NA WEB
    Google+

    Flamengo vence o Clássico mesmo com cochilada no segundo tempo

    CHOCOL… OPS…

    Por em março 25, 2019
    flamengo fluminense gol taça rio 2019

    Enquanto comemorava a bola no fundo das redes após o arremate “muito camisa nove” do Gabigol, já tinha decidido: A manchete de hoje remeteria a uma canção infantil do fim dos anos 80. “Vou te mostrar que é de chocolate”.

    Na verdade eu já tava em clima obaobístico logo no primeiro gol, quando proferi convicto para o meu filho: “Vamos golear essas frangas é hoje”.

    Acredito que era um pressentimento plausível e aceitável. Compactuado pela maioria absoluta da Nação naqueles momentos de vitória parcial.

    Os caras com time reserva, nosso jogo fluindo bem, Bruno Henrique em (mais uma) partida inspirada e, talvez o principal, um histórico recente de uma equipe até intensa, que poucas vezes acionou aquela preguiça do Modo Carioqueta durante a competição.

    flamengo fluminense gol taça rio 2019

    Foto: Alexandre Vidal / Flamengo

    Não acreditei muito nos relatos, comentados pelo próprio Abel, de que rolou um clima de velório no vestiário. Acho que o povo lá no campo, pelas circunstâncias da partida, e já que o Gabigol até entoa cantos e repete coreografias da arquiba após os gols, acabou entrando na mesma vibe. E vamos combinar um treco: que não pode, não pode, mas… Não tava mesmo com cara de fatura liquidada?

    Fica a lição. Porque foi por pouco. Mas não vejo motivo nenhum para algumas reações exageradas da torcida fazendo tempestade em copo d’água. Acreditem… Vi amigo tratando o placar de três a dois a nosso favor como derrota (???!!!). Em sentido literal. Verbalizou mesmo. Assim, ó: “perdeu hoje”.

    Vale também lembrar a “importância” da partida. Tão perdida em valores reais no meio dessa confusão que é o regulamento do Carioqueta, que a semifinal, por ironia do destino, vai repetir os mesmos jogos “decisivos” do final de semana entre Flamengo, fluminenCe, Vasco e Bangu.

    Tão assim-assim que, se descartamos qualquer tipo de importância do “título” de Campeão da Taça Rio, nosso caminho mais curto pra vencer o Estadual seria o segundo turno parar nas mãos do Vasco ou do Bangu, o que nos levaria a enfrentar esse último na semifinal da bagaça toda. Maluquice, né?

    Resumo da ópera… NÃO PODE MESMO DAR ESSES MOLES. Era uma partida do “Mais Uma Chance Estadual do Rio de Janeiro”, e no Carioqueta a bola não pune e é generosa (veja só o caso do Vasco, que foi “eliminado” no sábado e garantiu vaga no domingo). Mas tem uma pá de campeonato importante pela frente.

    Mata-mata de Libertadores e Copa do Brasil  não perdoa tal tipo de deslize. As 38 decisões do Brasileirão  são mais cruéis ainda. Guardam cochilos como o de ontem, por vezes ocorridos em maio, e deixam pra cobrar lá pros fins de novembro, começo de dezembro, deixando a gente com aquela cara nostálgico-abobalhada e lamentando… “Lembra aquilo lá na terceira rodada?  Pois é…”.

    Sem desespero. Tem potencial nesse trabalho aí de 2019. É só ir aparando algumas arestas e o Carioqueta tá aí pra isso mesmo. Com reservas do outro lado, com titulares, com aplicação 100% do lado de cá, com cochilada, de qualquer jeito…

    VENCER FLA-flu É NORMAL

    Bora comemorar mesmo.

    Isso aqui é Flamengo.

    Leave a Reply

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.