RODADA 6: POUCAS SURPRESAS E PRESENÇA MARCANTE DO VAR

A rodada começou com uma previsível vitória do chato (recalque) líder Palmeiras sobre o Botafogo, que começa a cair na real. Mando do Glorioso (acho esse apelido muito auto bullying), mais torcida alviverde e domínio paulista absoluto da partida. Martelou até sair o gol. Teve pênalti com auxílio do VAR e, já que é pra ir voltando à realidade, a turma do chororô promete ir chorar no tribunal que é lugar quente. Querem “apenas” a anulação da partida.

Na noite de sábado teve o Grêmio finalmente ganhando umazinha e dominando a partida contra o vice-líder Galo em Porto Alegre. Com gol do Vizeu, que voltou da sua previsível curta passagem pelo exterior mais rápido ainda do que se esperava.

No horário nobre de domingo, empate sem gols morno em campo entre Santos e Inter. Apesar da temperatura amena da peleja, clima nas alturas na beira do gramado, com os dois técnicos enchendo o saco da arbitragem sem freios, inclusive com ambos recebendo cartão amarelo ainda no primeiro tempo. Jogo com participação ativa do VAR também.

No mesmo horário, o Flamengo encheu a tarde de emoção ao arrancar a vitória de revirada nos últimos minutos de jogo. Após o fim… Protestos nas arquibancadas e revolta do técnico e dos jogadores. O Flamengo é um planeta isolado no universo do futebol. Não precisa nem mais perder pra ter crise.

Sete da noite de domingo. O Cruzeiro conseguiu perder também pra Chapecoense e agora está uma posição acima da zona da confusão. O São Paulo perdeu pro Corinthians sendo Corinthians. Gol no início do jogo e retranca eficiente até acabar.

No mesmo horário tivemos outro show do VAR na Fonte Nova, sendo usado até em decisões que não lhe pertencem. O fluminenCe foi prejudicado, mas cá pra nós, o tricolor do Rio é convidado no Brasileirão e tem mais é que agradecer por participar da festa. Não tem direito de reclamar.

E nesse horário teve mais alguma coisa que eu não estou lembrando… Um momento… Ah, perdão. Teve o Vasco outra vez tomando gol no fim do jogo e garantindo a posse da lanterna.

Na segunda passada foram 19 anos exatos daquele gol do Pet. Justas homenagens. Flamengo venceu no fim do jogo e o Vasco saiu com um empate com gosto de derrota também ao apagar das luzes.

E na noite de segunda… Jogos com cara de Segunda. Avaí perdeu de virada em casa pro Ceará, e o CSA arrancou sua primeira vitória no retorno à Série A. Placar mínimo diante do Goiás.

Melhoramos nossa posição e desapegamos da meiúca da tabela. A rodada do próximo fim de semana não é muito animadora. Tem cara de que os seis primeiros vencem seus jogos e permanecem na mesma. Tá bom. O importante é não desgrudar da parte alta até a parada pra Copa América. Depois é mais ou menos outro campeonato. E isso tende a ser melhor pra quem tem finanças saudáveis.

Bora manter.

Isso aqui é Flamengo.

CARTOLA FC

Os 12 iniciais do Nosso Flamengo cravaram 51.91 no game. Média de 4.32. Meio mais ou menos. Maior pontuador foi o Bruno Henrique com. 10.50, e o menor Diego Ribas, com menos 1.20.

Entre altos e baixos, pelo alto, Flamengo arranca os três pontos na marra

AQUI REALMENTE É FLAMENGO

Aeeeeeee… Mais uma vez um texto pós jogo começando com o nosso adorado, inestimável, querido, e hoje em Caps Lock…

UUUUUFAAAAAAAA!!!!

Vamos combinar um negócio. Aliás, combinar não que esse quase pacto de sadomasoquismo emocional já vem de longa data: COMO É BOM SER FLAMENGO!!!

Maracanã lotado? Contra o time reserva do rubro-negro genérico do Paraná? Eles com a cabeça no jogo contra o River Plate pela Recopa? Ah… Vai ser uma sacola. Vamos judiar bonito.

Na-na-ni-na-não. Flamengo fez uma exibição um tanto quanto apática no primeiro tempo. Dominante no jogo? Quase sim. Quase porque a gente chegava lá na frente e ficava pensando em sei lá o que em vez de chutar pro gol. Quase porque nos eventuais contragolpes dos caras o Diego Alves bem precisou salvar a pátria uma pá de vezes.

