Impaciência Rubro Negra

A segunda partida oficial do Flamengo no ano seguiu um roteiro semelhante ao do primeiro jogo. Com a exceção dos jogadores em campo, com a estreia de Gabigol e Arrascaeta, o resultado de empate por 1 x 1 contra o Resende mostrou as deficiências defensivas do primeiro jogo. Obviamente que o início de temporada e o falido campeonato carioca servem para isso mesmo, ou seja, mostrar as deficiências e saná-las. A nossa defesa continua batendo cabeça em jogadas aéreas e problemas de posicionamento, que devem ser corrigidos pelo técnico Abel.

Foto: Alexandre Vidal / Flamengo

Analisando o jogo como um todo, podemos tirar algumas conclusões:

  • A nossa lateral direita realmente é uma deficiência gigantesca. Com uma atuação ruim, Rodinei deu mostras de que vai ficando cada vez mais sem condições de atuar por ali. Sempre ficamos com a impressão de quem está sentado no banco é o melhor. Ou seja, Rodinei joga, sentimos saudades do Pará. Pará joga e queremos ver o Klebinho e por aí vai. Faz-se urgente a necessidade da contratação de um lateral direito para jogar imediatamente. Pelas notícias veiculadas, Rafinha é este jogador. Contudo, chegando apenas em maio, Abel terá que descobrir uma saída para jogarmos o início da Libertadores.
  • Alguns jogadores parecem que não estão prontos e/ou não possuem condições de atuar no time principal, tais como Jean Lucas e Thiago Santos. Em relação ao meio campista, até começou com alguns bons lances, mas caiu muito de produção e acabou substituído. Parece sentir ainda o ritmo dos profissionais. Já, em relação ao atacante Thiago Santos, o jogador de 23 anos parece não ter condições de fazer parte do elenco (Tomara que eu esteja errado), mas entra sempre errando muito e não sendo efetivo.
  • A estreia de Arrascaeta foi promissora. Mesmo sabendo que ainda não está em condições físicas ideiais, alguns lances mostraram a sua excelente visão de jogo e inteligência acima da média, inclusive no início da jogada do gol.
  • Outro destaque da partida foi a participação do lateral peruano Trauco, que se mostra muito mais a vontade atacando do que defendendo. Deu uma assistência muito boa (a de número 13 em 64 partidas) para o golaço de Dourado.
  • Já, em relação à estreia do Gabigol não teve os lampejos do uruguaio. Mostrou disposição, correu o jogo inteiro, mas não foi muito efetivo.
  • Abel vai ter trabalho para dar uma arrumada no time, que pareceu desorganizado, mesmo levando em consideração de ser um time alternativo e sem entrosamento. Levamos vários sustos com o ataque do Resende.
  • Último destaque, sem comentários adicionais: Que gol do Henrique Dourado! Simplesmente sensacional.

 Vamos aguardar e torcer para uma evolução no próximo jogo, no clássico contra o Botafogo.

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.