NA WEB
    Google+

    Maracanã… Casos a serem explicados

    Por em janeiro 31, 2017

    Aparentemente Sérgio Cabral foi beneficiado com o sobrepreço delatado pelos executivos da Odebrecht nas obras do Maracanã. Segundo o Ministério Público, a empresa pagou propina ao ex-governador e, como não é entidade filantrópica, repassou os valores para o preço da obra e/ou para os custos de manutenção do estádio, uma vez que integra o consórcio vencedor da licitação.

    Aparentemente, o empresário Eike Batista pagou propina ao ex-governador Sérgio Cabral usando uma operação de compra de uma mina de ouro para embutir um custo de assessoria inexistente e transferir recursos diretamente ao Uruguai, para uma conta da qual, segundo o Ministério Publico, o real beneficiário é Cabral.

    Aparentemente, o Fluminense está satisfeitíssimo com os termos do contrato feito para o uso do Maracanã em 2013, dado que a única exigência do clube das Laranjeiras é manter os termos acordados por 20 anos com o consórcio liderado pela Odebrecht.

    Aparentemente, o ex Vice-Presidente de Futebol do Flamengo, Flavio Godinho, participou das tratativas para viabilizar o pagamento da propina paga por Eike à Sergio Cabral, por esse motivo, o Ministério Público solicitou sua prisão provisória e o Poder Judiciário deferiu o pedido.

    Aparentemente, o Flamengo foi o grande “pagador” do custo-Maracanã entre 2013 e 2016, dada a satisfação do outro parceiro com o negócio (Fluminense).

    Aparentemente, o Flamengo de alguma forma, financiou a Odebrecht que financiou Cabral.

    Aparentemente, havia gente na diretoria do Flamengo que já tinha beneficiado o ex-governador em outras circunstâncias.

    Muitas pessoas, eu me incluo, consideraram que o ponto a partir do qual a nossa fórmula seria mais benéfica que a do Fluminense era uma média de público inalcançável para o elenco de um clube em reestruturação financeira (nosso contrato teve prazo de 3 anos, entre 2013 e 2016).

    Gostaria que a diretoria apresentasse agora um comparativo do borderô nesse período usando o nosso contrato e a simulação de como seria se tivéssemos feito o acordo nos moldes do Fluminense, só para não pairar nenhuma dúvida.

    Leave a Reply

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.