NA WEB
    Google+

    O Flamengo tem dessas coisas

    Por em agosto 3, 2015

    Domingo de sol, dia bonito de inverno com temperatura até elevada, mas nada que impedisse mais um show da torcida. Maracanã lotado com mais de 61 mil torcedores, pintado de vermelho e preto e disposto a levar o time a mais uma vitória. Só, que com o Flamengo tem dessas coisas. Depois de um excelente primeiro tempo, acabamos cedendo o empate na segunda etapa e o gosto de derrota foi inevitável na volta para casa.

    capa_canteros_flamengo_santos_12

    O jogo começou com o time arrumado em campo e jogando para cima de uma perdida equipe Santista. Escalada com apenas dois volantes, a equipe estava taticamente bem arrumada, as linhas bem definidas e sem deixar espaços. Os dois volantes de contenção (Canteros e Márcio Araújo), no meio de campo Alan Patrick centralizado e aberto pelas pontas Éverton (pela esquerda) e Émerson (direita), com Guerrero no comando de ataque. Foi assim que o rubro negro construiu sua vitória por 2 x 0, ainda na primeira etapa. O primeiro gol foi resultado de bela jogada individual de Alan Patrick, que com um belo chute de fora da área, abriu o placar. O segundo gol, não tardou em chegar. Canteros fez ótimo lançamento para Sheik, que bateu com violência para ampliar para o Flamengo.

    O único senão tático da primeira etapa, foi a colocação de Canteros, muito recuado, até uns 15 minutos. Depois, ajeitou seu posicionamento em campo, tanto que foi visto chutando a gol e construindo a jogada do segundo.

    Intervalo. Hora de relaxar um pouco, curtir uma boa atuação e aguardar o restante do jogo. Foi justamente aí, que o time se perdeu. Na volta, com apenas 7 minutos, o Santos abria o placar, através de Ricardo Oliveira, de cabeça. Em falha de Paulo Victor e da própria defesa, que viu o artilheiro do campeonato se deslocar pela área e cabecear sozinho. Depois, um pouco atordoado, o Flamengo ainda viu Lucas Lima empatar com um golaço. A queda de rendimento se deu mais por conta da substituição de Alan Patrick pelo inócuo Gabriel. Com essa mudança, Cristovão viu seu meio de campo perder o comando da partida e Lucas Lima jogar com tranquilidade. Depois do segundo gol, o time do Fla ainda tentou algo na base da raça e do abafa, com algumas chances desperdiçadas.

    capa_alan_patrick_flamengo_santos_07

    Mas, o resultado final foi de empate e uma sonora vaia e xingamentos para o técnico Cristovão, que não foi perdoado, por não mexer no time e acabou o jogo sem fazer as 3 alterações, sendo que uma foi apenas aos 47 do segundo tempo.

    Analisando o jogo do Flamengo com mais calma e de cabeça fria, podemos tirar alguns pontos positivos. O primeiro tempo da equipe foi muito bom. Bom posicionamento e algumas boas atuações individuais, como a de Jorge, Alan Patrick e Émerson. Contudo, o branco em um momento da segunda etapa, deixa a torcida preocupada.

    O que veremos em campo na próxima rodada? Qual a versão rubro negra estará em campo: o Médico (primeiro tempo) ou o Monstro (segundo tempo)?

    O campeonato continua com sua briga pelo G4 ainda em aberto. Vários tropeços das equipes da frente, ainda nos coloca em posição de almejar algo mais. Contudo, nossa versão Médico terá que aparecer muito mais vezes daqui para a frente.

    Leave a Reply

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.