maracanã flamengo

Flamengo x Macaé x FFERJ

E segue a procissão do Carioqueta. Apesar de que (não sei se estou ficando benevolente) o martírio esse ano está parecendo um tanto quanto menor, com a leve enxugada que deram na fórmula da competição. Tanto que nem começou e logo ali, no Carnaval, já teremos as disputas das semifinais. Tudo bem que ninguém sabe onde vai ser, mas essa é outra questão. Do jeito que o treco é zoneado, já saber o quando não deixa de ser uma boa notícia.

Após a vitória de encher os olhos sobre o Boavista no sábado, um colírio para as pouco mais de nove mil testemunhas na Arena das Dunas em Natal, o nanic… Ops… O adversário da vez é o Macaé.

Do lado de lá… Do lado de lá… O Macaé chegou para o Carioqueta com uma fórmula mágica parecida com a do Boavista. Um técnico de nome, Renê Simões, e um punhado de jogadores rodados e conhecidos que já passaram por grandes equipes do futebol brasileiro. Conta também como item curioso, com a repatriação de Romarinho, filho do Baixinho, após passar um tempo jogando no Japão. Hmmm… Magias harripotteanas à parte, o começo teve mais cara de Plano do Cebolinha que de qualquer outra coisa. Perdeu de virada para o Madureira, com o golpe final decretado aos 48 minutos do segundo tempo.

Flamengo vai para o Raulino de Oliveira com praticamente a mesma equipe do último jogo. A única alteração deve ser a entrada do Éverton no lugar do Adryan. Isso para o início de conversa, porque no segundo tempo todos aguardamos as substituições mágicas do Zé Ricardo… Se elas forem necessárias. Daí a Torcida Organizada Redes Sociais do Ódio tem duas alternativas: Comemorar em caso de vitória, ou crucificar o treinador e decretar o rebaixamento iminente em caso de tropeço.

Tomara que a torcida de Volta Redonda e região dê as caras no Raulino em bom número. Pode até ser que aconteça, dadas as novidades da primeira vez de Diego e Trauco por lá. Quanto mais gente… Mais ameniza o provável prejuízo financeiro, dados os abusos das divisões de grana ferjianas. O acinte é tanto que o Flamengo no final de semana resolveu passar do campo teórico para o literal, e não assinou o borderô do confronto contra o Boavista, por discordar de uma taxa singela de R$ 50.000,00 cobrada pela FFERJ para jogos disputados fora do Estado do Rio. E isso nem foi o motivo da atitude, já que o clube efetivamente pagou a tal taxa de forma antecipada… Que misteriosamente não é citada na movimentação financeira da partida, motivo do espaço em branco onde deveria caber o nome de algum representante do Flamengo.

E sobre o confronte de hoje à noite… Vamos combinar uma coisa. Com a chegada do Berrío, imagens da Arena da Ilha começando a tomar forma,  alguns jogos da pré na televisão… A gente vê o Carioqueta com os olhos. Mas o pensamento já ta lá no dia 8 de março, dia da nossa estreia contra o San Lorenzo. Pro Carioqueta nosso coração só deve olhar mesmo nos dias de jogos contra os três eternos candidatos a maior rival.

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.