Arquivo da tag: conca

Conca seja feliz no Mengão

Dario Conca pode estar de saída do Flamengo. O São Paulo está interessado e seria o provável destino do meia argentino, que vê no clube paulista uma chance de ter mais em campo, e assim voltar a sorrir. O Flamengo por sua vez, não faria oposição ao negócio, já que a saída do meia aliviaria a folha salarial do clube, que hoje possui muitos jogadores para o mesmo setor do campo e ainda abriria vaga para os jogadores da base que também estão insatisfeitos com a falta de oportunidade.

Conca apostou no Flamengo para recuperar-se de lesão e voltar a jogar em alto nível. A Libertadores era uma grande vitrine e a estrutura que o rubro-negro oferecia seria de grande importância para a recuperação do atleta. Infelizmente o Flamengo foi eliminado antes da recuperação plena do jogador, e além disso a comissão técnica ainda não se sente confortável em colocar o argentino para atuar. Quem conhece de perto o jogador afirma que Conca só se vê feliz nos gramados, e por isso está complicado segurar sua ansiedade.

Mesmo antes das contratações de Everton Ribeiro e Geuvânio, o argentino já estava insatisfeito com a falta de oportunidades. Contudo, as arestas foram aparadas com a Comissão Técnica e o meia continuou a se dedicar nos treinamentos. Segundo seu staff está treinando bem e fazendo boas apresentações nos jogos treinos. Sendo assim, o que faltaria para o Conca voltar a jogar em alto nível? Atleta e assessores afirmam: ritmo de jogo, e isso só adquire jogando e é aí que existe a celeuma.

O Flamengo hoje conta com muitos jogadores para o mesmo setor do campo e a insistência no 4-3-3 de Zé Ricardo atrapalha os planos do jogador, que quer jogar.

Mas, como fazer Conca jogar no esquema do treinador do Flamengo? Quem me acompanha sabe que desde a época do Cristóvão venho batendo na insistência do esquema com dois pontas. Jogando desse jeito e com Diego em forma, dificilmente o Argentino terá alguma chance, e ele sabe disso. Não porque não consiga assumir outra função na meiuca, mais pelo fato do treinador não observar o elenco como um todo e ter ser preferidos, Márcio Araújo, Arão, Damião…

Apesar de existir essa negociação a torcida gostaria de ver o Conca brilhar com a camisa do Mais Querido. O argentino precisa de ritmo de jogo, assim como o Rômulo e outros, que muitas vezes são preteridos por escolhas pouco inteligentes de Zé Ricardo. Ajustando direitinho dá para todo mundo jogar. Jogador bom de bola acha seu espaço, quem não pode jogar é cabeça de bagre. O que não pode acontecer é o Vizeu ser reserva do Damião e o limitado Márcio Araújo ser titular. Craque tem que jogar.

Zé Ricardo e comissão deveriam sair da caixa. Pelo amor de Zico, só podem jogar 11, mas, craque tem que ter chance. Conca quer retribuir o carinho da Nação e isso ele só sabe fazer jogando. Para quem acha que é impossível colocar todo mundo para jogar, uma olhada no meu último texto de 06/06.

E Conca, continue se esforçando nos treinos. Aturar a teimosia do Zé Ricardo deve ser foda. Mas esquece esse papo de São Paulo e seja Campeão no Flamengo. O Hepta depende apenas de nós! SEJA FELIZ NO FLAMENGO!

Diego, Conca e Everton no clássico contra o Botafogo

O zagueiro Réver não parece preocupado em fazer mistério para o clássico deste domingo, contra o Botafogo, às 11h (de Brasília), no estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda. Apesar dos treinos parcialmente fechados durante a semana, o capitão do Flamengo acha que não tem muito o que esconder do adversário e, inclusive, diz esperar contar com três reforços rubro-negros.

diego
(Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)

Em entrevista coletiva na tarde desta quinta-feira, no Ninho do Urubu, Réver festejou os possíveis retornos do meia Diego, recuperado de lesão no joelho direito, e do atacante Everton, também recuperado de um problema no tornozelo direito. Além disso, destacou a importância de contar com Conca, que pode estrear depois de se recuperar de uma cirurgia no joelho.

