Todos os posts de Andre Pinto

André Luiz Pinto é carioca, em 1979 veio ao mundo Campeão Carioca; nove dias depois era campeão da Taça Guanabara, com dois gols do Maestro Junior, um de Tita e outro do Zico, no clássico contra o Vasco. A antes de completar seis meses de vida já era Bi-Campeão. O destino escrevia o seu futuro. Ovelha rubro negra de uma família de tradição portuguesa, desde 2004 passou várias noites em claro acompanhando os jogos nas madrugadas da cidade do Porto em Portugal, e tratou de usar as milhas para não perder o Hexa Rubro Negro no Maracanã e voltar no dia seguinte. É Arquiteto e Urbanista da UFRJ com pós-graduação em Portugal, no retorno ao Brasil, com uma “portuguesa rubro negra com certeza” do lado, realizou o sonho de ser sócio do mais querido! Esse rubro-negro que chega devagarinho, espera poder, de forma singela, colaborar para falar de futebol e claro: de Flamengo! Twitter: @andrepinarq

Mixórdia Rubro-Negra

Guanabara

O Flamengo arrancou um empate no finalzinho e acabou derrotado nos pênaltis pelo FluminenC na final da Taça Guanabara.

Resultado obviamente a se lamentar, sobretudo porque ficou a sensação de que houve um apagão no sistema defensivo rubro-negro. Até a virada em 2×1 parecia que era uma questão de tempo para saírem mais uns dois gols pelo menos. No entanto, os dois gols vieram do lado dos tricolete, mais uma vez em falhas bisonhas de um sistema defensivo perdido que nosso nobre treinador não conseguiu corrigir durante o jogo.

Do lado mais fresco da partida, Abelão aproveitou muito bem a mixórdia que se apresentava com a entrada de Gabriel (sério quem é o padrinho do menino?), Berrío e Vizeu… e lá se foi definitivamente qualquer coerência. Guerrero ainda nos deu esperança com uma cobrança de falta magistral, que Zico, o Maestro Júnior e Pet assinariam embaixo!

Berrío ainda teve a bola do jogo!

Juro que por um instante vi o Carlos Alberto Torres entrando pela direita com a camisa amarelinha. Mas não, não era o Pelé com a bola. Era Berrío que não deve ter visto tantas vezes como eu o magistral lance que compõe um dos mais belos gols da história do Futebol…

Vieram os pênaltis e, para mim, nosso nobre treinador errou novamente colocando os dois zagueiros para cobrar os pênaltis. Os dois tinham sido muitíssimos exigidos durante todo o jogo e digamos que com 3 gols contra não se portaram tão bem assim…

Para piorar escalou Gabriel para fechar a série de cobranças! Para que? Para correr o risco de aumentar ainda mais a cobrança no garoto? Queimá-lo de vez com a torcida e com clubes que possam se interessar por ele? Além do mais, é reconhecida a necessidade de energéticos pesados para dali sair um chute e não um peteleco…

Bom, resumindo:

Não é o fim do mundo! Nosso caríssimo treinador teve uma capacidade de montar um bom time nos treinos do ninho e chega para começar bem os jogos. No entanto, na minha perspectiva as decisões de beira de campo, com o jogo rolando, são majoritariamente equivocadas. Dificuldade de leitura de jogo? Parece que ele mesmo reconheceu isso nessa final…

Me preocupa, mas nada que não possa ser cobrado e corrigido da melhor forma possível…

Libertadores QUÆ SERA TAMEN

Hoje começa mais uma caminhada rumo à conquista da Libertadores da América!

Para mim, que era muito pequeno para ver o time campeão do mundo jogá-la, esse é o plantel com mais qualidade que vejo encarar essa pedreira.

Já está mais do que na hora de o Flamengo voltar a se qualificar como um dos grandes dentro de campo no cenário das Américas. Fora dele, sua grandeza é reconhecida através do que representa a Nação, mas nas quatro linhas temos deixado a desejar quando por lá passamos.

A confiança é grande, o grupo é qualificado e está unido, salários em dia e a nossa casa está preparada: o Maracanã!

Torcedor rubro-negro, você que estará nas arquibancadas e camarotes do sempre mítico Maraca (não tirarão dele essa característica), torça muito, grite, cobre, incentive deixe lá sua alma, porque assim esperamos que seja também dentro de campo. Vamos transmitir para os jogadores essa dedicação e entrega que todos temos em relação à nossa paixão que é o Flamengo!

