Arquivo da tag: MARKETING

Marketing: Chuteiras pretas celebram a tradição do futebol

ibra-chuteira

Elas podem não ser o carro-chefe das grandes marcas boleiras, mas certamente agradam uma grande parcela dos apaixonados por futebol. Enquanto craques como Neymar, Cristiano Ronaldo e Lionel Messi desfilam suas chuteiras embasadas de tecnologia, com cano alto, coloridas, há também esforços destinados a calçados 100% pretos, básicos.

Os chamados Black Packs lançados ao longo do ano envolvem as linhas tradicionais de Nike e adidas, como Hypervenom e as extintas Adizero e Nitrocharge, mas com uma pegada tradicional, do futebol à moda antiga. Se tratando da Umbro então, a homenagem parece ser ainda mais explícita.

Abaixo, os modelos lançados por Nike, Umbro e adidas no primeiro semestre de 2015:

NIKE

nike1-e1436587347499 nike-black3-e1436544684921 nike-black2-e1436544675212 nike-black-e1436544665503

ADIDAS

adidas1-e1436631850968 adidas-black4-e1436544400608 adidas-black3-e1436544388526 adidas-black2-e1436544377350 adidas-black-e1436544368665 adidas-black5-e1436544409388

UMBRO

umbro-preta-e1436544125532 umbro-classica-e1436544113680 umbro-black-e1436544103967

MktEsportivo

PROFISSIONAL OU AMADOR NO MARKETING DO FUTEBOL?

por @PoetaTulio

Durante a última semana fiz questão de rever algumas entrevistas do Bap, o Luiz Eduardo Baptista, Vice Presidente de Marketing do Flamengo. Mesmo com um discurso parecido entre elas, podemos ver após sete meses no cargo, que em alguns pontos, discurso e prática não se alinham. Deixo bem claro mais uma vez que não sou profissional de marketing e que estou simplesmente cobrando aquilo que nos foi prometido durante a campanha.

20130121160220_968Antes mesmo de assumir oficialmente a pasta do marketing, já colocou a mão na massa. Mesmo com o contrato da Adidas assinado ainda na gestão Patrícia Amorim, Bap teve influência direta na melhora em diversas cláusulas. Chegou a afirmar que o Flamengo passava de parceiro a sócio da gigante alemã de tão bom que ficou o contrato com as alterações.

A primeira grande ação nacional do novo marketing do Flamengo foi o Cadastro Rubro Negro lançado no dia 03 de março. Falei sobre ele no texto “Como poderia ser aproveitado o cadastro Rubro-Negro“, publicado no Blog Ser Flamengo. Longe dos objetivos que coloquei no texto, o do Bap era atingir três milhões de cadastros que seriam usados como atrativo aos parceiros e patrocinadores. Quantos torcedores se cadastraram? Alguém sabe? Será que foi atingido o objetivo?

Ainda em campanha, o dirigente falava do Sócio Torcedor como uma oportunidade de aproximar a torcida do Clube e seus planos sempre foram muito ambiciosos. Bap sonha que em até dois anos, o Flamengo tenha o maior Sócio Torcedor do mundo, ultrapassando o Benfica. A realidade, porém, é muito diferente. Com planos caros e poucos benefícios, o Nação Rubro Negra parece ter atingido o seu ápice com o que é oferecido hoje em dia. Falei sobre ele no “Sobre o Sócio Torcedor Nação Rubro-Negra“. Bap espera que até o fim do ano o Clube tenha entre 60 e 80 mil adesões, o que podemos ver que está longe de se conseguir, pois com os discursos anteriormente agressivos e o já falado pouco benefício, realmente faz com que o Flamengo fique longe dessa meta.

flamengo_nautico3_cahemota.jpg95Com o lançamento do programa em Março, o cartola jogou por terra algumas promessas como: dar prioridade de compra de ingresso e melhor relacionamento do Clube com o sócio Off-Rio, modalidade que não obteve nenhum benefício com o Nação Rubro Negra e nem no modo societário do Clube; dar oportunidade aos torcedores de contribuírem com R$ 10 ou R$ 20, pois o Sócio Torcedor seria uma grande oportunidade do porteiro da sua rua contribuir com o Flamengo. Bap até chora ao falar sobre essa história na entrevista dada a equipe da TozzaCam. E também tem a parte em que ele fala que os torcedores não teriam vergonha e nem indignação. Aí lhe faço a pergunta: Qual foi o seu sentimento ao ver aquelas mensagens no placar eletrônico do Estádio Orlando Scarpelli, no jogo contra o Náutico pelo Campeonato Brasileiro desse ano?
 