– O Diego é uma peça fundamental na nossa equipe por tudo o que ele representa dentro e fora de campo. Acredito que ganhamos com o retorno do Diego após esse tempo longe dos jogos. Todos nós ficamos felizes com a possível reestreia, posso dizer assim, do Diego. Isso se vier a ser confirmado. O Everton ficou fora dois jogos só. É um jogador que vai ser titular. Não vejo algo para se esconder. Todo mundo sabe da capacidade que tem o Conca, está à disposição do treinador. O Diego também. São peças fundamentais para o treinador – disse Réver.

Everton está recuperado de um pisão no tornozelo direito sofrido no último dia 20, na vitória por 3 a 0 sobre o Atlético-GO. Já Diego se machucou no primeiro jogo do Flamengo contra o Atlético-PR pela Libertadores, em 12 de abril. Conca se recuperou de cirurgia no joelho esquerdo. Os três estão treinando normalmente com o elenco.

Apesar de não dizer se Conca, Everton e Diego jogarão contra o Botafogo, Réver é contra mistério.

– Não vejo qual o motivo de fazer mistério. Todo mundo de repente sabe qual vai ser o time do Flamengo, o time do Botafogo. Não acredito muito nesse troço de ficar escondendo. Não tem como você esconder isso – completou.

GE

Flamengo pode ter Diego e Conca em condições para pegar o Botafogo

Depois de retornar ao Rio de Janeiro com um ponto na bagagem pelo empate contra o Atlético-PR, pelo Campeonato Brasileiro, o Flamengo vai ter uma semana livre de trabalho até o clássico diante do Botafogo, na Ilha, muito provavelmente na Ilha.

E o técnico Zé Ricardo deve ter dois reforços de peso para encarar o arquirrival: Diego e Conca.

diego flamengo

Em fase final de recuperação de suas respectivas lesões, a dupla deve estar à disposição para o duelo. Titular absoluto, o camisa 35 deve começar desde o início caso seja liberado. Já o argentino deve iniciar no banco de reservas.

Apesar dos indícios, o comandante rubro-negro preferiu não antecipar se vai ter dois dos mais badalados jogadores  do elenco na partida do próximo domingo, às 11h.

“São questões que vamos responder durante a semana. Os dois já trabalham com bola, com o Diego um pouco mais avançado. Vamos esperar o departamento médico até quarta-feira. Estamos tentando programar jogo-treino para essa semana para ver como estão”, relatou Zé.

Sem Diego, o Flamengo enfrentou dificuldades, ainda que tenha conquistado o Campeonato Carioca sem o seu principal jogador. Desde que saiu do time, o Rubro-negro foi eliminado da Libertadores. Foram seis vitórias, três empates e duas derrotas.

UOL

Conca no banco contra o Botafogo

O período no departamento médico ficou para trás. Principal reforço do Flamengo em 2017, Dario Conca já está integrado ao grupo e, agora, aguarda liberação vinda da comissão técnica para atuar. Internamente, o discurso é de evitar pressa ou queimar as últimas etapas da recuperação do joelho esquerdo. Ainda na dependência das próximas avaliações, a ideia é que o meia possa ficar no banco no jogo com o Botafogo pelo Campeonato Brasileiro, no dia 4 de junho. Antes disso, porém, o armador deve disputar um jogo-treino.

conca

O clube prefere não estabelecer prazo de retorno aos jogos e trabalha com etapas. Assim como no caso recente de Ederson, o meia só será relacionado quando estiver 100%. E isso vai depender de como o argentino responder nas próximas semanas. Por conta do tempo parado, Conca precisará ter paciência e cuidado para evitar problemas musculares. Também precisará de tempo para adquirir reação com a bola, como em situações naturais de jogo.

A próxima semana será decisiva, uma vez que o Flamengo só jogará no fim de semana, e o camisa 19 poderá trabalhar mais com o grupo completo no CT do Ninho do Urubu. A definição referente ao jogo-treino acontecerá nos próximas dias.

Conca tem recuperarão elogiada

No Flamengo, a recuperação do jogador vem sendo elogiada. Além da boa melhora da forma física desde que chegou ao CT do Ninho do Urubu, Conca vem trabalhando de segunda a sábado sem interrupções.

