Google+

O Flamengo na terra do Mickey

Por em dezembro 24, 2018

Há décadas… a torcida do Flamengo sonha em ver o clube Mais Querido do Brasil, jogando em terras estrangeiras (e de forma rotineira).

E quando digo isso, não me refiro à jogos em estádios acanhados como aqueles que o Mengo está acostumado a jogar muitas e muitas vezes quando o clube disputa a Libertadores. E sim, em estádios modernos que possuem certa dose de modernidade, conforto, espaço destinado para atender imprensa/patrocinadores e o principal de tudo: muita segurança para a torcida, jogadores e diretoria do clube visitante.

É bem verdade que o continente Sul Americano é um continente subdesenvolvido (infelizmente) em relação a Europa. E por conta disso, a nossa moeda e o nosso poder aquisitivo… é muito inferior se comparado ao povo Europeu. E certamente isso se dá, por diversas administrações incompetentes que passaram pelo nosso país e em países vizinhos.

E esse conformismo cultural do nosso povo, se mantém também no tema futebol. Logo, o estigma de que “ah! isso sempre foi assim e nunca vai mudar” se permeia até os dias atuais. E some a essa equação, a incompetência dos dirigentes dos nossos clubes brasileiros (em especial… os dirigentes do Flamengo) que mantém esse status quo. Ou seja, é um ciclo vicioso difícil de se livrar.

O Flamengo como o principal clube do Brasil, deveria ser o primeiro clube a “puxar a fila” da internacionalização dos clubes brasileiros. E não digo, que o clube deveria fazer o trabalho dos demais clubes. Longe disso. Mas que pelo menos… tivesse sucesso no trabalho da internacionalização da sua própria marca.

E essa falta de ambição alinhada a incompetência dos diversos dirigentes que passaram pelo Flamengo, fez com que o clube deixasse de aproveitar os diversos benefícios que a internacionalização da marca de um clube de futebol pode trazer, se bem trabalhada: aumento nas receitas de venda de camisas, cotas de TV, premiação por disputar e vencer torneios, networking com os demais clubes, etc…

Eu já abordei esse tema sobre internacionalização da marca em um outro texto. Para acessá-lo, clique aqui.

Por esse motivo, acredito que o fato do Flamengo disputar a próxima edição da Florida Cup, pode ser um passo muito importante para finalmente começar esse trabalho de internacionalização.

Se bem trabalhada, a atuação do DP de Marketing e do DP de Comunicação serão fundamentais para conquista. Que cabe aqui dizer: não é um trabalho fácil.

Vale ressaltar que, um time vencedor ajuda e muito no trabalho da internacionalização da marca. Afinal de contas, ninguém quer consumir um clube fracassado e perdedor. E essa regra de ouro, vale tanto para o mercado nacional e internacional.

Agora, vejamos se a nova diretoria do Mais Querido investirá de forma qualitativa dentro e fora de campo para uma efetiva internacionalização da marca Flamengo ou se esses gestores…serão tão incompetentes quantos os que por lá já passaram.

Abraços e até a próxima!

 
 
** Siga o autor do texto, através da seguinte conta no Twitter: @t_nascimentorj
 

Saudações Rubro Negras.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.