Google+

Nação Rubro-Negra, exponha a sua paixão

Por em março 21, 2017
flamengo

Vivemos na era da Informação. Atualmente, é impossível imaginar algum empreendedor/gestor tomar uma decisão, sem um estudo prévio de dados históricos. Seja com o auxílio de um banco de dados, seja com o auxílio de algum modelo matemático.

Acontecimentos geram fatos, e fatos geram informação. E obviamente, a informação deve ser interpretada por quem a lê.

Não posso negar a importância da informação, afinal de contas, se assim o fizesse, estaria indo contra a minha própria formação. Pois, Analistas de Sistemas têm por missão, desenvolver sistemas (softwares) que auxiliam na segurança, na gestão e na análise da informação.

Com a redução dos custos de produção e distribuição de produtos tecnológicos, cada vez mais à sociedade tem acesso à smartphones, tablets e notebooks… E obviamente, o acesso à informação através da internet, torna-se uma atividade cotidiana para todos nós.

E o que tudo isso tem a haver com o futebol? Muito simples meus amigos e amigas: a era da informação chegou ao futebol.  

Aquele torcedor (raiz) que em casa ou no estádio, se preocupava apenas em envergar o Manto Rubro Negro para torcer de forma apaixonada pelo o Flamengo, está cada vez mais raro. Não por conta do tamanho da torcida, pois a nação Rubro Negra cresce ano após ano, e sim pelo novo “modelo frio de torcer”.

É cada vez mais comum, a presença de torcedores nos estádios que estão mais preocupados com as estatísticas que aparecem em tempo real no seu smartphone, do que torcer de forma efusiva. Ou seja: cantando, vibrando ou simplesmente cornetando o time com o colega de arquibancada ao seu lado

O famoso “radinho” também não existe mais. Tal equipamento a época, servia apenas para escutar os grandes locutores da época de ouro do rádio. Pois nem mesmo aqueles jornalistas tinham acessos a tantas informações em tempo real como temos atualmente.

A famosa resenha esportiva do bar, da arquibancada, da padaria e do churrasco, foi totalmente modificada. Ao invés da tiração de sarro ou daquela cornetada no jogador que será titular durante à partida, hoje temos discussões acaloradas sobre:

– Quantos vezes o atacante chutou no canto inferior do lado direito do goleiro na partida de ontem e na partida da semana retrasada.

– Em que posição do ranking nacional o meia direita está no quesito “atrasada de bola para o volante” no Brasileirão.

– O meio campista que cabeceia mais bolas pra fora do que os meias dos times da Champions League.

– Quantos quilômetros por partida o atacante corre na diagonal.

– Quantas vezes o zagueiro bateu na bola com o “pé trocado” no segundo tempo. 

E por aí vai… 

Esse curioso fenômeno é derivado de muitos programas que falam sobre esporte. É óbvio que pessoas que trabalham com informações concretas, devem se basear nos fatos para que seja possível, a construção de reflexões, estudos, etc… Entretanto, o torcedor é motivado por paixão. E por isso, PODE E DEVE achar que o time está uma merda no dia de hoje, e no domingo seguinte, com uma vitória sofrida de 1 a 0 ele possa soltar o grito de:  Rumo à Tóquio!!! 

Deixe um pouco a planilha e o scout de lado, vista a camisa do Mengão com a sua cueca da sorte e torça na sua plenitude. Seja na arquibancada, seja no bar com os amigos ou com os familiares no churrasco. Grite, vibre, cante, chore e sorria de alegria pelo Mengão! Exerça a alegria de ser Rubro Negro.

Concentremos o uso da estatística e do software, para realizar a contagens de nossas incríveis glórias e títulos. Pois com toda a certeza, nós precisaremos sempre.

Saudações Rubro Negras.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.