GE

Conca sequer joga Libertadores e expõe carência do Flamengo

Com direito a contagem regressiva nas redes sociais, o Flamengo anunciou no segundo dia do ano a chegada daquele que seria o reforço mais expressivo da temporada: Dario Conca. Com referência em uma foto antiga do argentino ao lado de Guerrero e o personagem Mickey, da Disney, a brincadeira #sófaltaomickey viralizou na internet. O jogador era tratado como um trunfo para o decorrer da Libertadores quando pudesse estrear – algo que sequer aconteceu.

Também sempre houve muita expectativa para ter Diego e Conca juntos. Que o argentino vinha de lesão e demoraria para jogar era sabido, mas o imponderável acabou sendo a cirurgia do camisa 35, que machucou o joelho na terceira rodada da fase de grupos da Libertadores. Sem a referência nos últimos momentos cruciais, o que acabou faltando foi um reserva que mantivesse o nível.

Conca sem previsão

A previsão inicial para o retorno de Conca já era o meio do ano, mas a perda de Diego expôs a falta de peças de reposição à altura no Flamengo. As opções foram Mancuello, Gabriel, Matheus Savio e até Trauco, improvisado. Boas atuações no setor foram alcançadas apenas em alguns jogos. O time comandado por Zé Ricardo acabou perdendo força e foi eliminado precocemente na Libertadores para o San Lorenzo, na última quarta-feira, fora de casa, sem que o argentino tenha atuado sequer um minuto.

conca

Assim como era de conhecimento geral que Conca não faria parte do plantel no começo do ano, o calendário previa que o período entre abril e maio seria decisivo. Com a demora para a volta de Ederson, o Flamengo viu um setor importante do seu time enfraquecido, e o técnico Zé Ricardo teve que fazer apostas e até improvisar. Mancuello, que custou R$12 milhões aos cofres do clube em 2016, perdeu espaço e sequer foi relacionado para o jogo em Buenos Aires. Opção para a posição no ano passado, Alan Patrick teve que voltar de empréstimo para a Ucrânia.

Como Renê foi bem durante o Campeonato Carioca, Trauco passou a ser uma opção no setor de criação. Quando a equipe mais precisou, porém, diante do San Lorenzo, as opções não deram conta do recado. Zé Ricardo optou por Gabriel como o armador, mas ele foi mal. Ederson estava no banco e não entrou. Matheus Savio foi a opção escolhida.

Desde o fim do Brasileirão de 2016, a principal procura do Flamengo no mercado era por um atacante de ponta. Do plantel que tinha, perdeu Fernandinho – que retornou de empréstimo para o Grêmio. Alguns nomes foram tentados pela diretoria, como Vitinho e Marinho. Sem êxito, a opção acabou sendo a aposta no colombiano Berrío. Por ele, foram desembolados R$11 milhões. Não encaixou e fica a imagem da atuação apática diante do San Lorenzo no vexame desta quarta-feira.

Perfume francês

”O perfume do Flamengo é francês, da melhor qualidade e o cheirinho continua firme e forte”, dizia o ex-vice de futebol do clube, Flavio Godinho, no fim da temporada passada, ao ser questionado da força do elenco para 2017. O que se esperava e se vendia no discurso era um Rubro-Negro mais forte no principal objetivo, que era a Libertadores. A expectativa foi proporcional ao tamanho do balde de água fria despejado na torcida rubro-negra com a eliminação na fase de grupos.

Os outros reforços da diretoria na temporada foram: Rômulo (quase sempre atuou como titular, mas sofreu com lesões no semestre), Trauco (a aposta que melhor funcionou ) e Renê (veio ser reserva de Trauco e entrou bem no time quando o peruano precisou ser deslocado para o meio).

O Flamengo ainda tem pela frente competições como Brasileirão, a Copa do Brasil e também a Copa Sul-Americana (prêmio de consolação pelo terceiro lugar no grupo da Libertadores). O clube ainda participa da Copa da Primeira Liga. Há expectativa de reforços, como a chegada de Everton Ribeiro.

GE