NA WEB
    Google+

    Arena da Ilha: Capacidade, custos e o que falta fazer

    Por em março 24, 2017

    Uma casa rubro-negra com certeza! Na parte externa, a fachada ainda carrega as cores da Portuguesa. Mas basta entrar no Estádio Luso-Brasileiro, na Ilha do Governador, para ver que agora o vermelho e preto predomina por lá. Até mesmo o verde da anfitriã foi substituído pelo vermelho. Após 82 dias de trabalho desde que o Flamengo assumiu a reforma do estádio, a identidade do clube começa a ser notada. O conceito de ”caldeirão” proposto no projeto também é nítido, com a proximidade entre arquibancada e campo. E por mais que os únicos ruídos escutados ainda sejam das britadeiras e tratores, já é possível visualizar o que a torcida pode esperar da nova casa e, principalmente, fazer dentro dela.

    arena da ilha

    Na semana em que o Flamengo se distanciou ainda mais do Maracanã – o consórcio Lagardère fechou acordo para gerir o estádio – a Arena da Ilha se torna ainda mais revelante para o decorrer da temporada do time.

    Capacidade e divisão dos setores

    Segundo a última atualização do projeto, a capacidade da Arena da Ilha é de 20.113 pessoas. O número pode sofrer alterações após reestudos e inspeções obrigatórias, como a dos bombeiros, por exemplo, mas ficará nesta média.

    A Arena será dividida nos setores Norte, Sul, Leste e Oeste. O Setor Oeste corresponde à arquibancada social, estrutura permanente do estádio da Portuguesa. O Setor Norte, atrás de um dos gols, será destinado aos ingressos populares, onde os torcedores assistirão às partidas de pé. O Setor Leste, por sua vez, na lateral oposta ao social, será repleto de cadeiras. Já o Setor Sul, sem cadeiras, será subdivido em duas áreas, um para os torcedores rubro-negros, outro para a torcida visitante. Haverá também camarotes e lugares reservados para cadeirantes e seus acompanhantes.

    Situação atual x O que falta fazer

    As arquibancadas provisórias já estão montadas. Estão sendo colocados assentos vermelhos e pretos nos setores Leste e Sul, destinados à torcida rubro-negra. As laterais e os fundos de todas as estruturas serão todos cobertos com lonas, como esta em que aparece o escudo do Flamengo.

    Ainda há muitas obras em andamento. Atrás do Setor Norte está sendo finalizado um estacionamento. Entre os setores Sul e Leste será colocado um telão. Atrás do Sul será montado um túnel para que a torcida visitante acesse seu setor sem ter contato com a torcida da casa. Já atrás do Leste é onde a obra demanda mais trabalho. Devido a uma passagem fluvial na área, foi preciso reconstruir uma tubulação no local.

    Segundo o clube, porém, o principal motivo da demora são as instalações das torres de iluminação: serão quatro gigantes estruturas de ferro, uma em cada quina do campo. Fora isso, há também todo o serviço de acabamento.

    – O que mais falta, e é até visível, são as colocações das torres de iluminação, o telão, e o acabamento de alguns vestiários, fechamento das (laterais) das arquibancadas com lonas, e a parte final atrás do Setor Leste, que é a área de convivência, com alimentação, banheiro, etc., onde há um trabalho sendo finalizado naquela área. Mas o principal hoje é iluminação – disse Marcelo Frazão, diretor de novos negócios do clube.

    Previsão de inauguração

    O Flamengo chegou a cogitar disputar a estreia na Libertadores, 8 de março, na Arena da Ilha. Posteriormente, devido ao andamento das obras, esta opção se provou inviável. Paralelamente, o clube havia entrado em um acordo para levar a partida para o Maracanã, onde acabou ocorrendo. E a tendência é que o próximo compromisso do time na competição internacional, contra o Atlético-PR também seja lá.

    O Rubro-Negro não estipula uma data para a inauguração da Arena. Porém, a expectativa é que o local esteja pronto entre o fim de abril e o início de maio. Com isso, poderia receber o jogo válido pela quinta rodada da Libertadores, contra o Universidad Católica, dia 3, ou as primeiras partidas do Brasileirão, no dia 15 em diante.

    – Havia uma série de questões. É uma estrutura que começamos do zero – na verdade começamos negativo: tivemos que tirar uma estrutura existente, aguardar a limpeza da área dessa estrutura para iniciarmos um trabalho completamente novo. Tivemos um cuidado de nunca cravar uma data de abertura. Obra é um negócio completamente dinâmico – você tem um atraso de um lado, um processo que é um pouco mais rápido do outro… E tem o calendário que, a partir de agora em abril, tirando o jogo da Libertadores, contra o Atlético-PR, haverá somente clássicos, a princípio, no Carioca, que não seriam jogados aqui. Então, provavelmente, a estreia fique para maio, para o terceiro jogo da Libertadores, contra o Universidad Católica, ou já no Brasileiro.

    Cadeiras Rubro-Negras

    As cadeiras dos setores Leste e Sul serão nas cores vermelho e preto. Curiosidade: o clube tomou o cuidado de respeitar a ordem e as proporções das listras do escudo. Primeira linha preta, seguida da vermelha, diminuindo as expessuras da faixa na parte debaixo.

