Google+

Cadê o Estádio, Flamengo?

Por em março 7, 2018
estádio

Há dezenas de anos, o assunto ‘estádio próprio’ é um dos temas nevrálgicos nas rodas de bate papo entre os Rubro Negros espalhados por todo o planeta Terra.

O tema é polêmico e ao mesmo tempo, apaixonante. Isso nós não temos como negar. Tanto é que, muitos torcedores rivais que torcem para times que possuem um estádio próprio, sentem orgulho por tal patrimônio, e nos mais rasos debates futebolísticos com torcedores Rubro Negros, sempre se utilizam do seguinte expediente: ‘meu time têm um estádio próprio’.

Talvez, o que esses torcedores rivais não saibam, é que ter estádio próprio para a prática do futebol profissional por sí só, não quer dizer nada. Até porque se olharmos para a situação financeira/esportiva de muitos desses clubes brasileiros, chegaremos a rápida conclusão de que ter um estádio próprio que não te alavanca receitas para sair do atoleiro caótico que esses clubes se enfiaram e que também é não é um palco recorrente de grande feitos futebolísticos nacionais e internacionais dentro de campo, não é o cenário que se deva ter orgulho. Talvez esse motivo seja mais de vergonha do que de orgulho para todos esses clubes, gestores e seus respectivos torcedores.

estádio

No restante da América do Sul, ter um estádio de futebol é mais do que um capricho de torcedores e dirigentes. Ter um estádio para gerir, é um fator indispensável.

Locais como o Nuevo Gasômetro, Monumental de Nunez, La Bombonera, Atanasio Girardot e Estádio Nacional; fazem de São Lorenzo, River Plate, Boca Juniors, Atlético Nacional e Universidade do Chile, clubes vitoriosos não só em partidas memoráveis, mas também na conquista de títulos, na alavancagem de novos torcedores para as suas instituições e na alavancagem de receitas importantes.

E ao realizarmos o somatório de todos os itens citados no parágrafo anterior, o resultado da equação em questão, é o fortalecimento e crescimento da imagem institucional desses clubes.

Até mesmo na Major League Soccer, times ainda pouco expressivos no cenário mundial, já administram um estádio e também já se transformaram em potências nacionais do futebol. São os casos Los Angeles Galaxy (fundado em 1995) que já ganhou diversos títulos nacionais e também já foi vice campeão por diversas vezes. E não menos curioso e emblemático, temos o caso do Orlando City que foi fundado em 2010 e que mesmo não estando na MLS, já administra um estádio e também é um case de sucesso no Marketing e o principal de tudo: já conquistou títulos importantes no cenário futebolístico nacional.

Se voltarmos nossas atenções ao Brasil, perceberemos que no quesito estádio, o Flamengo deixou o ‘bonde passar’ durante dezenas de anos. E sem dúvida nenhuma, talvez a falta de um estádio para que o Flamengo possa chamar de seu (seja próprio ou alugado sob sua gestão), tenha sido um dos principais fatores que contribuíram para o não crescimento institucional do clube como marca. Especialmente no cenário internacional.

Em 1938, o Flamengo teve o seu estádio da Gávea inaugurado. E de lá para cá, poucas mudanças de expressão ocorreram. Por mais que o estádio seja bonito e tenha um belo escudo do clube na arquibancada, é inegável que ao longo de várias décadas, as muitas administrações que por lá passaram, não conseguiram transformar aquele estádio em um local imponenterentável financeiramente e esportivamente até os dias de hoje.

E qual seriam os motivos para tal sub-aproveitamento do estádio para o futebol profissional do clube? Com toda certeza, 99,99% da torcida jamais saberá. Talvez tenha sido incompetência, talvez tenha sido reflexo da vida política do clube,  talvez tenha sido outros fatores internos ou externos, etc…

Talvez possa ter sido alguns desses motivos citados no paragrafo anterior ou então o misto de todo todos eles… ou simplesmente nenhum desses. Ou então, outras razões que não conhecemos por não vivenciarmos o dia a dia do clube.

arena ilha flamengo

A única certeza que a Nação Rubro Negra possui, é que o estádio da Gávea já não faz parte da gestão profissional do futebol do Flamengo, há décadas. Seja no âmbito técnico esportivo, seja na geração e captação de receitas para transformar o futebol do clube, em uma potência dentro das quatro linhas.

Encravado em um das regiões mais caras do Rio de Janeiro, é difícil da imensa torcida Rubro Negra espalhada por todo o mundo, aceitar que ao longo dessas décadas tenha sido tão difícil encontrar parceiros para a ampliação e modernização de um estádio que poderia seria um local de visitação mundial e com um enorme potencial para ser um dos maiores e melhores estádios do planeta. Independentemente do seu tamanho e da sua capacidade. O fato é, o Flamengo perdeu o timing, e pelo notícias que a torcida Flamenga costuma ler costumeiramente… dificilmente o clube conseguirá ampliar e modernizar o seu estádio da Gávea.

A gestão do clube encontrou na Ilha do Urubu, uma opção para a realização de suas partidas de futebol profissional. Tal opção se mostrou interessante, embora tenha chegado de forma tardia. Afinal de contas, em 2016 o clube disputou 33 rodadas do Brasileirão fora de seus domínios. Portanto, a gestão do clube deveria ter encontrado uma opção ainda no ano de 2015, para que o time não precisasse se desgastar tanto durante a temporada de 2016 com viagens extenuantes, em um país de dimensões continentais como o Brasil.

