NA WEB
    Google+

    Zé Ricardo fala em avaliações e mudanças no Flamengo

    Por em junho 8, 2017
    zé ricardo flamengo

    Após os 2 a 0 para o Sport nesta quarta-feira, o Flamengo perdeu a invencibilidade de 11 jogos em partidas no Brasileiro – quatro jogos neste ano e sete em 2016. Com erros individuais e atuação aquém do esperado e ineficiente, o time teve poucos bons momentos e foi presa fácil no segundo tempo da Ilha do Retiro. A largada é preocupante no Brasileiro. São apenas seis pontos em 15 possíveis – 40% de aproveitamento. Zé Ricardo, após o revés – o quarto do ano (as outras três derrotas foram na Libertadores) -, reconheceu que o desempenho do Fla é decepcionante. E pela primeira vez admitiu fazer mudanças e reavaliações.

    zé ricardo flamengo

    – Não se trata de testar, se trata de ver jogadores que podem render mais nesse momento, porque realmente é um momento difícil para todos nós. Falei: não era o início de Brasileiro que esperávamos. Por isso, precisamos fazer as avaliações. Se os resultados não estão aparecendo, alguma coisa realmente a gente precisa mudar.

    Durante a coletiva pós-jogo, Zé não quis avaliar individualmente seus jogadores. Foi perguntado sobre a falha de Alex Muralha no primeiro gol, mas não tratou diretamente do lance.

    – Dificilmente a gente vem para uma coletiva e fala de atuações individuais, prefiro falar do coletivo. Nessa linha vamos preferir reconhecer que não fizemos uma boa atuação, principalmente no segundo tempo.

    Questionado se Thiago, seu goleiro titular na Copinha 2016, pode substituir Muralha, em má fase, o treinador foi evasivo e novamente evitou tratar especificamente de um jogador.

    – A gente vai seguir a mesma linha. O Thiago é um grande goleiro, a gente conhece bem. Se tiver que entrar na próxima partida vai entrar normalmente. Mas a gente prefere não falar de atuações nesse momento.

    Fala de possíveis reforços, como Rhodolfo e Geuvânio

    Acho que todo clube grande acaba sempre, no início do Brasileiro, trazendo peças. Não é diferente no Flamengo, são grandes jogadores chegando. Tenho certeza que vamos ficar mais fortes com a presença deles.

    Que mudanças podem ser feitas?

    São avaliações que vamos fazer internamente com a comissão e os atletas. O objetivo de todos é que a gente melhore. Agora é esfriar a cabeça, é um momento delicado, a gente precisa de cabeça fria para tomar as decisões, mas são decisões internas.

    “Momento mais delicado” de Zé Ricardo no Flamengo

    Eu vejo que a pressão faz parte do uniforme do atleta e daqueles que trabalham com futebol, principalmente se tratando de um grande clube, como é o Flamengo. Tivemos momentos de felicidade no clube e hoje seria o momento mais delicado que estamos passando. A gente tenta manter equilíbrio para ver onde temos de melhorar.

    Programação para Diego

    Diego tava programado até 45 minutos apenas para ele. Num esforço muito grande, profissional como ele é, a gente estendeu um pouquinho mais, já que no intervalo a gente viu que poderia ficar no máximo 60 minutos. Não queremos correr o risco de perder um atleta importante como ele é. Quando a gente viu que tava situação difícil, decidimos colocar o segundo atacante para ver se conseguíamos uma bola mais alta para tentar empatar. Saiu o segundo gol e ficou muito difícil.

    GE

    Leave a Reply

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.