Você que verá de casa, faço o mesmo! Ampliaremos essa corrente que nos levará ao topo do mundo!

Vai Flamengo! LIBERTADORES ainda que tardia!

Mixórdia Rubro-Negra

Torcida única I

Que triste ponto chegamos.

A barbárie instaurada por marginais travestidos de torcedores provoca reações que levantam o debate da possibilidade de termos o futebol com apenas os torcedores do time mandante nas arquibancadas.

A posição geral é contraria, e claro que concordo que é, sobretudo, triste para nosso futebol.

No entanto, na barbárie em que vivemos, parece até que faz sentido. Essa é mais uma página da triste história do futebol brasileiro e, sobretudo, carioca nos últimos tempos.

O Rio que, há poucos meses, recebeu o maior evento desportivo do mundo que preza exatamente a disputa limpa e amigável, a união entre pessoas pelo esporte, dá esse vexame: violência, ausência do maior palco esportivo do futebol brasileiro por incompetência, corrupção e canalhice dos nosso governantes.

Triste fim…

Torcida única II

Em tempo, concordo com a atitude do clube de pleitear o jogo com torcida mista. Ganha o espetáculo e o futebol. Verdade que é muito difícil acreditar que o nefasto presidente do eterno vice da colina faria o mesmo, mas somos assim: ENORMES e ÚNICOS!

Pois é, ÚNICA, é só a torcida do Mengão mesmo…!

Aha Uhu que torcida é essa?!

Craque o Flamengo faz em casa

A vitória sobre o Madureira fez renovar a antiga idéia de que “craque o Flamengo faz em casa!”

Que pinturas as jogadas de Vizeu e Paquetá!

Uma linda jogada individual pela ponta e assistência para Mancuello (que tem se destacado nesse início de ano) e um golaço de Paquetá que marcará a história desse menino para toda a vida.

A primeira vez nunca se esquece!

Muita calma nessa hora, mas as perspectivas parecem animadoras…

Arena da Ilha

Correm as notícias: Flamengo não terá tempo suficiente para inscrever a Arena da Ilha como sua casa para a primeira fase da Libertadores.

Vice de patrimônio declara que ainda não sabe quando será a estréia na nova casa…

Pelo amor de Deus!

Que planejamento é esse?

Não sabe?

Não há tempo?

Amadorismo pouco é bobagem…

Todo dia um 7 x1

Tive a oportunidade de estar com a ZDF reuter, tv alemã, na semana passada para entrevista de apoio à uma matéria sobre o Maracanã e o legado olímpico.

Estivemos no maior do mundo e no Parque olímpico da Barra.

Realmente é muito difícil explicar para gente séria como pode tanto abandono e mau uso do dinheiro público.

Cada pergunta era mais um gol da Alemanha…

Triste…

Sai de lá com a impressão real de que 7x 1 foi mesmo pouco…

Mixórdia Rubro-Negra 3

Semana passada, por motivos de força maior, a Mixórdia ficou em falta com a galera, mas já voltamos para falar de tudo um pouco…

Barbas de molho

O ano começou bem! O time entrou voando no carioqueta! Nada parecido com o que vimos nos amistosos da pré-temporada. Estavam escondendo o jogo?

O grande destaque é Mancuello! O Hermano está jogando o fino da bola!

Já andam lembrando de Cirino, que se destacou no campeonato do “me engana que eu gosto” e depois… bom, depois todo mundo já sabe.

Obviamente a qualidade técnica de Mancuello nem se compara ao do “corredor” Ciríno. No entanto, também é óbvio que o jogar contra os pequenos do Rio não é referência para ninguém.

Vamos deixar as “barbas de molho” e aguardar os clássicos. Pelo menos ganhar do “vice da colina” é uma obrigação!

Arena na Portuguesa da Ilha

Cresci ali ao lado da Associação Atlética Portuguesa, no bairro de mesmo nome. Frequentei muito o clube: shows, patinhouse (estive na inauguração), aulas de educação física, natação e escolinha de futebol. O primeiro jogo de futebol que assisti na vida foi lá, no “estádio dos ventos uivantes”, até joguei lá, vejam só…

Acho que foi ótima opção para o Fla fazer uma casa provisória, enquanto não se resolve a confusão que os nossos governantes canalhas promoveram. Não podemos nunca esquecer que no Maraca, está a verdadeira casa do Flamengo!

Óbvio que os moradores estarão preocupados com a confusão que pode se instalar no bairro que é bastante tranquilo, bom pelo menos era, já não ando por lá há quase 20 anos.

Aos rubro-negros não cabe “jogar pedra” nos moradores (destaque para as aspas). Na minha opinião eles estão no direito deles de se preocuparem.

Uma grande ajuda que podemos dar é ter um comportamento civilizado quando estivermos por lá. Quem sabe poderemos com isso mostrar como somos ainda maiores e até podemos fazer um Estádio na nossa segunda casa, a Gávea…

Vai e vem…

Foram muitas as contratações para essa temporada. Zé Ricardo terá muita “dor de cabeça positiva” para montar o time, o que é ótimo! Destaque até aqui para Trauco, o Peruano mostra que cruzar na área corretamente é uma coisa que ainda existe no futebol.

Agora pensar que estamos renovando com Gabriel dois anos e renovamos com “Marssaraújo” também, é difícil de entender. Mas vamos lá, ver no que vai dar.

Para quem estava preocupado com um goleiro reserva, penso que a opção por trazer César de volta é uma solução “caseira” inteligente e positiva. César, que passou por todas as seleções de base, pode render muito mais com um time estruturado e sem uma pressão enorme pela falta de qualidade geral.

Dura lex, sed lex

Na semana passada não deu para comentar, mas foi triste rever o Flamengo nas páginas policiais mesmo que indiretamente.

A prisão do vice de futebol, aparentemente, envolvido em esquemas de Eike Batista, obviamente denigre a recente imagem que o clube tem lutado para construir.

Parece que houve gente que relutou, mas o afastamento imediato do cartola foi providencial, necessário e correto!
Esperamos mais cuidados de quem comanda o clube, nessa e em futuras administrações, na hora de escolher os nomes que representarão a instituição.

Mixórdia Rubro-Negra 2

Maraca repartido? Sem crise…

Flamengo e FluminenC anunciaram na sede da Federação de Futebol do Rio (Ferj) um acordo com o consórcio liderado pela CSM para a gestão do Maracanã. No caso de o consórcio não levar, o presidente já anunciou que o Fla não joga no Maracanã.

A posição intransigente me parece desnecessária na medida em que se trata de uma disputa licitatória onde o vencedor não será escolhido pelo clube. Tudo pode acontecer, e fechar portas nem sempre é uma atitude inteligente.

Independentemente da posição dos clubes, vale ressaltar que partilhar o estádio com o FluminenC é uma atitude inteligente. Até porque o calendário das séries B e C do futebol nacional não possuem conflito com o da série A, onde o Flamengo tem cadeira cativa.

Afinal: time grande não cai!

***

Pai rubro-negro, filho idem.

José Willami, pai de Rômulo, nova contratação do Fla declarou para o GE:

– Ah, rapaz… Eu já fico pensando em Libertadores. Quero ver como vai ser minha reação. Sinceramente, a ficha ainda não caiu. Só quando a bola começar a rolar e eu poder viver essa emoção de ele defender na Libertadores o clube que torço desde criança.

Nós também, Sr. José, nós também queremos ver seu filho em campo dando muitas alegrias para a Nação. Difícil é saber se vai conseguir espaço para jogar, já que parece difícil retirar a titularidade do nosso “mago da volância”…

***

Treino é treino, jogo é jogo

Já diriam os sábios do futebol:

– Treino é treino, jogo é jogo!

Mas perder para o Vila Nova e para o Serra Macaense é duro viu.

Podem dizer que é treino, que há pouco interesse, que ninguém coloca o pé na véspera de início de temporada. Mas eu preferia o tempo em que eu era criança, onde jogo treino nesse padrão era goleada na certa…

***

Boas maneiras

Temos visto um enorme “mimimi” nas redes sociais por conta dos posicionamentos dirigentes atuais e que já não estão mais pela Gávea.

Um ex-dirigente resolveu criticar a derrota no jogo treino e levou pancada de todo o lado porque tem adotado constantemente posição crítica. O outro resolveu fazer graça com jogador revelado pelo clube que escolheu um clube que paga o que ele pensa que vale, e também levou pancada, especialmente do próprio jogador.

Ambos exercem sua liberdade de expressão, concorde ou não, goste deles ou não, é um direito falar o que quiserem em suas redes sociais.

No entanto, aquele que representa institucionalmente o clube deveria evitar a exposição desnecessária, talvez aquele que certamente gostaria de voltar a estar por lá também deveria.

Bons modos, estratégia e canja de galinha não fazem mal a ninguém.

