NA WEB
    Google+

    ‘Dia do Trabalho’ do Zé Ricardo

    Por em maio 1, 2017
    zé ricardo

    Ufa… Ganhamos.

    E mais que isso, ganhamos jogando bem. Muito bem observou o Abel: No primeiro tempo a diferença das atuações das equipes foi tão gritante que o Flamengo poderia ter liquidado a fatura ali mesmo. Mas Clássico é Clássico e vice-versa, e a vitória por placar mínimo constrói vantagem importante para o derradeiro ato do Carioqueta no próximo domingo.

    Claro que não vai ser fácil. Dificilmente os comandados do Abel terão desempenho tão sofrível outra vez. Porém… Porém… Como precisam correr atrás do resultado, é bem possível uma tentativa de pressão inicial, assim como fizeram no retorno do intervalo. O que pode muito bem abrir espaço até maior para a correria do Everton e do Berrio (tomara que o Zé não reinvente Gabriel) e a precisão do Guerrero lá na frente.

    A Fla-Anti-Fla amanheceu um pouco mais calma nessa segunda. Lá pelo Twitter presenciei momento curioso de falsidade extrema. Alguém por lá, basicamente, se é que vocês vão entender a filosofia, estava reclamando porque a gente reclama que eles reclamam muito. Complicado? Vê se assim melhora: Claro que a gente atura a ladainha e a choradeira dos corneteiros mimados toda vez que os três pontos não param na nossa conta. Claro também que a gente dá uma ironizada na turma do “tá tudo errado” sempre que pode. Daí o cara lá saiu com mais ou menos um “Tá de sacanagem que tem torcedor ironizando os torcedores mais críticos? Bora comemorar. Todo mundo é Flamengo”. Não é literal, mas a ideia é mais ou menos essa aí.

    Em campo o time se mostrou muito bem na sequência da Nossa Vida Sem Diego Ribas. Importante saber que dá pra jogar bem, ASSIM COMO O TIME FEZ NA ARENA DA BAIXADA, mesmo sem nossa principal peça do elenco. Sempre vai ser necessário. Hoje o Rio amanheceu sorrindo. Por um detalhe. O placar magro de 1 x 0 acalmou os haters, mas bastava aquela bola providencialmente tirada pelo Vaz ter morrido no fundo das nossas redes… Que tudo seria diferente e tanto o zagueiro como o técnico estariam no foco do apedrejamento virtual. Mesmo que todos os outros lances e detalhes da partida fossem rigorosamente os mesmos. Daí a gente já tira que volta e meia a análise do torcedor tem a mesma maturidade de uma criança de 5 anos da qual foi tirado algum brinquedo ou doce. Boa sorte para o Renato Chaves se a #FluTT for tão ácida e odiadora.

    Nem vou pesquisar, mas os números do Zé Ricardo no comando do Flamengo continuam excelentes. Pro fluminenCe levar a taça no tempo normal, terá que fazer algo que não ocorre há 44 jogos: fazer o Mais Querido perder por uma diferença de dois gols. E olha que, mesmo esse último, foi atuando com reservas naquela nossa lamentável partida contra o Figueirense em Florianópolis.

    Garantido? Não. Temos o Melhor Técnico do Mundo? Também não. Assim como não temos os melhores goleiros, laterais, zagueiros, volantes, meias e atacantes do Planeta Bola. E nem nunca vamos ter, dada a superioridade financeira dos Europeus (e se já não bastasse, ainda tem a China). Porém… Porém… É pro Flamengo que a gente torce. E o apoio tem que ser incondicional, porque quando a bola rola é o Manto em campo, seja lá com que jogadores o mesmo esteja recheado. Uma coisa está bem ao alcance: Ser a Melhor Torcida. E nem precisa muito, basta torcer a favor.

    Leave a Reply

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.