NA WEB
    Google+

    Zé Ricardo vibra com primeiro título no profissional

    Por em maio 7, 2017
    zé ricardo

    A conquista do Campeonato Carioca pelo Flamengo, neste domingo, após a vitória de virada por 2 a 1 sobre o Fluminense, no Maracanã, foi especial para o técnico Zé Ricardo, que tem agora seu primeiro título profissional. Antes de ser surpreendido pelos jogadores, que invadiram a entrevista e lhe deram um banho de água, o comandante rubro-negro destacou o merecimento de sua equipe para levantar a taça.

    – É uma emoção única. Realização pessoal, profissional… E de um clube que vem mostrando um crescimento, com pessoas sérias. Fazer parte desse momento é prazeroso, e gostaria de dividir com todos os flamenguistas e em especial ao presidente pela oportunidade. Sabíamos que a tensão era grande e prevaleceu o merecimento para trazer essa taça para Gávea. Graças a Deus deu tudo certo – disse o técnico.

    O Flamengo volta a campo na próxima quarta-feira, novamente no Maracanã, para enfrentar o Atlético-GO pelas oitavas da final da Copa do Brasil.

    Gol sofrido no início

    – Sem dúvida, foi o pior cenário para o início. Hoje o Fluminense começou num ritmo forte e acabamos nos descuidando. Sentimos, e administrar não foi fácil. Mesmo com atletas experientes. Jogo ficou aberto. No segundo tempo equilibramos isso, conversamos no intervalo. Graças a Deus deu tudo certo.

    Sentimento campeão

    – Estou muito feliz. Eu nasci, cresci e fui criado ao lado do Maracanã. Frequento desde os 7 anos de idade. Minha cabeça não parava de pensar. Pouco dormi. E a preocupação também era o Flu, o Abel Braga. Quando a gente vê grandes finais, tem sempre um grande adversário. Tínhamos um campeão mundial dirigindo o Fluminense. Falei com Abel que era um prazer dividir esse momento mágico. As emoções foram de misturando. Queríamos que a equipe mantivesse calma e equilíbrio e tentei passar isso.

    zé ricardo

    Sua invencibilidade no Maracanã

    – Pedi para que os deuses do futebol adiassem essa derrota. Não consigo descrever totalmente a alegria e a emoção que estou sentindo.

    Agradecimento a Jayme de Almeida, Muricy e Zagallo

    – Ele é super importante na comissão técnica. Não temos nível de importância. Nos tratamos com muito respeito e carinho e quis falar. É muita gente para agradecer. Queria fazer duas menções. Primeiro ao Muricy Ramalho, que por um motivo de saúde deixou o projeto. Sempre me deu apoio. A outra é o Zagallo. Através de um amigo, o conheci pessoalmente. Também me deu palavras carinhosas. Guardei comigo. Isso nos dá força. Porque passamos por momentos difíceis.

    Próximos passos

    – Antes do Brasileiro temos a Copa do Brasil. Vamos ter uma folga amanhã,. Terça vamos ver quem está em condições. Temos desafio enorme na Argentina dia 17, contra o San Lorenzo. São tarefas que a gente precisa conversar. Mas são objetivos do clube e com certeza vamos tomar a melhor decisão.

    Banho de água dado pelos jogadores

    – Réver disse que tinha um motivo especial, mas não posso dizer o que ele falou (risos).

    Merecimento do time

    – É o merecimento de um grupo que trabalha demais, que se adora. Brigam diariamente pelas posições no campo e tem um comprometimento e intimidade fundamental para fazer uma equipe desenvolver.

    Importância do título neste ano de grande expectativa

    – Se fosse o Zé ou outro treinador, a cobrança pelo título seria grande. Não pode o Flamengo ficar dois, três anos sem ganhar taça. Somos alimentados por vitórias. Coube a mim capitanear a parte técnica e contar com um grupo talentoso, que sabe das suas limitações também. E que está aprendendo a sofrer quando precisa.

    Guerrero protagonista

    Guerrero tinha que marcar história aqui no clube. Fico feliz por ele também. Ano passado falei para o Paolo tudo que pensava, que contava com ele e que nosso time jogaria para frente. Que um grande atacante tinha que está ali, e esse atacante é o Guerrero.

    Estratégias na final

    – Fomos para o intervalo com avaliações do primeiro tempo. Berrío não conseguiu desempenhar como foi semana passada. Trauco foi sacrificado, esperávamos contar com Romulo. Mancuello também não se recuperou a tempo para estar conosco. Romulo sentia dores, decidimos colocar o Trauco por dentro, mexendo o mínimo possível, colocando Renê e Everton fechando setor esquerdo. O Miguel fez o que pôde, mas vi que ele não conseguia desempenhar muito a função. Tentamos mudar, e usamos a arma do Rodinei mais uma vez. E o Gabriel entrando numa sobrecarga nas costas do Lucas. Conseguimos uma ou duas vezes, mas não ficou tão claro. O Gabriel taticamente ajuda demais. É cobrado, às vezes demasiado, mas sabe que Flamengo é assim. Entrou concentrado e achou um passe por dentro para o Rodinei e conseguimos a vitória.

    GE

    Leave a Reply

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.