Google+

Bandeira admite problema que gerou atraso e confirma data de estreia da Arena

Por em junho 2, 2017
bandeira

“Arena do Flamengo“: este será o nome da nova casa que o Rubro-Negro preparou na Ilha do Governador para ser uma opção alternativa ao Maracanã para sediar suas partidas pelos próximos três anos pelo menos. O clube carioca alugou o estádio Luso-Brasileiro, da Portuguesa, reformou o local e construiu estruturas temporárias para poder utilizá-lo como opção para mandar seus jogos.

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, e a secretária de esportes da cidade, Patrícia Amorim, ex-presidente do Fla, estiveram presentes na cerimônia realizada na manhã desta sexta-feira, e foram recepcionados por Eduardo Bandeira de Mello, atual mandatário rubro-negro. Bandeira ressaltou que a arena não é uma solução definitiva para o clube, mas destacou o projeto:

– É com um prazer enorme que recebemos hoje o nosso prefeito Marcelo Crivella, que tem sido parceiro em vários empreendimentos, várias brigas do Flamengo. Estamos entregando um novo equipamento esportivo para a cidade. É claro que não é solução definitiva do estádio do Flamengo, pretendemos ter o estádio, o que já foi aprovado pelo prefeito, mas a torcida do Fla e os cariocas vão gostar – disse Bandeira de Mello.

bandeira

Ao tomar a palavra, Crivella exaltou o “incansável” Bandeira de Mello, classificou Patrícia Amorim como “eterna presidente do clube” e lembrou do projeto do Estádio Acústico da Gávea, do qual o próprio assinou protocolo de intenções para a construção no mês passado.

– Quero agradecer a Deus, saudar o incansável Bandeira de Mello, que já está se preparando para construir o estádio acústico da Gávea. Sobre Maracanã, o Fla tem tudo para ser o administrador. Mas o Pezão precisará fazer nova licitação, por imposições do TCE e do MP. Mas com certeza saberá conduzir isso – disse o prefeito do Rio.

Após não conseguir a liberação a tempo do clássico contra o Botafogo neste domingo, o Fla estreará a Arena no próximo dia 14 de junho, contra a Ponte Preta, pelo Campeonato Brasileiro. A inauguração do estádio será feita cerca de três meses depois da previsão inicial. Imprevistos nas obras e burocracia atrasaram a finalização da arena, que terá capacidade para 20 mil pessoas. Bandeira admitiu que a necessidade de um reparo em uma tubulação de águas pluviais foi o motivo do atraso na entrega da Arena:

– O Fla é um clube que cumpre seus compromissos e segue as regras. Efetivamente tínhamos intenção de inaugurar antes, tivemos um problema de águas pluviais que passam embaixo da arquibancada que não tínhamos conhecimento e isso nos forçou a fazer um desvio, o que causou um atraso de três meses. O Flamengo preferiu atrasar a inauguração a correr qualquer risco de fazer algo que não fosse perfeito para a integridade física e saúde da nossa torcida. É um atraso mais do que justificado. Com relação às licenças, o Fla seguiu as regras, queríamos fazer a partida do Atlético-GO, estava tudo certo contra o Botafogo, mas tivemos uma surpresa desagradável – disse.

GE

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *