Google+

Maraca passa no teste da reabertura e Flamengo planeja mais jogos na Libertadores

Maioria dos torcedores têm acesso rápido ao estádio e clube age rápido para resolver problemas na leitura de cartões de sócios. Serviços funcionam. Gramado é ponto falho

Por em março 9, 2017
maracanã lagardère

A goleada por 4 a 0 sobre o San Lorenzo não foi o único triunfo do Flamengo na noite desta e quarta-feira no Maracanã. A organização rubro-negra, antes e após a bola rolar, foi positiva. E o destaque ficou por conta da rapidez com a qual rubro-negros entraram no Maracanã, anunciado como sede da partida apenas 14 dias antes do duelo em acordo pontual.

A diretoria flamenguista, aliás, espera fazer novos acertos para enfrentar tanto Universidad Católica quanto Atlético Paranaense, seus outros rivais no Grupo 4 da Libertadores, no Maracanã – dias 12 de abril e 3 de maio, respectivamente. Em meio ao imbróglio que envolve a disputa da GL Events/CSM, parceira do clube, e Lagardère, concorrentes a assumir o estádio, a negociação precisa passar pelo Consórcio Maracanã.

Para colocar o Maracanã a postos novamente, o Flamengo montou força tarefa com 150 funcionários e investiu cerca de R$ 2 milhões na manutenção, reposição de cadeiras e demais estruturas do estádio. A renda de pouco mais de R$ 3,6 milhões pagou a operação com sobras. O borderô da partida deve ser divulgado pelo Flamengo durante esta quinta-feira.

Estádio limpo e acesso tranquilo

Desde a abertura dos portões, às 18h45, até o intervalo, torcedores conseguiam acessar o estádio sem maiores dificuldades. Confira abaixo imagem do estádio a 14 minutos antes de a bola rolar. Os torcedores do Flamengo chegavam ao Maraca aos gritos, mas, sob a perspectiva de quem estava dentro do estádio, não se observava qualquer tipo de desordem na parte externa.

Problemas com cartões solucionados

Houve problemas, sim, com o acesso de alguns sócio torcedores. Portadores de cartões novos, antigos ou danificados não conseguiram entrar de primeira, porém uma equipe de quatro mulheres resolveu o problema.

Vinte e cinco minutos antes de a bola rolar, o número de cartões não lidos era superior a uma centena, mas dificilmente alguém era barrado.

Gramado ruim

Para quem assistiu à partida da arquibancada, ficaram escancaradas as condições ruins do gramado do Maracanã. Estado este, que, segundo o técnico Zé Ricardo, deve ser minimizado pelo esforço da diretoria rubro-negra em colocar a partida no estádio que a torcida flamenguista sempre chamou de seu.

– Treinamos ontem (terça-feira) e percebemos que não estava 100%, mas comparado a o que vimos dias atrás, foi feito um esforço muito grande. Sem dúvida que interfere um pouco, mas na prática não foi tao prejudicial assim. Esperamos que nas próximas partidas no Maracanã (o gramado) esteja em condições perfeitas, como sempre esteve. Tem que ser enaltecido tudo que foi feito. Por proporcionar festa tao grande que a torcida fez, é um problema que a gente deixa passar – afirmou o técnico.

Diego e Gabriel também reconheceram que o estado do campo não era dos melhores. E repetiram o discurso do técnico Zé Ricardo.

– Claro que perde um pouco na qualidade de jogo (o gramado), mas deve ser enaltecido o esforço para reabrir o estádio. Não é só mais um estádio, é um templo do futebol mundial, que deve ser bem tratado e respeitado. Mas precisava de dois, três toques para controlar a bola – comentou o camisa 10 do Flamengo.

GE

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.