Google+

Flamengo passa em branco e mostra (mais uma vez) bom potencial

Como todos já esperávamos… A vaquinha foi pro brejo

Por em novembro 26, 2018

Nosso Flamengo fez boa partida contra o Cruzeiro em BH. E olha que isso,  em tempos não muito distantes, era um treco mais difícil de se ver que título mundial do Palmeiras. (tá… Rolou um breve momento recalque).

Tudo bem que o Cruzeiro já tá de férias desde a última partida da Copa do Brasil. Vivendo um período de pré-férias curtindo a vida adoidado.

Ainda assim, foi uma boa partida e, mesmo que os mineiros estivessem um tanto quanto desatentos na defesa, com a bola nos pés, partiram pra dentro com sede de gol, esbarrando várias vezes ora no César, ora em uma espécie providencial de escudo invisível, com a bola sendo rechaçada dali centímetros antes da linha do gol.

E… UKIÉKIÉISSSSOOOOOO Everton Ribeiro? Nosso camisa 7, com o nome do Beto na camisa na homenagem que o Fla fez a jogadores negros da nossa história, estava completamente virado no Capeta. Devolveu no primeiro aquele golaço contra “nóis” tempos atrás, e de brinde acertou um belo chutão lá do meio da rua na segunda etapa.

Em um geral, é claro que não fizemos nossa parte, tanto que tem um monte de porquinho comemorando em tudo quanto é canto. Na tarde de hoje, sim. Mas daí… Como faz se parte do projeto incluía contar com o Vasco arrancar pontos do há 22 jogos invicto Palmeiras? Fica meio complicado.

Mesmo correndo o risco de ser chamado de Passador de Pano, e na verdade eu não tô nem aí, o fato é que estamos no caminho certo. A não ser que alguém ache que o caminho era dever todo mundo, não ter CT, infraestrutura, lutar contra rebaixamento ano sim e outro também, dentre outros constrangimentos.

Rosas ou Roxos? Tanto faz. O pleito na real é um Jogo da Firma de Fim de Ano entre Chapa Azul A x Chapa Azul B. Com tudo que isso tem de bom e de ruim, como já expresso aqui no espaço em outras oportunidades.

O caminho podia ser menos acidentado? Com certeza. Podia ter menos anos passados em branco e sem titulo? Siiiiiimmm… Mas daí, como diria o poeta: No meio do caminho tinha uma gravata, no meio do caminho tinha um MBA, no meio do gramado tinha uma planilha fria.

E após a eleição, dados os nomes envolvidos, todos esses “empecilhos” continuarão por ali. Muita competência e pouco futebolês fluente. A vinda do Renato (se rolar) pode muito bem dar um jeito nesse ruído de comunicação, que impede muitas das vezes que o elenco entenda que “ISSO AQUI É FLAMENGO”.

Bora torcer (e repetir)

ISSO AQUI É FLAMENGO.

E… Fazer o que? Parabéns ao Palmeiras pela merecida conquista.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.