Dai a gente acha um gol em um pênalti assim-assim consentido pelo VAR, o totem sagrado do futebol moderno, e pensa: “Aí sim… No segundo tempo é mais uns três ou eu nem comemoro”.

gol flamengo athletico maracana brasileiro 2019
Foto: Alexandre Vidal / Flamengo

Mas aqui REALMENTE é Flamengo. Um apagão generalizado e o povo parece ter combinado um “bora fazer uma parada inesquecível? daquelas bem impossíveis?”. Dito e feito. Tomamos dois gols do MARCELO CIRINO.

Na hora em que nosso ex estufou as redes no pênalti, boatos de que foram vistos vários ambulantes nas arquibancadas vendendo o Kit Muro, composto por uma lata de tinta, um pincel, um livro de gramática, e um alvo de dardos com a cara do Cacau Cotta.

E tome de ofensas ao Abel, que ficou com um semblante de dar medo, porque remetia ao mal súbito que teve pouco tempo atrás à beira do mesmo gramado, diante do mesmo Flamengo inconstante.

E assim… Eu não sou médico e nem psiquiatra, mas algum mal estar deve ter rolado. RODINEI???? LINCOLN???? Ou o Abelão perdeu os sentidos ou quis devolver na mesma moeda os afagos e elogios vindos da massa revolta na arquiba.

Em campo, mais uma vez desdenhamos dos milhões gastos em reforços, e voltamos à estratégia lotérica de chutar alto pra área e ver o que acontece. Afinal… Já tinha dado errado uma semana antes contra o Galo, por que não tentar outra vez?

Só que dessa vez rolou. Bruno Henrique e Rodrigo Vasco, quero dizer, Caio, ao apagar das luzes, devolveram para o Flamengo os três pontos que lhe são de direito em jogos com o Maracanã cheio.

É muito Flamengo. Um festival extremo de emoções e situações conflitantes. Nossa irregularidade resumida em pouco mais de 90 minutos.

Do arame liso aos três gols, de milhões em reforços ao chuveirinho, do Rodinei em campo ao Arrascaeta torcendo por ele no banco, das poucas derrotas na temporada ao QUASE unânime “fora Abel”, do quase tropeço à virada com a nossa cara.

E depois desse jogo? E depois dessa virada? Também tem divisão. Tem torcedor que prefere lamentar o desempenho abaixo do esperado e o quase tropeço. Mas tem também o povo que faz vista grossa e curte o momento. Tô nessa.

Bora comemorar.

ISSO AQUI É MUITO FLAMENGO

Rodada seis tem duelo de meio de tabela de quem tá nem aí pro Brasileirão

FRAMENGO X ATRÉTICO

Flamengo não jogou meio de semana.  E quem disse que esse pequeno detalhe é motivo pra não rolar treta?

Após uma semana de longos embates ortográficos disputados nos muros da Gávea e na internet, Nosso Flamengo volta ao duelo nos gramados, recebendo o Athletico no Maracanã que, alheio a resultados, performance, planejamento, e conflitos linguísticos, seguirá abarrotado pela Nação.

E pra já ter briga antes da bola rolar, Diego volta a pintar entre os 11 iniciais, o que já gera alguns focos de tumulto nas redes sociais entre os que defendem a manutenção do Arrascaeta como titular.

Outra mudança deve ser a entrada de Thuler na zaga ao lado do Rodrigo Caio, já que Léo Duarte luta para se recuperar de uma virose (jurava que só pobre recebia esse diagnóstico padrão de quando o médico não sabe que diabos a pessoa tem).

Do lado de lá… Do lado de lá… O Athletico, além de todas as competições que a gente tem, ainda briga com o River Plate pela Recopa. Como rolou vitória magra em Curitiba, e o jogo na Argentina é na próxima quinta, o técnico Tiago Nunes segue o exemplo estratégico do rubro-negro mais famoso e manda um cata-cata para o jogo desse domingo.

Um problema pode ser… Lá na frente tem um ex, Marcelo Cirino, e um cara com nome atípico, Thonny Anderson. Vamos observar.

flamengo athletico brasileiro 2019

Um detalhe curioso sobre o jogo é que a equipe paranaense é péssima como visitante. Não vence fora desde dezembro… E a última vitória foi justamente sobre o Flamengo, no Maracanã lotado, e também vindo ao Rio com time reserva.

Aliás, ser reserva no Athletico deve dar mais trabalho que ser titular, já que até o Estadual foi disputado com um cata-cata da base.

E como, tal qual o Flamengo, nossos adversários desdenham do Brasileirão, a posição dos dois na tabela não poderia ser mais simbólica dessa decisão. Atolados ali na meiúca com o mesmo número de pontos e mesmo saldo de gols. Situação que, independente de qualquer nível de faniquito que as torcidas manifestem antes de se conformarem, tende a se perpetuar na temporada.

Bora estudar gramática.

Isso aqui é Flamengo.

PETISCOS

. VI VANTAGEM. Ser velho tem lá das suas. Já vi o nosso dez ser o Adrianinho, hoje tenho o prazer de ver o povo se engalfinhando pelas opções Arrascaeta e Diego.

. O ÓBVIO. Já vi por aí, já pensei nisso. Se… Se… O Gabigol não vem com bom desempenho, se o Bruno Henrique dá conta do trabalho jogando como nove… Não dá mesmo pra acomodar Diego e Arrascaeta entre os 11 iniciais?

. RECLAMAÇÃO SEM FIM. Sério. Vi no Twitter a seguinte cornetada de prevenção: “se vierem Rafinha e Filipe Luís, teremos uma zaga muito nova e laterais muito velhos”.

MESA DA ARCOIRIZADA

. SENSATEZ. Vantagens pros dois lados no desquite. Ninguém merece o Maxi Lopez. Ninguém merece o Vasco.

. SÓ COM UM COFRE. Botafogo pega o  Palmeiras. Não escapa da derrota nem se a estratégia barroquiana de posse de bola sem chute pro gol bater em 95%

. NÃO VOU COMENTAR. Vi tricolor eufórico no Twitter gritando em CAPS LOCK que “o fluminenCe agora só dá de quatro”.

QUEM GANHA É QUEM PERDE NA RODADA 6

(o BoTTeco obteve um patético 3/10 na rodada 5)

BOT X PAL… Dá Palmeiras

GRE X CAM… Vitória do Grêmio

SAN X INT… Dá Santos

FLA X CAP… Óbvio

CRU X CHA… Vitória mineira

FOR X VAS… Derrota do pojeto

COR X SAO… Empate

BAH X FLU… Dá tricolor do Rio

AVA X CEA… Empate

CSA X GOI… Vitória goiana.

Coooorrre pros sites de aposta e põe tudo ao contrário do que tá aí.

Facebook e Instagram: Mercio Querido

Twitter: @sorinmercio

YouTube: BoTTeco do Flamengo

https://youtu.be/FimpqbMrlEo

mercioquerido@gmail.com

RODADA 5: REGULARIDADE EM CIMA E EMBAIXO

A rodada que isolou o Palmeiras na liderança e dividiu a lanterna entre Vasco e Grêmio (quem diria?), começou de forma estranha. Um passeio, um atropelo, uma chapoletada daquelas do fluminenCe pra cima do Cruzeiro (???!!!). O que estará acontecendo na Toca da Raposa? Postulante sério ao título e mitando na fase de grupos da Liberta, o Cruzeiro anda fazendo água e já são quatro jogos sem vitória. Tá mó cara de nêgo ter enjoado do Mano Menezes. Sei lá. Só um palpite sem embasamento.

Sete da noite do mesmo sábado, enquanto o Palmeiras manteve sua (confesso) irritante regularidade, cometendo uma atrocidade pra cima do Peixe, com Sampaoli admitindo e chamando pra si toda a responsabilidade pela derrota, em BH o Flamengo deu mole pro Galo, ao fazer um bom primeiro tempo onze contra onze… E uma preocupante segunda etapa onze contra dez. Até o fechamento da redação não teve ninguém no Flamengo chamando a responsa pra si.

Na manhã sem gols de domingo, o São Paulo saiu vaiado do Morumbi lotado no empate contra o Bahia. E podia ser pior. Após a expulsão de Toró na segunda etapa, os baianos ficaram mais perto de tirar o zero do placar que os donos da casa.

rene flamengo atletico mg 2019
Foto: Alexandre Vidal / Flamengo

Quatro partidas no horário nobre de domingo. De previsível, só a vitória do Inter sobre o CSA. A Chape tomou uma virada na Arena Condá diante do Fortaleza; o Corinthians conseguiu tirar pontos do Athletico na Arena, o que é difícil, mesmo os donos da casa atuando com seu time B (a moda realmente pegou) e ainda assim jogando melhor; e… O poderoso e cheio de posse de bola Botafogo de Barroca Guardiola, quem diria? (EU… EU VENHO DIZENDO ISSO DESDE A RODADA 1!!!), perdeu para o Goiás fora de casa.

Tá na bíblia, “os últimos serão os últimos”, e a rodada terminou com derrota do vice-lanterna Grêmio para o Ceará, e empate em casa do Vasco que, no início do pojeto do pofexô, pelo que ouvi falar, não jogou nada diante do Avaí, e só não perdeu porque Sidão salvou a pátria… E tá no tal livro também: “os humilhados serão exaltados”. Se não é na bíblia é em algum outro livro do tipo.

E “nóis” com isso tudo? Estamos matando uma saudade que não gostaríamos, de volta ao que foi nosso habitat natural por longas e longas temporadas: a meiúca da tabela. Enfim… Escolhas são escolhas.

Bora torcer.

Isso aqui é Flamengo.

MESA DA JOGATINA

Os 12 iniciais do Nosso Flamengo cravaram 50.19 no Cartola FC. Média de 4.18. Maior pontuador foi o Bruno Henrique (12.10). Pior… Diego Alves, negativando em 4.

PASSANDO PANO NA MESA

Eh, eh… Eu, Amélia do Flamengo como sempre, até entendo  o que o Abel quer dizer com normal perder pra Inter e Galo fora. Pelas circunstâncias do jogo (esse último), foi uma declaração infeliz. Mas muitos outros times vão perder lá no Beira Rio e no Horto.

O GRANDE problema é que pra ser campeão tem que ganhar esses jogos “impossíveis”. O problema maior ainda é que com esse decreto de que temos Time A e Time B… O Brasileirão virou uma impossibilidade. E esse decreto tem o aval da diretoria certamente. Daí… Um monte de gente errada e o Abel vai pagar esse pato. Não que ele não tenha outros erros no currículo recente.

MESA DOS LANTERNAS

VASCO: “Que merda, né Grêmio? Tamo lascado”

GRÊMIO: “Tamo? Não me misture nas suas confusões, por favor”.

VASCO: “Ah… Mas Série B não é tão ruim assim, né? Lá a gente até ganha uns jogos”.

GRÊMIO: “Iiiihhhh… Pronto. E agora que esse pedinte não larga do meu pé?”

VASCO: “Fica”

GRÊMIO: “Sem condições. Tchau”.

VASCO: “Que merda, né CSA? Tamo lascado”.

Flamengo perde muitos gols, entrega dois, e volta sem pontos de Belo Horizonte

É… “faiou” a nossa intenção de preparar uma Canja à la Arrascaeta, e colocar temperos cariocas na janta de sábado à noite em Minas Gerais.

E olha que o jogo começou com a maior pinta de que ia dar canja da boa. Pressão total do Flamengo A, esbarrando em falhas na conclusão e intervenções providenciais do sistema defensivo do Atlético.

A receita desandou com o gol dos caras, após falha apetitosa da nossa defesa, entornando o caldo com maestria e vendo o doido lá se servir como quis na nossa área.

Mas não demorou  pro Bruno Henrique, após toque de bola requintado do Nosso Flamengo, aumentar o fogo da panela outra vez, tentando salvar o cozimento da ave mineira.

É tempero extra? É pimenta que falta? O VAR tratou de fornecer pro Flamengo isso aí quando, ao apagar das luzes no primeiro tempo, NA NOSSA OPINIÃO, exagerou em expulsar Elias após falta no máximo imprudente na meiúca.

Jogando melhor, com time melhor, e com um jogador/ingrediente a mais? “Ah… Vai ser uma sopa essa segunda etapa”, pensamos de forma coerente todos nós.

Mas não é que os caras marcaram de novo? Nossa zaga, em vez de engrossar o caldo, colocou de forma amadora um jarro de água imenso no caldeirão, desandando uma receita que deveria ser simples.

Daí em diante? Muita aplicação… E muita confusão pra tentar salvar a janta. Com um a menos, o Atlético deveria se tornar uma tenra sobrecoxa desossada ao molho barbecue, fácil de degustar. Só que aí os caras viraram carne de pescoço.

Sem encontrar caminhos por baixo, o Flamengo lascou de cruzar (Bem… Chutar de qualquer jeito pra área, né?) bola, lembrando muito o cardápio pobre de temporadas passadas.

Uma, duas, três, mil… Mas não teve jeito. Faltou um salzinho aqui e acolá, sobrou competência pro São Victor do lado de lá, e o prato servido ao final, sem nenhum ponto incluído, acabou ficando com gosto amargo.

Faniquitos mil nas redes sociais e grupos de WhatsApp. Um conselho? Relaxa. Não vale muito esquentar a cabeça com o Brasileirão. NÓS (não que eu e você tenhamos decidido isso) vamos encarar o campeonato como  lanchinho. Um simples petisco se comparado aos pratos principais.

Não é reclamação, é só observação de um fato, uma decisão tomada pela diretoria e comissão técnica. A gente tem ingrediente pra fazer uma boa mistura. Mas tá lá na placa diante do estabelecimento:  vai ter jogo com filé mignon em campo (e ontem nem isso foi suficiente), e vai ter jogo (sempre no Brasileirão) com aquela mistureba improvisada chegando em casa bêbado duas da manhã.

Ainda assim… Mesmo com desdém, temos elenco pra cozinhar ao menos um G4 (ou G5, sei lá), e garantir a tal vaga na Libertadores 2020. Isso se ela não vier servida por outros caminhos. Aqueles dos nossos apetitosos pratos principais na temporada.

Bora degustar.

Isso aqui é Flamengo