Outras promessas que poderiam ser plenamente realizadas em curto prazo também nunca foram postas em prática, como o estímulo da ida de torcedores ao Ninho do Urubu com vans e ônibus saindo da Gávea; desenvolvimento de uma linha de produtos para todas as classes de torcedores, do rico ao pobre; a criação da contribuição espontânea para o sócio que pode e quer contribuir mais com o Flamengo; e o aprofundamento do relacionamento com as Embaixadas da Nação. Em suas entrevistas, Bap fala até que poderia fazer uma parceria comercial com elas. Vamos aguardar para ver.
 
Sei que não seria fácil, e nem está sendo, não só para o marketing, mas como em outros setores. Porém, a forma como Bap se colocou nas entrevistas nos passou que a tal revolução prometida por ele no marketing seria em curto prazo. Talvez esteja querendo chegar mais rápido ao seu objetivo e está se esquecendo de focar nos projetos em curto prazo, e praticando no momento o tal “projeto pato” definido por ele da seguinte forma: “O pato nada, voa, faz diversas coisas, mas todas erradas”. E aí há um velho ditado que diz: “É melhor fazer uma coisa bem feita do que muitas mal feitas”.
 
fladividas-300x250eHoje a estrutura do Marketing do Flamengo está como prometeu e quis com dois diretores remunerados: um de marketing esportivo (Fred Luz) e outro de relacionamento com a torcida (Fred Mourão). Não duvido que como mesmo colocou, irá honrar o mandato todos os dias e devemos ressaltar que os patrocínios que o Flamengo conseguiu este ano para o futebol como: Peugeot e CAIXA tem em muito a ver com o Marketing. Porém, ainda está muito longe dos R$ 200 milhões/ano que ele pretende arrecadar só com o seu departamento.
 
Não ponho em cheque e nem duvido da competência profissional do Luiz Eduardo Baptista, mas vale ressaltar que administrar o marketing de uma empresa como a SKY e presidi-la é bem diferente do Clube de Regatas do Flamengo, que é formado não por clientes, e sim por 40 milhões de apaixonados. Digo ao Bap que estarei aqui para elogiar o seu trabalho quando ele se mostrar mais profissional e rentável ao Clube, ou que chegue bem próximo das entrevistas que ele deu durante e após a eleição do ano passado.

BOLA DENTRO!

FLACAIXAAs coisas no reino Gávea não param de acontecer. Ansiedade mil para lançamento do novo Manto, e em conjunto vem a ansiedade de tomar conhecimento de quem vai pagar a conta. Qual empresa terá a honra de estampar o Sagrado Manto. E como tudo dentro do Flamengo com sua imensa Nação, toma maiores proporções, convoco a vocês para botar a caixola para funcionar!

Pra começar: não caiam na exigüidade de comparar o Rubro Negro ao time paulista da moda. NÃO DÁ! Esse lance de comparação foi assunto plantado pela imprensa que quer de qualquer maneira envolver o insigne Flamengo em toda matéria de time alheio para promover os pequenos. Flamengo vende, minha gente! Ponto! A possibilidade do contrato com a Caixa (digo possibilidade, pois apenas afirmo quando o clube se pronunciar oficialmente), nada mais foi do que super bola dentro! As possíveis condições que foram apresentadas, colocam o Flamengo em patamares onde nenhum outro consegue chegar. E já que ta na moda a comparação, e a maioria apenas se convence desta forma… me rendo e explico a vocês:

Flamengo                                                            Corinthians
25M/Ano = 2.08/Mês                                    31M/13meses = 2.38/Mês
Só frente                                                            Frente e Costas.

Sacaram a diferença, ou vamos apenas olhar os números? Galera esperta, estamos cedendo um espaço em nossa camisa apenas na FRENTE, enquanto o clube paulista oferece DOIS espaços, matando a possibilidade de uma outra parceria. Tão simples quanto isso! Não tem mistério, e não resta duvida de que esta parceria é sinônimo de ganhos para o Flamengo e para a CEF que fez um excelente negócio ao focar nos times de massa, reforçando sua marca e presença no mercado.

Cabe ressaltar que ainda temos espaço na manga para valorizar mais o nosso passe! Alô empresas, corram, porque o espaço ta acabando. Ter o nome estampado no Maior do Mundo não é para qualquer quitanda não!

Ponto positivo ao clube, que precisa apenas lembrar que angariar um patrocínio é tão importante quanto atuar na evolução da parceria. Não é só colar a figurinha e achar que já fez a parte que nos cabe. Tem muita coisa que pode ser feita para valorização e fortalecimento do negócio.

Sobre as apostas no futebol, considero positiva, levando em consideração o foco em não gastar mais do que se arrecada. Concentrar esforços (grana) para trazer apenas um nome forte, não vai surtir efeito dentro de um time que não estiver todo em sintonia. As apostas são válidas, e vem com vontade apenas pela oportunidade de estar dentro do clube do mundo. Esta vitrine não tem preço!

Vamos aproveitar que a maré ta boa, que o Renato ta inspirado, e mostrar que o Flamengo esteve adormecido, porém nunca de bobeira! Eu bem que torci para matar esse jogo logo de primeira, mas a possibilidade de jogar no Maraca deixou com água na boca! Confesso que a emoção falou mais alto!

Resumo da opera, levantei da cadeira e escrevi este texto de pé! Porque meu lado foca se rende à boas conquistas!

#NadaImportaSemOFlamengo

FLAMENGO – ESTE NOME AINDA SE VENDE SOZINHO?

foto 1O esporte tem sido nos últimos anos uma fonte inesgotável de recursos e oportunidades em vários segmentos. Quando falamos de futebol, tudo toma maiores proporções, sobrepondo línguas, raça, credo, distâncias… e é neste conceito que os clubes precisam atuar para criar um novo mercado de negócios e oportunidades que tem tudo para ser rentável e eficiente. Tornou-se imperioso quebrar o conceito que limita patrocínio, a exposição da marca em placas estáticas, campos ou camisas de clubes.

É necessário inserir no plano estratégico do Mengão, ações em que possamos associar uma determinada marca a detalhes de cada modalidade, usando a imagem dos atletas para criar uma identidade com o produto. É importante resgatar a imagem de ídolos. O atleta é um recurso fundamental na obtenção de resultados em ações de marketing. Ele é um material importante que deve ser trabalhado pelo clube e não por empresários. O marketing esportivo é um segmento em franco crescimento, não obstante os profissionais ainda não terem se reciclado de forma satisfatória para este novo mercado, onde planejamento e visão são fundamentais para explorar-lo e buscar parcerias de sucesso.

Uma das promessas da atual gestão seria a profissionalização de todos os setores da instituição Rubro Negra. Podemos perceber claramente que esta mudança está acontecendo, e que tem tudo para ser um clube bem sucedido em curto espaço de tempo. Mas ainda tem muito a melhorar. O nome Flamengo durante décadas se vendeu sozinho, mas o desgaste do nome também cresceu na mesma proporção. Atuar no resgate do valor da marca, é garantia de retorno financeiro e confiabilidade do mercado.

Quando queremos tratar da nossa saúde, procuramos especialistas e não um clínico geral. É assim que o mercado quer negociar com o Flamengo. Com especialistas que apresentem o quão lucrativo e rentável será associar sua marca ao clube.

As oportunidades, nas mãos de quem entende, e com o tamanho da “carteira de clientes/consumidores” (torcedores apaixonados), é garantia de receita certa. Basta botar em prática.

O COMBINADO NÃO SAI CARO

ImagemQuero expressar minha indignação com os jornalistas, blogueiros, oráculos e pseudo influentes, ao se dirigirem ao Fla x Flu de Domingo como um jogo que não valia nada ! Porra ! