Google+

CBF confirma que Guerrero testou positivo no antidoping em duelo contra a Argentina

Fifa deve suspender Guerrero provisoriamente, diz presidente do TJD Antidopagem

Por em novembro 3, 2017

Guerrero foi flagrado no exame antidoping realizado após o confronto entre Peru e Argentina, no dia 5 de outubro. O presidente da Comissão de Controle de Doping da CBF, Fernando Solera, confirmou ao SporTV a informação antecipada pela ESPN da Argentina.

O Flamengo afirma ainda não ter sido notificado oficialmente, mas Solera disse ter tomado conhecimento da informação através da comissão médica do clube. Já a Fifa confirmou que o caso está sob sua competência, mas ressaltou que não pode comentar processos em andamento.

– O que existe no momento é um resultado analítico adverso (RAA) para uma susbtância S6 estimulante, estimulantes que estão na categoria S6*. Pode vir de uma medicação utilizada, e aí não é um resultado positivo. Caiu por terra essa história de enviar a lista do que é administrado. O que está na lista da WADA não pode ser administrado, só se o jogador tem uma justificativa médica. Precisa de uma robusta documentação – disse o dirigente ao SporTV.

guerrero

A informação veio à tona através de um jornalista do canal argentino, que apontou que a Federação Peruana de Futebol (FPF) foi notificada sobre a questão nesta sexta-feira. O também argentino “TyC Sports” afirmou, por sua vez, que um jogador da seleção peruana testou positivamente no exame, sem revelar o nome do atleta. Guerrero realizou o teste na ocasião, assim como Edinson Flores.

O protocolo de exames antidoping dá direito à contraprova antes da aplicação oficial de uma punição por parte da Fifa. Porém, a participação de Guerrero nos confrontos contra a Nova Zelândia, nos dias 11 e 16 de novembro (0h30, de Brasília), fica em aberto por conta do caso – deve haver uma punição preventiva. Não há risco de a seleção ser punida.

Guerrero vem desfalcando o Flamengo desde a 29ª rodada do Campeonato Brasileiro por conta de um edema na coxa, mas voltou a treinar na manhã desta sexta-feira, após 15 dias longe do grupo. A expectativa do clube era contar com o peruano no duelo contra o Grêmio, em Porto Alegre, no próximo domingo – o que seria sua última partida antes da apresentação à seleção para os jogos decisivos, que podem levar o Peru de volta à Copa do Mundo pela primeira vez desde 1982.

*Os estimulantes podem incluir as seguintes substâncias:

Estimulantes não especificados: Adrafinil; anfepramona; amifenazol; anfetamina; anfetaminil; benfluorex; benzanfetamina; benzilpiperazina; bromantan; clobenzorex; cocaína; cropropamida; crotetamida; dimetilanfetamina; etilanfetamina; famprofazona; fencamina; fendimetrazina; fenetilina; fenfluramina; 4-fenilpiracetam (carfedon); fenmetrazina; fenproporex; fentermina; furfenorex; mefenorex; mefentermina; mesocarbo; metanfetamina (D-); metilenedioxianfetamina; metilenedioximetanfetamina; pmetilanfetamina; prenilamina; modafinil; norfenfluramina; prolintano.

Estimulantes especificados: adrenalina**, catina***, efedrina****, estricnina, etamivan, etilefrina, fenbutrazato, fencanfamina, fenprometamina, heptaminol, isometepteno, levometanfetamina, meclofenoxato, metilefedrina****, metilfenidato, niquetamida, norfenefrina, octopamina, oxilofrina, parahidroxianfetamina, pemolina, pentetrazola, propilexedrina, selegilina, sibutramina, tuaminoheptano e outras substâncias com estrutura química similar ou efeito(s) biológico(s) similar(es).

*As seguintes substâncias, incluídas no programa de monitoramento de 2009 (bupopriona, cafeína, fenilefrina, fenilpropanolamina, pipradol, pseudoefedrina, sinefrina) não são consideradas substâncias proibidas. **Adrenalina, associada com agentes anestésicos locais ou por administração local (e.x. nasal, oftalmológica) não é proibida.

***Catina é proibida quando sua concentração na urina for maior do que 5 microgramas por mililitro.

****Tanto a efedrina como a metilefedrina são proibidas quando sua concentração na urina for maior do que 10 microgramas por mililitro.

Suspensão preventiva

O presidente do Tribunal de Justiça Desportiva Antidopagem, Luciano Hostins, explicou em contato com o blog que a competência para o julgamento do caso de doping de Paolo Guerrero, jogador do Flamengo e da seleção peruana, é da Fifa. Ele citou o artigo 13, item 3, do regulamento da Copa do Mundo para afirmar que a competência é da entidade internacional e afirmou ser provável que o atleta seja suspenso preventivamente até que ocorra o julgamento do caso.

De acordo com Fernando Solera, chefe do controle antidopagem da CBF, a substância com a qual Guerrero foi flagrado na partida entre Argentina e Peru é da classe “S6”, ou seja, um estimulante. Há ainda uma divisão na categoria entre as substâncias especificadas e não especificadas. No primeiro caso, é mais fácil escapar de uma suspensão preventiva.

O artigo 34 dita as regras de suspensão provisória e aponta que a punição deve ser prontamente aplicada quando a substância encontrada não estiver na lista de substâncias especificadas, podendo ser revogada se o atleta demonstrar que provavelmente a infração envolveu um produto contaminado. A decisão sobre a aplicação de suspensão provisória é do presidente do Comitê Disciplinar da Fifa, o ganês Anin Yeaboah.

Hostins explicou que Guerrero deve ter sete dias a partir de notificação oficial para manifestar se deseja ou não a abertura da amostra B, ou contraprova.

– A competição é responsabilidade da Fifa. Normalmente, tem sete dias para se manifestar se quer ou não a análise da amostra B. Antes disso já deve ser suspenso preventivamente pela Fifa.

Pelo regulamento antidoping da Fifa, o jogador é responsável pelo que está em seu corpo e, portanto, não é necessário comprovar intenção de uso de uma substância proibida para que seja caracterizada infração.

A Fifa confirmou ter a competência para julgar a questão, mas ressaltou que não pode comentar casos em andamento.

GE

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *