NA WEB
    Google+

    Cuéllar, o sobrevivente

    Por em abril 22, 2018

    Não nego minha admiração pelo colombiano, que começou logo em sua estreia. Depois daquela expulsão no Fla x Flu, de forma injusta, ele ficou sentado na entrada do túnel na chuva, me fez pensar, esse cara tem raça e espírito RN. Sua qualidade na saída de bola é impressionante, rígido na marcação, afobado às vezes, concordo, mas não se esconde. Na final da Sul-americana, foi mais uma vez injustiçado. Um pênalti mandrake, manchou seu excelente final de ano.

    zé ricardo

    Cuéllar é um sobrevivente da Panela Moedora de Gringos que há no Flamengo. Donatti, Mancuello e agora Marlos Moreno, são carnes moídas desse aparato nefasto que tem o aval do mandatário. Mas mesmo com todo esse revés, o “Colômbia” conseguiu completar 100 jogos com o manto. O injustiçado nunca poderia ter sido banco para aquele que não devemos pronunciar o nome.

    Ontem, após o apito final, fiquei observando seus movimentos, ele abraçou Juan e Júlio César, depois deu uma declaração, que poucos jogadores, mais badalados conseguem expressar “me sinto super a vontade aqui. Acredito que posso fazer ainda mais, e seguir dando sangue pelo Flamengo. Agradeço a oportunidade de poder honrar esta camisa”. @carlabaraujo

    Reprodução: Flamengo

    Cuéllar me representa, não só pela garra que demostra em campo, também por ter vencido uma batalha. Tomara que anos melhores venham e ajudem o garoto a voltar para sua seleção, pois acho que conseguiram tirá-lo da copa.

    Abraços seus Falsos

    Luiz Fernando Caldas

    @LFSCaldas 

    Leave a Reply

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.