Google+

Flamengo muda esquema, nomes… E resultado

Por em fevereiro 25, 2018

Em duas ou três entrevistas a expressão “tarde pra esquecer” apareceu. Errada “saparada” aí. Quer dizer que a gente toma uma solapada (que saiu até barato) desse tamanhão todo e nem sequer uma lição vai tirar? Vai esquecer, deixar de lado, e quem sabe repetir as mesmas atitudes em algum ponto futuro (de repente até no próximo sábado)? Não faz sentido.

Entendo bulhufas de futebol, mas até mesmo um ignorante tático como eu, de tanto acompanhar, acaba acertando uma previsão vez ou outra. Repeti algumas vezes na semana que voltar à escalação inicial do campeonato só com a molecada era uma coisa, misturar com alguns nomes não muito animadores dentre os mais cascudos era outra completamente diferente. Dados os desempenhos catastróficos de Rômulo e Trauco na tarde-noite desse sábado, parece que nós aqui no Boteco, infelizmente, acertamos dessa vez.

Pra começar alguém tem que enfiar lá no estatuto do clube que Clássico é Clássico. Pouco importa (ainda) o nível de falência que o trio ternura aqui do Rio de Janeiro se encontra. A não ser em situações extremas, o que não era o caso dessa vez com um jogo no sábado e o outro na quarta, tem que ir pro Clássico com o que há de melhor, tentar passar o carro, e ponto final.

Eu nem quero levar em consideração a declaração do Carpegiani de que rolou uma “instabilidade mental” após o primeiro gol. Já sofremos muito com esse tipo de nutellice dos atletas em 2017, e prefiro creditar o revés de ontem a uma espécie de nutellice administrativa da comissão técnica. Estivessem os titulares em campo, ou pelo menos uma misturada um pouco maior entre os times A, B e C, e o resultado poderia ser bem diferente.

Outro ponto a se observar, e sobre o qual manifestei receio em algum dos vídeos lá da Filial Pobre e Sem Glamour do Boteco no YouTube, era a teoria do “não importam os nomes, e sim o sistema de jogo”. Preocupei no que vi e esborrachei a cara no que não vi. Se é pra levar a sério esse bagulho aí, ainda que a gente saiba que no mundo real nem sempre teremos jogadores com os mesmos potenciais para realizar determinadas funções, como que a gente vem com um volante, um volante, um volante… E de uma partida pra outra, PÁÁÁÁÁ… Três de uma vez e vamos ver no que dá? Parece no mínimo incoerente.

Mas borá lá. Tirando o placar que fica marcado na história e nas estatísticas do Clássico, já que não há adendos nas planilhas do tipo “era o time reserva e ainda por cima mal escalado”, ferimentos leves, já que além de estarmos na semifinal da bagaça, temos plenas condições de brigar e conquistar também o segundo turno, carimbando o passaporte direto para a Final do Carioqueta.

Nem tem muito o que falar sobre o jogo. Nós aqui no Boteco comemoramos dia desses o fato do Flamengo não acionar o Modo Carioqueta nas partidas, e ontem foi dia do time se esbaldar em Modorrência e falta de poder de reação. De parabéns o fluminenCe e está muito certo o Abel em declarar que o lado de lá não tem nada com as decisões do lado de cá. Passou o carro e ponto final.

De certa forma é até um ato bacana dar essa alegria fugaz para a Nobreza Falida do Laranjal. É ano de potencial rebaixamento no Brasileirão e sem grana pra bancar advogado e virar a mesa. Um atropelo desses pode ter até a função de gerar um “nosso elenco tá é bom demais” do lado de lá, o que provavelmente aumenta mais a chance de futuros insucessos. Inclusive um brother meu, tricolor, jura de pé junto que aquela sequência bonita de rebaixamentos foi fruto daquele maldito gol de barriga em 95.

Seeeeeegueeeee o jogo… Focar na quarta e rezar (vocês, caudiquê eu sou ateu) para que a tal “tarde pra esquecer” não signifique uma outra escalação bizarra no Clássico do próximo final de semana contra a turma do Chororô.

Bora torcer.

Isso aqui é Flamengo.

PETISCOS

. VOANDO COM O INIMIGO. Levar uma solapada dessa e ter que voltar no mesmo avião não deve ser das coisas mais divertidas do mundo.

. NÃO TEM BOBO NO FUTEBOL. O público de menos de 16 mil pessoas é prova disso.

. NEM VOU COMENTAR. Ou houve uma falha de digitação em uma entrevista do Carpegiani que li no pós-jogo, ou perguntaram pra ele sobre o Rômulo e ele respondeu outra coisa. Realmente não dá nem pra comentar.

. DRAMA PERUANO. Se você está preocupado com as laterais do nosso time… Imagina o Peru inteiro (sem duplo sentido) sabendo que o Trauco é o melhor lateral esquerdo de todo um país.

. ERRO NA BASE. Eu nem acho o Trauco um mau jogador. Eu apenas acho que um dia, lá na escolinha, o professor dele inventou que ele tinha que ser lateral. E ali a merda foi feita.

MESA DA ARCOIRIZADA

. NOVELA CURTA. É dramática a novela ZR, mas deve ter desfecho ainda essa semana. No achômetro do Boteco a equipe aqui chuta… Que ele fica. Vamos observar.

. SELEÇÃO. Botafogo, animadíssimo após a vitória sobre o New Iguaçu, repete a escalação contra a Cabofriense logo mais.

. PREVENÇÃO AO BULLYING. Abel orientou seus comandados a não fazer gracinha no vôo da volta. Deve ter sido difícil.

. RIO ABAIXO. O River perdeu mais uma no Argentinão e agora está na posição de número 20.

Colem nas redes, Urubus, UruBoas e Antis

https://twitter.com/sorinmercio

https://www.facebook.com/mercio.querido

https://www.facebook.com/BotecoDoFlamengo/

https://www.youtube.com/botecodoflamengo

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.