Todos os posts de Leonardo Lagden

Nascido em 1975, carioca com amor pela Noruega. Adorador do puro heavy metal e das canções de Zé Ramalho. Leitor de contos de terror de Stephen King e Edgard Allan Poe. De carreira insólita, formado em Engenharia Química e Jornalismo, com pós graduação em Gerenciamento de Projetos e Mídias Digitais. Contudo,o lado eclético termina quando se fala em futebol. Rubro-negro convicto e com adoração pelos ídolos Zico e Leandro, frequentador do Maracanã desde o tempo em que o Flamengo ainda era tri campeão brasileiro. Acompanhou de perto o tetracampeonato, em 1987 (Sim, fui campeão brasileiro e justiça nenhuma me tira esse título). Um adorador das palavras, seja para ler ou para escrever, espera contribuir com crônicas relembrando o passado ou falando do presente. Twitter: @leoargonio

Flamengo x Boavista: Vitória protocolar

A vitória de ontem, pelo placar de 3 x 1 em cima do Boavista, carimbou antecipadamente a ida à semifinal da Taça Guanabara para o time do Flamengo. Surpresa nenhuma, visto o baixo nível técnico do nosso modorrento Campeonato Carioca. Resultado protocolar conseguido em um Maracanã com mais de 34 mil pessoas, mesmo em um jogo na Terça feira, à noite.

Encarando o “Carioquinha” como uma pré temporada, não se importando com os resultados obtidos, podemos tirar algumas conclusões, mesmo que ainda de forma precipitada. Seguem os 7 pontos de destaque.

flamengo
Foto: Alexandre Vidal / Flamengo
  • A impaciência da torcida, deve-se à falta de títulos de expressão. Isso é justificável, pois torcedor age sempre com a emoção. Vaias antes do início da partida, perseguição a determinados jogadores e insatisfação com o ínicio de trabalho do técnico Abel. Tudo é justificado e não é novo. Acontece desde o início dos tempos. Mesmo na época de ouro, esse comportamento era visto no Maracanã. Talvez, com o advento das redes sociais, esse movimento foi amplificado, aumentando a sensação perante a outros torcedores.
  • O time ainda não apresentou um padrão. Estamos ganhando as partidas, mais pela capacidade técnica de alguns jogadores. O esquema de jogo desejado pelo técnico Abel ainda não estã muito claro. Prefiro dar o benefício da dúvida, lembrando que não gosto do estilo Abel de jogar. Para mim, o escolhido para treinar o time seria outro. Mas, entenderam que o Abel seria o mais indicado e é por ele que eu vou torcer.
  • Acho importante fazer esse revezamento de jogadores nesse início, pois a condição física dos jogadores ainda estão longe do ideal. Visto que ontem, Gabigol e Jean Lucas tiveram caimbras e outros jogadores cansaram nitidamente na parte final do jogo. Mas, vai chegando a hora de definirmos um time titular e jogar pelo menos uma vez por semana com esse time junto.
  • Analisando a partida de ontem, gostei bastante da participação do Rodrigo Caio e creio que teremos um ótimo zagueiro durante a temporada. Ganhou praticamente todas as divididas, saiu jogando com qualidade e ainda foi perigoso na frente, marcando um gol e cabeceando outras com perigo. Não descartaria o teste com ele jogando de zagueiro na sobra, sacando Arão do time titular.
  • Outro que fez boa partida e parece que vai fazendo bom início de ano é o lateral esquerdo Trauco. Vai ser importante durante o ano, principalmente quando precisarmos jogar contra times retrancados, quando precisarmos de uma força ofensiva pelo lado do campo.
  • Jean Lucas novamente não fez outra boa partida. Vai desperdiçando boas chances para mostrar o bom futebol que apresentava na base. Ainda falta evoluir, onde a promoção aos profissionais antes do tempo pode ter sido a razão para essa queda. Contudo, convém ter paciência e ir colocando aos poucos e fazer um trabalho de base e físico.
  • A vontade de Gabigol e os lampejos de Arrascaeta vão empolgando. Gabigol luta o jogo todo e mostra muita vontade, o que faz com que a torcida imediatamente se identifique. Já, Arrascaeta nitidamente carece de um melhor preparo físico, mas mesmo assim faz algumas jogadas que resultam em perigo de gol e dá sequência na maioria das vezes. Assim que estiver em plenas condições físicas, mostra que será uma peça das mais importantes do ano.

