NA WEB
    Google+

    @Alex10: ‘Entrei na onda. Erro meu’

    Por em fevereiro 7, 2017

    Em tempos de redes sociais e que a palavra da moda é engajamento, poucas celebridades sabem usar o Twitter tão bem quanto o ex-jogador Alex (@Alex10). Com passagem vitoriosa por diversas equipes, tais como Cruzeiro e Palmeiras, no Brasil, além de uma idolatria na Turquia, Alex mostra ser de um caráter e personalidade diferenciada. O ex-meia que atualmente integra o movimento do Bom Senso F.C. e é comentarista de televisão, atua no Twitter de forma louvável. Sempre respondendo com educação e coerência aos questionamentos feitos em seu perfil, Alex vai interagindo e não foge de assuntos polêmicos.

    No último Sábado (04 de fevereiro), fiz um questionamento através de meu perfil (@leoargonio) a ele a respeito de sua apagada passagem pelo Flamengo e se ele fosse jogar no clube Rubro Negro atualmente, com uma estrutura melhor e mais profissional, teria conseguido mais sucesso. Alex respondeu que seria diferente, mas ao mesmo tempo, disse que não foi profissional e se comportou de forma inadequada, devido a grande bagunça reinante no departamento de futebol, na sua época.

    Apenas para relembrar, Alex teve uma breve passagem pelo Mais Querido no ano 2000, jogando apenas 12 partidas e marcando 3 gols. Com um super time sendo montado, depois de receber uma injeção financeira vindo da empresa ISL, a torcida rubro negra via com expectativa um super elenco sendo montado com Gamarra, Denílson, Petkovic, Juan e o próprio Alex. Depois de pouco tempo, a decepção tomou conta e os resultados não foram visto em campo. Após breve passagem, Alex seguiu sua carreira e fez sucesso, que o levou a um patamar de ídolo na Turquia.

    Em seu livro biográfico (Alex, a biografia), Alex comentou sua passagem pela Gávea:

    “No que entrei na Gávea e vi o vestiário, pensei: cacete. Cheirava a mofo. A estrutura da Gávea era horrível, o campo era horrível. Ninguém queria nada… Foi o melhor elenco no qual já estive, mas como time não se encaixava. Nem treinava pra se encaixar. Não havia comprometimento. Não existia comando de cima pra baixo. Concentração, só na teoria…”

    Contudo, ao responder o tweet de forma sincera e colocando uma parcela de culpa em seu próprio comportamento, Alex joga luz sobre um problema recorrente e que já vimos algumas vezes no Fla. Quem não se lembra do melhor ataque do mundo (Sávio, Romário, Edmundo)?

    No início desse ano, vemos um elenco forte sendo montado para a disputada da tão sonhada Libertadores da América. Muito torcedores, especialmente os mais antigos, começam a colocar o pé atrás e se questionar se dará certo. Hoje, passamos por outros tempos na Gávea. Sem querer discutir a competência e os méritos (ou desméritos) do atual departamento de futebol, vemos um cenário muito mais profissional pelos lados do Fla. Cabe ao departamento de futebol, contando com Zé Ricardo à beira do campo, Rodrigo Caetano nos bastidores e, sem esquecer o elo entre eles, o ex-zagueiro Mozer, conseguir fazer um ambiente harmonioso e com que todos possam mostrar o seu verdadeiro futebol e levar o Rubro Negro novamente ao seu lugar de destaque no futebol mundial.

    Leave a Reply

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.