Embora a Ilha do Urubu tenha sido uma opção viável mas com um ano de atraso, a torcida criou expectativa de que o estádio seria um sucesso de púbico, de marketing e de ganho esportivo. E até mesmo, um ‘porto seguro’ para que o clube procurasse um estádio definitivo para o seu futebol profissional.

Porém, não foi isso que aconteceu… embora o estádio seja bonito, o equipamento se mostrou muito aquém das expectativas. Além de nãopossuir um Naming Rights, o estádio dificilmente consegue ter 10 mil pessoas por jogo!

Como pode, um clube ter mais de 90 mil STs e não conseguir colocar regularmente no mínimo 10 mil torcedores por jogo em um estádio?Além disso, o equipamento se mostrou pouco capaz de atrair muitas fontes de renda para o futebol profissional. E dentro de campo (o principal), o Flamengo obteve algumas vitórias interessantes, mas no saldo final, esbarrou em um ano desastroso de 2017, com vexames em finais nacionais, internacionais e também no Campeonato Brasileiro.

Ainda bem que a comemoração do sexto lugar no Brasileiro de 2017 não foi na Ilha do Urubu. Até porque, imaginem que vergonha seria para a Nação Rubro Negra, se a comemoração de um sexto lugar no Brasileiro (com 16 pontos atras do líder!), acontecesse dentro de seus próprios domínios.

Atualmente, o Flamengo têm mandado alguns de seus jogos no Engenhão. Embora eu ache estranho mandar jogos em um estádio que está todo personalizado com as cores e símbolos de outro clube, sendo uma situação emergencial já que a Ilha do Urubu está interditada por conta dos problemas que aconteceram durante aquela temporal, ok. Até acho que seja uma medida razoável.

Porém… torço para que o Flamengo não feche um acordo para jogar no Engenhão por muito tempo e/ou anos. Além de não ser a nossa casa, penso também que seria uma medida muito drástica em termos de gestão. Afinal de contas, em Dezembro, o clube terá eleições e portanto, não seria de bom tom, assinar um contrato tão longo. A não ser que todas as pré-chapas estejam de acordo para que se faça um contrato nesses moldes, para caso alguma delas venham a vencer o pleito. Até por quê se no meio empresarial ou governamental, não é de bom tom a realização de contratos que sejam estendidos para as gestões posteriores. Então por quê deveria ser assim em um clube que tem uma gestão profissional como o Flamengo? Não é verdade?

No ano passado, o Flamengo informou que estaria interessado em um terreno próximo da Avenida Brasil, para a construção de um estádio próprio. Entretanto, hoje (07/03/2018), a torcida Rubro Negra como um todo, ainda não viu nenhuma evolução expressiva e significativa nesse quesito.

Para saber a minha opinião sobre esse assunto, clique aqui.

Quando escutamos os seguintes nomes: Camp Nou, Santiago Bernabéu, Allianz Arena e Old Trafford e Estádio da Luz, por exemplo… nem precisamos citar o nomes de Barcelona, Real Madrid, Bayern de Munique, Manchester United e Benfica para sabermos que esses estádio são imponentesrentáveis financeiramenterentáveis esportivamente e um sucesso emblemático de posição institucional de seus clubes não só em seus países… mas sim, no futebol mundial.

Para saber sobre a média de público da Premier League na temporada de 2017/2018, veja esses dados no site da soccerstars, clicando aqui.

O Flamengo precisa gerir o seu próprio estádio. Assim como os clubes citados no parágrafo anterior, o clube precisa mudar de patamar esportivo e consequentemente, institucional.

Craques como Silva Batuta, Valido, Domingos da Guia, Dida, Zizinho, Carlinhos, Zico, Júnior, Leandro, Romário, Petkovic, Adriano e muitos outros… venceram jogos memoráveis com a camisa do Flamengo. Além disso, conquistaram diversos títulos com a camisa do clube… fazendo com que a legião de torcedores do Flamengo aumentasse a cada hora, a cada dia, a cada semana. E essa vitórias e conquistas, fizeram com que o Flamengo tenha hoje, a maior torcida do Brasil.

Atualmente, o futebol do clube nada ganha e faz muitos vexames. E uma das estratégias para captar novos torcedores para o clube, é conquistá-los através dos e-sports. Na minha opinião, é a inversão total da tradicional cultura Rubro Negra. Que me perdoem os que praticam e gostam dessa modalidade do clube, mas para mim, é o rabo abanando o cachorro.

maracanã lagardère

Que o Flamengo possa sair da inércia e efetivamente construir ou gerir um estádio que te dê totais condições de crescer esportivamente e institucionalmente.

E gerir um estádio dessa forma, não servirá para dar satisfações para os seus rivais… mas sim, para ser uma potencia esportiva e consequentemente financeira. Pois com esse ciclo vitorioso seremos cada vez mais fortes, mais temidos em campo e envergaremos uma taça atrás da outra.

O clube precisa sair da etapa de ‘temos vários terrenos em vista‘ e partir finalmente para a construção e/ou gestão definitiva do seu estádio. 

De ‘business plan’, a torcida já está de saco cheio. Já passou da hora de fazer o estádio acontecer.

Abraços e até a próxima!

 

** Quer sugerir um tema? Então me siga no Twitter @t_nascimentorj e deixe a sua sugestão, crítica ou elogio.

Saudações Rubro Negras.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.