De resto é torcermos com um pouco mais de paciência e mirarmos a Libertadores que já já estará batendo em nossas portas!

Impaciência Rubro Negra

A segunda partida oficial do Flamengo no ano seguiu um roteiro semelhante ao do primeiro jogo. Com a exceção dos jogadores em campo, com a estreia de Gabigol e Arrascaeta, o resultado de empate por 1 x 1 contra o Resende mostrou as deficiências defensivas do primeiro jogo. Obviamente que o início de temporada e o falido campeonato carioca servem para isso mesmo, ou seja, mostrar as deficiências e saná-las. A nossa defesa continua batendo cabeça em jogadas aéreas e problemas de posicionamento, que devem ser corrigidos pelo técnico Abel.

Foto: Alexandre Vidal / Flamengo

Analisando o jogo como um todo, podemos tirar algumas conclusões:

  • A nossa lateral direita realmente é uma deficiência gigantesca. Com uma atuação ruim, Rodinei deu mostras de que vai ficando cada vez mais sem condições de atuar por ali. Sempre ficamos com a impressão de quem está sentado no banco é o melhor. Ou seja, Rodinei joga, sentimos saudades do Pará. Pará joga e queremos ver o Klebinho e por aí vai. Faz-se urgente a necessidade da contratação de um lateral direito para jogar imediatamente. Pelas notícias veiculadas, Rafinha é este jogador. Contudo, chegando apenas em maio, Abel terá que descobrir uma saída para jogarmos o início da Libertadores.
  • Alguns jogadores parecem que não estão prontos e/ou não possuem condições de atuar no time principal, tais como Jean Lucas e Thiago Santos. Em relação ao meio campista, até começou com alguns bons lances, mas caiu muito de produção e acabou substituído. Parece sentir ainda o ritmo dos profissionais. Já, em relação ao atacante Thiago Santos, o jogador de 23 anos parece não ter condições de fazer parte do elenco (Tomara que eu esteja errado), mas entra sempre errando muito e não sendo efetivo.
  • A estreia de Arrascaeta foi promissora. Mesmo sabendo que ainda não está em condições físicas ideiais, alguns lances mostraram a sua excelente visão de jogo e inteligência acima da média, inclusive no início da jogada do gol.
  • Outro destaque da partida foi a participação do lateral peruano Trauco, que se mostra muito mais a vontade atacando do que defendendo. Deu uma assistência muito boa (a de número 13 em 64 partidas) para o golaço de Dourado.
  • Já, em relação à estreia do Gabigol não teve os lampejos do uruguaio. Mostrou disposição, correu o jogo inteiro, mas não foi muito efetivo.
  • Abel vai ter trabalho para dar uma arrumada no time, que pareceu desorganizado, mesmo levando em consideração de ser um time alternativo e sem entrosamento. Levamos vários sustos com o ataque do Resende.
  • Último destaque, sem comentários adicionais: Que gol do Henrique Dourado! Simplesmente sensacional.

 Vamos aguardar e torcer para uma evolução no próximo jogo, no clássico contra o Botafogo.

Enfim, 2019

2019! Finalmente o ano futebolístico começou oficialmente. A primeira partida oficial do ano, foi disputada no Maracanã, debaixo de um sol intenso, alta temperatura e contra um adversário franco atirador, como serão todos durante o Campeonato Carioca desse ano.

