NA WEB
    Google+

    Indignação com o futebol do Flamengo

    Por em março 28, 2016

    O Flamengo esse ano me dá tanto tesão de escrever, quanto a disposição que esse time tem para jogar, ou seja, zero vontade. Os problemas são conhecidos, a culpa não é só de Luxemburgo, Cristóvão ou Muricy. O que falta é comando, pulso e planejamento no Departamento de Futebol, e esse é nosso principal problema desde de 2014. O Flamengo parece descompromissado com a vitória. Vencer jogos virou artigo de luxo, sempre temos uma bengala. É o jogador “X” que falhou, o “Y” que não se empenha, o “Z” que faz corpo mole, ou mesmo o treinador que insiste em um esquema. Vivemos hoje de comemorar CND, Profut, patrocínios (que nem isso têm mais), avanços administrativos e financeiros.

    protesto_flamengoNão sei vocês, mas, quero ver gol! É claro que responsabilidade com as finanças, pagamento de impostos, fornecedores e folha é obrigação. Mas, já acabou a eleição para ficarmos batendo nessa tecla, apontar a falta de patrocinadores ou da Arena na Gávea que foi prometida em campanha (vejam bem, só pontuei algumas promessas, vou sair dessa seara). O que importa hoje é que o Flamengo não consegue vencer, não é cobrado para vencer e não existe um planejamento de futebol.

    Um exemplo claro é a questão da casa do Flamengo em 2016. Não me venham com não sabíamos, ou fomos pegos de surpresa. Isso é pedra cantada há uns 5 anos. Ninguém fez nada, não acharam outra solução. Moça Bonita, Arena da Ilha, Edson Passos, Volta Redonda… nada? Ou seja, não planejamos aquele que seria o melhor ano do Futebol Rubro-Negro: palavras da Diretoria. O Flamengo peitou a Federação e criou uma competição (bola dentro), sendo assim, aumentou o número de jogos e viagens do time. No final das contas, arrumamos outra bengala, outra desculpa para o insucesso dentro de campo. E pior, priorizamos o Carioqueta em detrimento da Primeira Liga, ou seja, a falta de coerência é gritante!

    O Muricy seria o meu primeiro nome para treinador? Não, mas, longe de ser o último, inclusive ele tem sido bem coerente em suas declarações, há cerca de um mês, disse que se tivesse ficado atento com a falta do Maracanã, colocaria no contrato a questão da casa, assim como fez na estruturação do CT. Um treinador que venceu uma porrada de Brasileiros, não é burro, ao menos de tudo, sabe que se você não tiver uma casa, e viajar em todos os jogos vai perder o vestiário, e além disso, vai perder atletas para o desgaste físico e/ou lesões pelos sacrifícios impostos por tudo que envolve essas viagens, não é só entrar no avião e jogar. Tem o jogador longe da família, tem toda baldeação que pegar um avião nos submete, tem a restrição de quantidade de treinos, são vários problemas decorrentes de apenas um erro. Não estabelecer uma casa no Rio de Janeiro.

    Depois de falar do erro principal, não vou nem entrar no mérito que o esquema 4-3-3 não é a solução para o Flamengo desde a época do Dorival, e isso não é só para o Flamengo é uma questão de cultura dos jogadores brasileiros que não estão acostumados a exercer função tática, não adianta tentar jogar igual ao Barcelona se o seu elenco tem a bagagem do “Bambala de Arimatéia”.

    A minha segunda grande crítica é a falta de comando dessa gestão, e isso vêm desde a saída do Pelaipe (naquela época, não me imaginava com tanta saudade). Perder não pode ser normal para o Flamengo. Jogador tem que sair na porrada no vestiário, treinador falar meia dúzia de palavrões na coletiva e a Diretoria de Futebol botar a cara e bater na mesa. E ainda tem mais um ente. Falta a torcida partir para dentro com a cobrança. Nem falo das Torcidas Organizadas. Falo do povão também faz tempo que eu não vejo a torcida do Flamengo cobrar. Está tudo muito bom, tudo muito bem, está tudo muito azul, não tem nada Rubro-Negro, passou da hora de parar de avaliar gestão e voltar a ser campeão. Ganhamos a Libertadores com salários atrasados. Ganhamos Brasileiros desta forma, mas, havia sangue nos olhos de quem envergava o manto, muito desse sangue vinha da arquibancada que não aceitava perder. O grande problema do Flamengo atual é aceitar a derrota como se fosse natural. Mas, a no nosso Hino não existe a palavra derrota, existe “VENCER, VENCER, VENCER” qualquer coisa fora isso tem que ser encarado de forma dura, pelos jogadores, departamento de futebol e TORCIDA.

    Adilio Pipoqueiro

    P.S: Escrevendo o texto vejo a notícia que alguns torcedores organizados entraram no CT para cobrar o Rodrigo Caetano, Muricy e jogadores. O que não entendi é como uma “invasão” é feita com consentimento (parece que o líder dos torcedores ligou para o gerente de futebol solicitando a entrada). Ou seja, isso é mais uma mostra da falta de personalidade dessa Direção do Flamengo, pois, das duas uma, ou até os seguranças estão putos com as últimas atuações do time, ou entrar no CT é uma bagunça.

    Leave a Reply

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.