NA WEB
    Google+

    Mugni aceita acordo de rescisão

    Sondagens não avançam, e argentino de 24 anos assina carta de demissão e encerra passagem pela Gávea. Meia deve voltar ao futebol argentino para retomar carreira

    Por em janeiro 11, 2017

    Flamengo e Mugni colocaram ponto final numa história de muita expectativa, decepções, poucos altos e muitos baixos. O jogador argentino aceitou nova proposta de rescisão contratual com o clube e vai receber cerca de R$ 1 milhão em parcelas para encerrar o vínculo que ia até o fim deste ano. Contratado em janeiro de 2014, Mugni fez 51 jogos, marcou cinco gols, mas já treinava separado do elenco desde julho do ano passado.

    – Cheguei a um acordo com o Flamengo. Estamos encerrando contrato com o Flamengo hoje – disse o jogador, rapidamente, por telefone.

    Com propostas recusadas no ano passado – quando retornou de empréstimo após litígio no Newell´s Old Boys, da Argentina – e sondagens que não avançaram este ano, o argentino de 24 anos deve voltar para a Argentina para recomeçar a carreira. Sem treinar com o grupo, o meia custou mais de R$ 1 milhão ao Flamengo no último semestre de 2016 – com salários em torno de R$ 150 mil mensais. A última partida de Mugni pelo Flamengo foi contra o São Paulo – derrota de 2 a 1 em maio de 2015, no Morumbi.

    O Flamengo tentava emprestar novamente o jogador nesse início de ano no futebol brasileiro – houve sondagens do Bahia e da Chapecoense e ofertas a outros clubes para analisar o meia -, depois de outras tentativas de rescisão rejeitadas pelo argentino. Mugni treinava em horários separados do grupo do Flamengo. Tinha à disposição preparador físico, auxiliar técnico e outros membros do departamento de futebol para manter a forma.

    O clube ainda tem dívida de direitos de imagem pelo período que Mugni jogou no Newell´s – parte desse débito estava sendo quitado parceladamente – e ainda teria quase R$ 2 milhões de salários a pagar ao longo de 2017. No fim das contas, o jogador chegou a termo final para deixar o clube em comum acordo e com desconto de menos da metade do que tinha a receber ainda do Flamengo.

    Apesar da conta alta – de R$ 1 milhão de rescisão -, a saída de Mugni representa alívio do Flamengo na folha salarial do futebol. O orçamento para 2017 previa desoneração do custo do departamento de futebol para receber novos atletas, com aumento de 20% da folha – para chegadas de reforços.

    GE

    Leave a Reply

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.