O Flamengo saiu vencedor, com uma atuação que deu para o gasto e que me fez refletir sobre a grandeza do Flamengo. É o preço que teremos que pagar cada vez mais daqui para a frente. A medida que aumenta os milhões de investimentos, aumenta a cobrança de nossa própria torcida (que ontem compareceu em um ótimo número, quase 47 mil), além da intensidade das cornetas, seja da torcida arco-íris ou da mídia. Vamos avaliar o que repercutiu neste final de semana.

Pelo âmbito do Rio, tivemos uma vitória magra e nada convincente do Vasco, um empate do Fluminense com o Volta Redonda (que perdeu um pênalti e teve um jogador injustamente expulso) e uma derrota do Botafogo (3×1 para o Cabofriense). O Flamengo venceu o Bangu por 2×1, teve uma bola na trave e um pênalti perdido. Foi a melhor exibição do mundo? Obviamente que não. Observamos falhas no setor defensivo, falta de continuidade no ataque em alguns momentos e a óbvia falta de condicionamento dos atletas. Contudo, temos que ter em mente que estamos em um período de condicionamento físico e a assimilação de uma metodologia do novo treinador. Adoraria ter visto uma exibição de gala, com uma goleada incontestável de resultado. Contudo, temos que ter em mente que os estaduais atualmente devem servir apenas como preparatório e nosso alvo principal deve ser a Libertadores, além dos torneios no âmbito nacional.

flamengo bangu 2019 elenco jogo carioca
Alexandre Vidal / Flamengo

 

Ontem no Maracanã, vimos uma parte da torcida vaiando alguns jogadores, em especial o atacante Vitinho. Óbvio que cada um torce da maneira que quiser e que não tem essa de uns serem mais rubro negros do que outros, mas vamos parar para pensar um pouco na chance que temos esse ano de conquistarmos títulos de expressão. Não é a maneira mais razoável de começar o ano, pegando no pé do elenco e fazendo o jogo que alguns da imprensa parecem querer fazer.

Quando avaliamos as manchetes e os programas esportivos analisando a rodada dos estaduais, vemos claramente a diferença de tratamento. Vejamos, o Palmeiras empatou na primeira rodada contra o RB Brasil. As principais manchetes são pedindo paciência e ressaltando que é início de trabalho e que o técnico pede uns 40 dias para colocar o time em um ritmo mais competitivo. Contudo, a mesma paciência e complacência, não vemos com o Flamengo.

Vamos dar um período de adaptação de todos, as estreias dos badalados reforços e o início das competições que realmente valem alguma coisa, para que possamos fazer a devida cobrança.

Feliz 2019 e Boa sorte para todos nós!

Flamengo x Vasco – ATUAÇÕES

Alex Muralha: Sem muito trabalho, acabou levando sorte em uma bola no travessão. Tem que treinar defesas de pênalti, uma vez que quase nunca consegue ter reação. Nota 6.5

Pará: Outra ótima partida. Subiu bastante de produção na segunda etapa e fui um dos principais jogadores do time. Nota 8.0

Réver: Fazia uma partida boa, contudo, o erro na saída de bola propiciou o primeiro gol do adversário. Nota 6.5

Rafael Vaz: O feijão com arroz de sempre. Muitos chutões para a frente e ainda demonstra certa insegura com perseguição da torcida. Nota 5.5

Renê: Vem se soltando jogo a jogo e demonstra que vai ser uma ótima peça no elenco. Foi castigado com o lance do pênalti inexistente. Nota 7.0

Márcio Araújo: Muita correria, passes laterais e algumas boas antecipações. Não comprometeu, mas poderia ter sido mais ativo e rápido nas saídas de bola. Nota 6.0

Willian Arão: Fez uma boa partida. Teve espaço no meio, marcou um gol e deu uma assistência perfeita no segundo gol. Nota 8.0

Mancuello: Fez uma atuação bastante apagada no primeiro tempo, melhorou um pouco no segundo tempo, mas nada que o fizesse ter uma partida destacada. Nota 5.0

