NA WEB
    Google+

    Zé Ricardo destaca “poder de superação” do Flamengo

    Por em maio 4, 2017
    zé ricardo

    A vitória sobre a Universidad Católica veio no segundo tempo e deixou o Flamengo em boa situação no grupo 4 da Libertadores – a equipe precisa de um empate na última rodada para avançar às oitavas sem depender de outro resultado. E o técnico Zé Ricardo destacou o empenho de seus comandados na partida em entrevista coletiva concedida no Maracanã. Para ele, foi fundamental saber se comportar após o gol de Santiago Silva, que empatou o jogo aos 22 minutos da etapa final.

    – Sem dúvida um passo importantíssimo, pena que a classificação não veio hoje, mas ficamos felizes pelo grupo. Dificuldades para uma equipe que vem jogando partidas decisivas, mas a maior dificuldade foi a Católica, equipe extremamente técnica, com quatro jogadores muitos bons na frente. Poder de superação muito grande, principalmente após o gol de empate – resumiu.

    zé ricardo

    O Flamengo precisa de apenas um empate contra o San Lorenzo, na última rodada, fora de casa, para avançar na competição continental. E mesmo em caso de derrota a vaga pode vir: basta o Atlético-PR não vencer a Universidad Católica no Chile. Os últimos jogos do grupo 4 estão marcados para o próximo dia 17, às 21h45 (horário de Brasília).

    QUATRO LATERAIS EM CAMPO NO FIM

    – Na verdade, Renê e Trauco não é novidade, é a terceira ou quarta partida nesse expediente. Rodinei também, inclusive na estreia ele fez a dobradinha com o Pará. De uma forma menos sistemática, eles fazem isso no dia a dia. Rodinei tem uma saúde invejável. Renê sabe do quanto utilizamos esse artifício.

    Everton fez um jogo em seu limite máximo, e sabemos que Miguel tem característica de meio-campista para jogar perto do Guerrero pela proximidade e conhecimento que eles têm. Rodinei fez o gol no rebote da falta. Miguel aproveitou no final. Conseguiu aproveitar no final. Quando penso que minha avaliação de admiração por eles chega ao limite, eles mostram que tenho que admirá-los mais ainda.

    MUDANÇA NO INTERVALO (RODINEI NO LUGAR DE MANCUELLO)

    – Procurei saber o quanto estava o jogo, mas não passei para os atletas. Queríamos ganhar um volante de meio, porque os dois da Católica estavam jogando muito fácil. Foi um perde e ganha, e a segunda bola ficava sempre com a Católica. Isso ficou um jogo sem controle pra gente.

    Sempre um risco você sair muito rápido. Perdemos uma bola e colocamos a bola para eles. Mancuello tomou pancada no joelho, inchou um pouquinho no intervalo. Trouxemos Gabriel para o meio, já que fez isso contra Atlético e Botafogo. Às vezes pode dar certo ou não, mas conseguimos o controle no segundo tempo até os 20 minutos do segundo tempo.

    SOFRIMENTO?

    – A Católica, com as mudanças, conseguiu nos pressionar, ainda bem que conseguimos o gol com o Guerrero. No primeiro tempo poderíamos ter controlado um pouco mais do jogo. Tivemos algumas oportunidades no primeiro tempo, mas infelizmente Toselli foi bem, principalmente quando saiu de frente com Guerrero. No segundo, conseguimos controlar um pouco mais. A questão de sair gol no primeiro ou no segundo tempo. Estamos de parabéns.

    ANÁLISE DA TEMPORADA

    – Se formos observar bem, estamos no mês 5. Estamos no quarto mês da temporada. Temos muito a crescer em todos os aspectos. Se a gente chegou até aqui, é porque temos merecimento. Se chegamos às finais do Carioca e até aqui na Libertadores, sabíamos que teríamos jogos difíceis. Esse grupo nos deixa muito orgulhoso. A gente ainda tem a evoluir, e eu espero que possamos evoluir no sentido de estar mais próximo de uma equipe que a gente pensa que possa ser vencedora.

    MÉRITO PELOS RESULTADOS

    – Contamos com uma comissão muito dedicada, com professores Jayme de Almeida e Cleber dos Santos. Pessoal da preparação física, da fisiologia. Temos muitos profissionais muito identificados e sabedores do que têm de fazer. Cada um tem seu mérito. O que fazemos é responsabilidade minha, mas todos nos passam detalhes.

    RODINEI PARECIDO COM BERRÍO?

    – Essa era a intenção. Na saída do Berrío e do Cirino, ficamos sem essa opção mais aguda. Rodinei se prontificou desde o início a fazer isso. Com as bolas chegando mais ao Paolo, precisamos preencher as saídas com as triangulações, Rodinei finaliza forte, tem bom cruzamento. Entendíamos que podia dar.

    GE

    Leave a Reply

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.