Google+

Sofrimento desnecessário

Por em junho 26, 2017

Jogamos mais de 60 minutos com um a mais, tivemos a estreia do Éverton Ribeiro, vínhamos de uma goleada, enfim, motivos suficientes para uma atuação convincente, neste domingo (25), diante do Bahia, na Fonte Nova, em Salvador.

Mas o que se viu na vitória por 1 a 0 sobre o tricolor baiano, foi um Flamengo bem abaixo da média para o elenco que tem e, principalmente, para o que se espera dele na temporada.

Ganhar pelo placar mínimo, com um gol que teve sua origem num chute errado do estreante Éverton Ribeiro, foi decepcionante, sofrível, constrangedor, e por aí vai.

Não custa lembrar que o Bahia, agora na zona do rebaixamento do Brasileirão, sofreu sete gols nos últimos dois jogos, contra Palmeiras e Corinthians.

Se a goleada (5 a 1), sobre a Chapecoense, na última quinta-feira, na Ilha do Urubu, empolgou a torcida, mesmo com o placar não mostrando o que foi a partida, o magro triunfo sobre os baianos jogou um balde de água fria em quem pensava que o Mais Querido iria deslanchar de vez.

Se o Flamengo quiser chegar aonde, realmente, a diretoria e a torcida esperam, é bom o técnico Zé Ricardo assumir seus erros de fato, e não apenas nas entrevistas pós-jogo. Caso contrário, ganhar os três pontos vai ser sempre com esse sofrimento desnecessário.

RHODOLFO

Foi um dos poucos a se salvar na vitória sobre o Bahia. Mostrou que pode fazer uma boa dupla de zaga com o Réver.

CUÉLLAR

Até agora não entendi o motivo de sua saída da equipe titular, mesmo após ter atuado bem diante de Ponte Preta e Fluminense. Com o futebol que Márcio Araújo e William Arão apresentaram contra Bahia e Chapecoense, o colombiano não pode ser reserva.

SÓCIO-TORCEDOR

Na semana passada, o Flamengo atingiu, pela primeira vez, a marca de 100 mil sócios-torcedores. Imagina, aonde podemos chegar se conquistarmos um título importante.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *