Arquivo da tag: CAMISA 10

Arrascaeta é o preferido para vestir a 10

Querendo ouvir da torcida a resposta para a pergunta mais frequente dos últimos tempos na Gávea, o Falando de Flamengo usou suas redes sociais e email, para fazer o seguinte questionamento: “Dentro da realidade do futebol brasileiro, e dos jogadores disponíveis no mercado, quem deve ser o novo camisa 10 do Flamengo?”.

Foram 2.185 votos, computados entre os dias 19 e 23 de maio, e o resultado, que até certo ponto pode ser considerado surpreendente, prova que o torcedor rubro-negro entende do assunto.

ARRAS

O escolhido dos internautas, com 430 votos, foi o uruguaio Giorgian De Arrascaeta, 19 anos, principal destaque do Defensor Sporting, do Uruguai, semifinalista da Copa Libertadores 2014.

Com dois gols e seis assistências na principal competição sul-americana, o jovem meia, presença constante nas convocações da seleção sub-20 de seu país, vem despertando a atenção de vários clubes europeus. Há quem diga na imprensa uruguaia que o jogador já está vendido para o Galatasaray, e embarca para Turquia ao final da Libertadores. Porém, a diretoria do Defensor nega tal informação.

GIU2

Em segundo lugar na pesquisa, com 300 votos, ficou o paranaense Giuliano Victor de Paula, 23 anos, do Dnipro, da Ucrânia. Eleito o craque da Libertadores 2010, quando atuava pelo Internacional (RS), o jogador está sempre na alça de mira dos principais clubes brasileiros, inclusive do Flamengo, que tentou contratá-lo no final de 2013, mas esbarrou nos altos valores pedidos pelos ucranianos.

O que pode facilitar o seu retorno ao Brasil são os recentes conflitos ocorridos na Ucrânia, uma vez que o próprio Giuliano admitiu o desejo de não renovar o seu contrato, que termina em 2015.

CLEI

Também do futebol da Ucrânia, vem o terceiro mais votado (285 votos). Trata-se do alagoano Cleiton Xavier, 31 anos, do Metalist Kharkiv. No início deste ano, São Paulo e Palmeiras manifestaram o interesse de contar com o meio-campista, mas ouviram respostas negativas do clube ucraniano. Ídolo da torcida local e principal jogador do elenco, Xavier teve o seu vínculo com o Metalist renovado até o final de 2017.

Principal alvo da diretoria do Mais Querido para vestir a camisa 10 no segundo semestre, o argentino Walter Montillo, 30 anos, do Shandong Luneng, da China, não ficou nem entre os 12 primeiros colocados da pesquisa.

O resultado dessa pesquisa foi enviado ao Vice Presidente de Futebol do Mais Querido, Wallim Vasconcellos.

Veja no quadro abaixo o resultado final da pesquisa realizada pelo Falando de Flamengo:

oie_28185533eznXeNVG

Time sem cérebro. Quem seria o ‘camisa 10’ ideal para o Fla?

CAMISA10RET

Por Henrique Dias e Marcella Miranda

Você pode comer um pedaço de pão sem farinha de trigo, beber um copo de leite sem lactose, mas preparar uma omelete sem ovos é impossível. E, é esse o atual dilema do Flamengo no Campeonato Brasileiro. Na derrota para o São Paulo, por 2 a 0, no último domingo, no Maracanã, ficou claro que o grupo tem carências, principalmente na criação de jogadas. Mesmo atuando em casa, a equipe foi apática e sequer mostrou poder de reação.

Além disso, alguns atletas, antes tidos como intocáveis, não vivem boa fase. Vide o exemplo do goleiro Felipe, que pediu desculpas em uma rede social por ter falhado no primeiro gol do revés contra o Fluminense na semana passada, e voltou a cometer erros grosseiros, culminando com as vaias da torcida ao final do jogo de ontem (18).

Se no gol temos substitutos do mesmo nível do titular, não se pode dizer o mesmo do meio de campo para frente. Diante desse panorama, o recém-contratado Ney Franco deve ter mudado de ideia quanto ao seu discurso de chegada. Dizia ele acreditar que o Mais Querido tem o elenco do mesmo nível dos outros participantes do Brasileirão 2014. Pensamento distinto do seu antecessor Jayme de Almeida, que afirmara antes do início da competição não saber aonde poderia chegar com esse grupo de jogadores.

Agora não cabe mais julgar se a troca no comando técnico foi precipitada ou não. Independentemente de quem seja o treinador, contratar é preciso. Afinal, é inadmissível que um clube da grandeza do Flamengo lute para fugir do rebaixamento pelo terceiro ano consecutivo. Mas, como qualificar o elenco sem gastar muito dinheiro, mantendo a política de pés no chão? Melhor abrir os cofres depois da Copa ou brigar na parte debaixo da tabela?

Dentro da realidade do futebol brasileiro, e dos jogadores disponíveis no mercado, quem deve ser o novo camisa 10 do Flamengo? Dê sua opinião aqui, ou nas redes sociais utilizando a hashtag #FlaCamisa10

Os nomes indicados serão levados ao Futebol do Flamengo.

PARTICIPE!

 

Há 40 anos, Zico assumia a camisa 10 de vez e iniciava sua era no Flamengo: ‘A realização de um sonho’


EXTRA – O Maracanã, onde o Flamengo irá começar sua caminhada em 2014 neste domingo, contra o Audax, foi palco, há 40 anos, do início de uma era que até hoje divide a história do clube em antes e depois. No dia 18 de janeiro de 1974, o Rubro-negro estreava na temporada com o garoto Zico alçado à condição de titular. Ali, ele assumia a camisa 10 para não mais largar, e com ela, comandou a época mais vitoriosa do Flamengo.

— Lógico que foi a realização de um sonho, também por estar vestindo a camisa que foi de meu ídolo Dida. Aquele momento em 1974 era a minha afirmação como titular. Se não me engano, nesses primeiros jogos do ano joguei seis partidas e fiz uns dez gols. Ali, me firmava definitivamente como titular da camisa 10 do Flamengo — recordou o ídolo.

2014010903828

O pontapé inicial desta história de sucesso foi o amistoso contra o Zeljeznicar, da Iugoslávia, primeiro jogo daquele ano. O adversário era vice-campeão de seu país e fazia excursão pelo Brasil. Apesar de contar com metade da seleção que disputaria a Copa de 1974, caiu diante da joia rubro-negra: 3 a 1, com dois gols do Galinho.

— Fazer dois gols e ser considerado um dos melhores foi inesquecível. Tinha prometido a minha mãe (dona Matilde) fazer um gol para ela, que aniversariava no dia seguinte. Cumpri minha promessa.

Àquela altura, Zico já era uma estrela em ascensão. No ano anterior, como reserva de luxo, havia marcado 13 gols e tinha sido o terceiro maior goleador do time. Com a nova temporada, uma nova etapa iniciava. E, antes do amistoso, o técnico Joubert o ajudou a desabrochar de vez:

— Durante a semana, quando eu me destaquei nos treinamentos, o Joubert nos chamou, eu, Dario e Doval, e disse que eu seria o titular e que os dois iam lutar pela outra vaga. Ali, senti do Joubert que só dependia de mim seguir em frente.

2010071586773Se na época a decisão sofreu alguma contestação, o tempo calou qualquer crítica. Foram 509 gols em 732 jogos pelo clube, um Mundial , uma Libertadores, quatro Brasileiros e sete Cariocas.

Uma era que lotou o Maracanã, tornou a camisa 10 a mais vendida até hoje, fez a torcida crescer, encantou e foi cantada em verso e prosa. Zico virou inspiração para torcedores artistas, como Jorge Benjor e Moraes Moreira — e até para vascaínos sofridos, que se renderam aos gols do carrasco, como João Bosco. Joubert nunca precisou ter dúvidas de que tomou a decisão mais acertada:

— Ele (Zico) estava em ascendência. Quem jogava na frente era o Doval (dono da 10 até 1973) e o Dario. Um dos dois ia ter que sair. Deixei o Doval porque ele era mais ofensivo. Argentino, né? Mas não tive problema nenhum com os dois. Cada um esperava a sua vez. Não havia vaidade.

Carlos Eduardo: o 10 que não veste o número

“E agora como é que eu fico nas tardes de domingo?”. O trecho de “Saudades do Galinho”, cantada por Moraes Moreira na primeira despedida de Zico do Flamengo, em 1983, passou a ser a pergunta feita pelos rubro-negros desde que o ídolo se aposentou em 1990. A partir daí, a camisa 10 passou por muitos donos e, em 2013, terminou no banco de reservas, com Gabriel.

— É um menino que eu gosto muito. Não é por causa do 10 que ele não jogou. A maior dificuldade foi a adaptação. Mas a gente conta com ele este ano de novo — defendeu Jayme.

2014011726266Em uma análise franca sobre o atual momento da camisa 10, o técnico lamenta a escassez de jogadores com a característica certa para assumi-la. Hoje, o nome que mais se encaixa é o de Carlos Eduardo. Mas, devido à desconfiança da torcida, Jayme acredita que para o jogador é melhor não vestir o número.

— Quem joga na posição mais próxima ao 10 hoje é o Carlos Eduardo, um jogador que foi polêmico no ano passado, mas para mim fez um campeonato ótimo. Mas se botar a 10 nele a cobrança vai ser maior ainda. Eu acho que não vale a pena. Vão comparar com o Zico…

Como o Estadual não exige numeração fixa, o problema vai ser adiado. Escalado no time reserva que irá enfrentar o Audax, Gabriel deve voltar a usá-la. E a 10 inicia mais um ano em busca da glória passada.

TORCIDA DO FLA PEDE CAMISA 10


d145e99a-8d89-49df-8f8c-0497fdf0a2bc_PEDIDOSESPORTE INTERATIVO – A diretoria do Flamengo já garantiu que vai investir em reforços para a disputa da Libertadores em 2014. Mas a torcida rubro-negra tem pressa. O BrahmaFla perguntou em “qual posição vocês acham que o Flamengo mais precisa de contratações?”. E a opção correspondente ao meio ofensivo foi quase unanimidade.

Os flamenguistas ressaltaram a necessidade de um camisa 10, já que Carlos Eduardo não convenceu. Eles pediram por D’alessandro, Diego, Alex ou Paulo Henrique Ganso. Alguns também fizeram coro para o jovem Rodolfo receber chances como o maestro do time de Jayme de Almeida. LEIA MAIS…

 FONTE: Esporte Interativo

CAMISA 10 IDEAL PARA O FLA


6414ba6e-bacf-4a0a-b2a6-123455dc1bdb_D-alessandroESPORTE INTERATIVO – A diretoria do Flamengo ainda não definiu quem será o camisa 10 do clube para a próxima temporada, mas se depender da torcida um argentino irá vesti-lá em 2014. Em pesquisa realizada no BrahmaFla – que gostaria de saber quem o torcedor queria ver com o sagrado número – o nome de D’Alessandro foi quase unanimidade nos comentários da postagem.

Nas justificativas, os rubro-negros explicitavam que o capitão do Internacional tem a qualidade exigida para um camisa 10 LEIA MAIS…

FONTE: Esporte Interativo