Éverton: Não foi eficiente dessa vez, apesar de toda entrega e disposição física durante todo o tempo. Nota 6.5

Leandro Damião: Muita luta, pouca técnica. Desperdiçou alguns lances, mas ficou isolado durante todo o primeiro tempo. Nota 5.5

Berrío: Não fazia um bom jogo. Correria, tentativas de avançar pelos lados, que quase sempre eram contidas pelo adversário. Subiu de produção, assim como todo o time, no segundo tempo, e acabou fazendo um bonito gol. Nota 6.5

Leo Duarte: Entrou no lugar de Réver e não compremeteu. Nota 6.0

Marcelo Cirino: Entrou faltando 5 minutos e mostrou total falta de ritmo. Cometeu duas faltas perigosas na entrada da área e não conseguiu puxar um contra ataque sequer. Nota 4.0

Lucas Paquetá: Foi lançado no final do jogo, mas teve tempo para fazer uma boa jogada pela esquerda, sofrendo falta perigosa. Não se escondeu. Nota 6.5

Zé Ricardo: Viu o time ser dominado no primeiro tempo e não conseguiu reverter a situação, mesmo com a parada de 9 minutos por falta de energia. Consertou um pouco no intervalo, mas foi ajudado pela expulsão de Luís Fabiano. Demorou a mexer no time e lançou Cirino no final, sem ritmo, o que acabou prejudicando a equipe. Nota 4.0

Flamengo x Bangu – ATUAÇÕES

Alex Muralha: Foi um mero torcedor dentro de campo. Não fez nenhuma defesa durante os 90 minutos de bola rolando. Nota 8.0

Pará: Excelente atuação. Força física, velocidade na chegada ao ataque e eficiente na defesa. Viu seu nome gritado ao final da partida. Nota 9.0

Réver: Outra atuação segura do capitão. Excelente colocação e noção de cobertura. Nota 8.0

Rafael Vaz: Pareceu inseguro com a perseguição da torcida. Bateu uma falta bisonhamente e quase marcou por duas vezes, quando foi ao ataque. Nota 5.0

Renê: Fez uma boa partida. Pareceu mais solto e menos tímido. Foi premiado com um golaço. Nota 8.5

Márcio Araújo: Para desespero de parte da torcida, fez uma boa partida. Foi o principal responsável por conduzir a bola e ditar o ritmo do time, no primeiro tempo. Não falhou nos passes e quase marcou um gol, em chute de fora da área. Nota 8.0

William Arão: Poderia ter sido mais participativo. Fez uma partida burocrática. Mas mesmo assim, foi visto algumas vezes dentro da área adversária. Nota 5.5

Lucas Paquetá: Outro que poderia ter tido uma atuação melhor. Faltou chamar mais a responsabilidade de armar o time. Acabou substituído no segundo tempo. Nota 5.5

Éverton: Fôlego invejável e participação intensa durante os 90 minutos. Quase marcou e deu uma assistência no final. Nota 8.0

Mancuello: Fez um bom primeiro tempo, quando se apresentou bastante e foi a principal peça de ataque Rubro Negra. Caiu de produção no segundo tempo. Nota 6.5

Felipe Vizeu: Muita participação, não se escondeu em nenhum momento. Mas faltou caprichar mais nas conclusões e dar sequência em alguns lances. Nota 6.5

Leandro Damião: Entrou se movimentando bastante, dando opção ao meio de campo e acabou premiado com um gol de cabeça. Nota 7.5

Berrío: Outro que acelerou o time da segunda etapa e foi um dos principais responsáveis pela vitória. Nota 8.0

Matheus Sávio: Parecia um pouco ansioso e desperdiçando alguns lances. Aos poucos foi se encontrando e acabou fazendo o terceiro gol do time. Nota 7.0

Zé Ricardo: Vem rodando o elenco e mexeu bem durante o jogo. Talvez seja o caso de preservar um pouco Rafael Vaz, pois o mesmo parece que está sentindo a perseguição da torcida. Nota 8.0