    Já as cadeiras da estrutura fixa do estádio eram verdes e vermelhas, cores da Portuguesa-RJ. O Fla entrou em acordo com o time local para pintar todas de vermelho, cor em comum entre os dois clubes. O Rubro-Negro não fará intervenções nesta parte, além da pintura das cadeiras. Já os vestiários passarão por reformas e atualmente estão sendo usados pelos funcionários que trabalham na obra.

    Separação e túnel para segurança da torcida visitante

    O Flamengo considera um entendimento com o Gepe (Grupamento Especial de Policiamento em Estádios) fundamental: a separação de arquibancadas no Setor Sul. Assim, possibilita-se uma presença ainda maior de rubro-negros no estádio. E, segundo Frazão, a segurança do adversário, mesmo posicionado a metros dos flamenguistas, já está definida. Haverá um túnel por trás da arquibancada que ligará a entrada ao setor dos visitantes, impedindo o contato entre as torcidas.

    – O Gepe foi consultado sobre a disposição do setor visitante em estrutura de arquibancada independente e com acesso exclusivo e protegido através de túnel, o que viabilizará o setor Sul Flamengo, com nossa torcida presente atrás de ambos os gols. Seguimos com a acomodação de estacionamento para ônibus de visitantes dentro do estádio, seguindo também as recomendações do grupamento. Tivemos todo um cuidado e investimento para um aproveitamento maior do estádio, para aumentar a capacidade e ainda assim garantir a segurança do visitante, porque caso contrário não teríamos torcida do Flamengo no setor sul.

    Gramado

    Segundo o Flamengo, o gramado será um dos pontos altos da Arena da Ilha. Pronto há semanas, ele impressiona pela cor e pela aparência de regularidade. A marcação das linhas será feita mais para frente. As dimensões são de 105cm x 68cm, o famoso “Padrão Fifa”. Em volta dele, porém, ainda há muitas obras em andamento.

    – Está no mesmo padrão do que costumava ser o Maracanã – o gramado hoje aqui está muito melhor do que o do Maracanã -, mesma dimensão. Então acho que vai ser um dos pontos altos do estádio. Está incrível – afirmou Marcelo Frazão.

    Proximidade do campo

    Os torcedores que sentarem nas primeiras fileiras ficarão muito próximos do gramado. A distância entre a arquibancada e o campo é de 7,5m atrás dos gols, de 5m do lado Leste e de 10m do lado Oeste. Além disso, não haverá redes nem grades separando a torcida do gramado, o que abriria margem possíveis invasões. Seguranças serão colocados ao redor do campo.

    De acordo com o diretor de novos negócios do clube, o Rubro-Negro preferiu assumir o risco, para proporcionar uma experiência diferente para o torcedor. Paralelamente, o Flamengo tem feito um trabalho de conscientização dos torcedores, incluindo até reuniões com organizadas, para solicitar um comportamento na Arena que evite punições futuras ao clube.

    – O torcedor sabe que o clube será prejudicado em caso de uma atitude errada. E aqui nós tínhamos um dilema: se proteger desse tipo de comportamento e fazer com que a experiência do torcedor fosse pior, ou termos a ousadia de fazer um estádio nos moldes de um estádio pequeno europeu, onde o torcedor está muito próximo do gramado, melhorando a experiência dele. Contamos com a colaboração do torcedor, que ele tenha um comportamento sem invasão, sem tacar coisa no gramado, porque isso puniria o próprio clube. Nós achamos que tomamos a decisão correta: de priorizar o torcedor de bom comportamento, que será aquele que terá uma experiência talvez única no Brasil – explica Frazão.

    Sócios-torcedores serão maioria

    Com gratuidades previstas em lei e torcida visitante, a diretoria do Flamengo estima que venderá cerca de 16 mil ingressos para sua torcida em jogos na Arena da Ilha. Diante de tal panorama, o clube espera por partidas em que o público será composto integralmente por sócios-torcedores. O clube, aliás, acredita que isso estimulará que associados busquem “upgrades” em seus respectivos planos a fim de garantir prioridade para compra de bilhetes.

    Custo da Arena da Ilha

    O Flamengo aprovou empréstimo de R$ 12 milhões em 4 de janeiro para investimento na Arena da Ilha. A possibilidade de retorno deste investimento cresce com a possibilidade de Rubro-Negro mandar a grande maioria dos seus jogos no Brasileiro e na Copa do Brasil no local, já que o Maracanã passa a ser opção mais inviável com a entrada da Lagardère, empresa que assumirá a concessão do estádio e à qual o Fla faz pública oposição.

    Acesso

    A Arena é localizada em uma área residencial da Ilha do Governador, bairro da Zona Norte do Rio de Janeiro. Os acessos para os setores Norte, Leste e Sul, comuns à torcida do Flamengo serão através da Rua Professor Henrique Roxo. Já o visitantes entrarão pela Rua Gustavo Augusto de Rezende.

    GE

    Leave a Reply

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.