Google+

Flamengo na estrada da Libertadores

Por em março 1, 2018
flamengo river

Ontem, enfim o Flamengo estreou na Libertadores da América 2018. Competição essa, que possui um nível de dificuldade extremamente elevado. E logo em sua estreia, o Flamengo não passou de um empate contra o River Plate da Argentina.

Em um estádio sem torcida, o Flamengo não se fez valer do mando de campo durante a partida, mesmo atuando no Rio de Janeiro e tendo se preparado praticamente por dois meses (Janeiro e Fevereiro) para o jogo de ontem.

flamengo river

Embora, o time tenha começado o ano com um grande entrosamento entre os principais pilares do time (Diego Alves, Juan, Éverton Ribeiro, Diego) em relação as contratações do ano passado, o time do Flamengo na noite de ontem atuou de forma regular. Basta ver, que se fomos analisar os melhores momentos da partida, chegaremos à conclusão de que estes foram escassos, especialmente no primeiro tempo.

O futebol apresentado na noite de ontem, seria o suficiente para ganhar jogos do Cariocão, Primeira Liga, Copa do Brasil e até quem sabe… um jogo do Campeonato Brasileiro, dependendo do adversário. Porém, para ganhar jogos da Libertadores, é preciso ser mais incisivo e decisivo tecnicamente. Na Libertadores não existe jogo fácil. Basta ver que o River Plate não tem se apresentado muito bem no campeonato argentino e mesmo assim, quase venceu o Flamengo nos minutos finais da partida de ontem.

Apesar do empate de ontem, acredito que esse time do Flamengo pode ir muito longe nessa Libertadores. E quem sabe, até nos consagrarmos campeões. Mas para alcançarmos esse objetivo, será necessária uma mudança de postura de todos os jogadores, comissão técnica e departamento de futebol. Todos esses, precisam ser mais eficientes em seus cargos.

Mudança estratégica?

Assim como aconteceu no jogo Fla x Nova Iguaçu, ontem… o mesmo tipo de substituição foi realizada: Entra Rodinei. Sai Pará.

Afinal de contas, que porra de estratégia é essa???

Ainda falando sobre as substituições…

Flamengo estreando em casa em plena Libertadores da América, o Carpegiani tem como a seguinte estratégia para vencer o jogo: entram em campo Rodinei, Arão e Rômulo.

Já Vini Jr… passa os noventa minutos no banco de reservas.

Eu hein!!!!

Cansaço???

Se o cansaço foi a desculpa (???) para por esses três jogadores em campo, então não foi um erro do DP de futebol e da comissão técnica em não terem contratado três excelentes jogadores para tais posições?

Estádio vazio.

O time jogou no Rio de Janeiro e a alguns quilômetros do seu moderno centro de treinamento. Logo, o time e comissão técnica não precisaram se deslocar pelo continente para fazer viagens internacionais. Portanto, ter o cansaço de algus jogadores como desculpa, na boa… pra mim não faz o menor sentido!!!

Além dessa observação, a pergunta que fica é:

Será que mesmo sem torcida, o Flamengo não deveria ter apresentado um futebol melhor jogando em seus domínios?

Várzea

Infelizmente, na Libertadores sempre nos deparamos com cenas lamentáveis… é jogador batendo escanteio com proteção policial (com escudo), times que não sabem perder e partem para pancadaria, arbitragens horrorosas e muitos jogadores praticando o anti-jogo durante os noventa minutos, jogos em certos lugares que a altitude atrapalha o desempenho técnico em campo, etc…

E infelizmente, os times Brasileiros precisam se preparar para situações como essa.

Por quê eles não se unem para reivindicar mudanças? Por quê todos os times brasileiros não se recusam a disputar a Libertadores nesses moldes? Por quê eles aceitam essas situações? Até porque depois, não adianta ir na imprensa reclamar.

Aliás… ontem, antes do Henrique Ceifador bater o pênalti, Diego foi tirar satisfações com um jogador que estava passando o pé em cima da marca do pênalti (sabe-se lá porquê motivo).

Acredito que os clubes Brasileiros e seus jogadores, precisam estar atentos sobre esse tipo de situação. Pois infelizmente todos os anos, nos deparamos com situações como essa.

Ainda mais nos dias de hoje, que as televisões conseguem captar muitos momentos tristes como esses, graças a gigantesca quantidade e qualidade de câmeras durante uma transmissão de jogos de Libertadores.

Acho que os clubes brasileiros precisam se impôr diante dessas questões.

Acho que eles precisam cobrar punições para essas atitudes. Pois na minha opinião…  situações como essas, desvalorizam cada vez mais a competição. E ao contrário da Europa, daqui a pouco, o Campeonato Nacional de Clubes terá muito mais importância para os clubes de futebol dentro de cada país do continente do que a própria Libertadores. Atitudes “varzeanas”, só apequenam o torneio.

Paquetá.

Mais uma vez. Jogou demais. A cada dia que passa, a sua presença dentro de campo se torna imprescindível para o time do Flamengo.

Henrique Ceifador.

Encontrou dificuldades ao disputar bola com a zaga do River Plate. Pois os zagueiros além de fortes, sempre faziam uma marcação muito próxima dele.

Em função disso, teve dificuldade de fazer um pivô (talvez essa não seja a sua especialidade, ao contrário do Guerrero que faz muito bem essa função).

Aliás, o River Plate atuou no jogo de ontem com muitas jogadas rápidas de pivô e que sempre confundiam a zaga do Flamengo.

De qualquer forma, o Henrique cobrou pênalti com estilo de sempre e deixou o seu gol.

Aliás como diz Dádá Maravilha: não existe gol feio… feio é não fazer gol.

Quem tem razão?

O Real Madrid pagou uma quantia estratosférica de dinheiro para que o Vini Jr seja o seu jogador daqui a algum tempo. Fato esse, que pode ocorrer até no meio desse ano.

E em função dessa situação, em pouco tempo, ele irá fazer parte de um dos maiores elencos de futebol do planeta.

A pergunta que não quer calar é: Por quê para o Real Madrid ele é um grande jogador e essencial para os seus planos no futebol e para o Flamengo ele nunca é titular?

Alguém tem essa resposta???

Cinco jogos.

O Flamengo ainda tem cinco jogos na fase de grupos da Libertadores. Portanto, eles precisam ter a consciência que ainda não tem nada perdido. Portanto, eles têm totais condições de se classificar para a próxima fase da Libertadores (inclusive, na primeira colocação).

Eu torço demais para que esse time engrene e nos dê muitas alegrias nesse ano de 2018.

Agora, para sermos bem sucedidos dentro de campo em 2018,  é necessário que exista muito trabalho, meritocracia e competência no futebol do Clube de Regatas do Flamengo.

E isso serve para jogadores, comissão técnica e Departamento de futebol.

Abraços, e até próxima!

** Quer sugerir um tema? Então me siga no Twitter @t_nascimentorj e deixe a sua sugestão, crítica ou elogio.

Saudações Rubro Negras.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.