Jarbas, enquanto o Fluminense teve Batataes, Hélvio e Haroldo; Afonsinho, Pascoal e Bigode; Pedro Amorim, Simões, Geraldindo, Nadinho e Murilinho.

    Num primeiro tempo muito nervoso, o Flamengo conseguiu sair na frente com Pirilo, que foi mais esperto que o goleiro do Fluminense e pegou o rebote de um chute de Zizinho, que havia acertado a trave. Não fosse aquele gol “achado”, talvez a partida tivesse ficado no 0 x 0 antes do intervalo, pois foram poucas as chances de gol. Mas na segunda etapa… Logo aos cinco minutos, Pirilo voltou a aparecer, desta vez para cabecear a bola na trave. O goleiro tricolor fez golpe de vista, mas voltou a ser traído, pois a bola desceu e foi parar dentro das redes.

    Totalmente entregue, o Flu parou de jogar, e viu o Fla fazer o terceiro com Adilson. Tião foi o responsável pelos quarto e quinto gols. Já o incansável Pirilo ainda fez mais dois, fechando em 7 x 0 o passeio que, na manhã seguinte, seria imortalizado no ‘Jornal dos Sports’, que publicou um artigo com o título resumindo exatamente o que aconteceu: “Houve Fla-Flu apenas no primeiro tempo…”.

    page (3)

     

    Leave a Reply

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.