Mixórdia Rubro-Negra

Vai começar o Carioca e o maior palco do nosso futebol está entregue aos ratos. E não falo só daqueles pequenos roedores que andam no submundo dos esgotos, há também os ratos que circulam no submundo da política, da corrupção e da roubalheira do dinheiro público.

Em que pese a solução de uma arena para 20 mil na Ilha do Governador ser uma ideia positiva, o Flamengo não pode desistir do Maracanã! Tanto a mística do (ex) maior do mundo quanto a do manto rubro-negro estão intimamente ligadas.

O Flamengo tem que utilizar sua força.

Quarenta milhões de torcedores transformados em pressão política é algo que só nós podemos ter. Além disso, segundo alguns dirigentes, o Fla é responsável por aproximadamente 70% da viabilidade do estádio. Isto significa que o Maracanã sem o Flamengo é inviável.

Temos que ir com tudo para cima! É preciso desenhar um arranjo que nos permita administrar o estádio, não existe a hipótese de que não é viável. Aquilo é patrimônio público, foi nosso dinheiro que construiu e o reformou sei lá quantas vezes. Não podemos ignorar isso!

Com alguma inteligência e pondo de lado interesses sombrios, é óbvio que há solução para o Maraca, e ela tem nome: Flamengo!

Transparência no dos outros é refresco

O período de recesso que vem chegando ao fim nos revelou uma nova prática jornalista. A preocupação exacerbada com as finanças alheias. Talvez, a postura adotada de fazer as coisas “no sapatinho”, sanar dívidas e conduzir de forma responsável as finanças do clube, desde 2013, esteja deixando nossos colegas jornalistas um tanto quanto desestabilizados, sobretudo na terra da garoa.

A falta de assuntos especulativos e polêmicos vinculados ao Mais Querido levou alguns colegas a questionar a fonte dos recursos rubro-negros para fazer contratações e reforçar seu elenco para 2017. Depois de quatro anos de ajustes e responsabilidade e com os maiores patrocínios do país, de onde poderá vir o dinheiro do Fla? Vai entender né?! Vamos ter que desenhar…

Mas o que me chamou a atenção nessa semana, foi a divulgação da dívida pessoal de um grande rubro-negro, que embora suscite sentimentos de amor e ódio entre os amantes do futebol, possui uma importância enorme para a história do esporte brasileiro na TV – Galvão Bueno. Não é que, na falta do que dizer, os jornalistas esportivos resolveram comentar a dívida de Galvão. Um jornalista chegou a quase exigir transparência das finanças pessoais dele só porque ele pede transparência da CBF…

É sério isso?! Realmente, é cada dia um 7 a 1 diferente…

Drogba

Não é que o time de maior torcida regional do país está tentando recriar o “efeito Fenômeno”. A ideia é contratar Drogba para criar um efeito de marketing que alavanque o clube como foi feito há alguns anos atrás no início da caminhada que levaria ao título mundial conquistado graças ao atual camisa nove Rubro-Negro.

No entanto, há questões importantes a se levantar no atual quadro: primeiro, o momento do país não é o mesmo. Não há tanto dinheiro circulando e nem a euforia de alguns anos atrás. O consumo da marca do clube será certamente menor do que naqueles tempos; segundo, embora Drogba seja um grande jogador, não representa nem de perto, nem de longe, o que Ronaldo representou para o futebol mundial. Não se equipara no talento, nem (e sobretudo) nos contatos e negócios capazes de alavancar, é reconhecido o oportunismo do fenômeno dentro e fora das quatro linhas.

Se a contratação se concretizar será um bom “case” a ser observado e ajudará a definir movimentações deste tipo no mercado da bola.

Vamos ficar de olho!

Uma recepção digna de um Rubro-Negro

No último dia 9 retornei de uma viagem ao exterior com a família e pela primeira vez tive uma recepção digna no aeroporto. Uma massa de rubro negros estava a nossa espera entoando as mais belas músicas ouvidas nos jogos do Flamengo. Finalmente uma recepção digna na minha cidade!

Fui para os braços da galera com minha filha pequena!

–Está vendo filhota, o Flamengo é assim! Meeengooo!

–Ohhh!

Logo em seguida, fiquei sabendo que a recepção era para o Conca (boa sorte para ele!).

Mas e daí? Quem precisa saber?

–Filhota, só um rubro-negro é recebido assim quando chega em casa! O que você acha?

–Papai, Meeengooo!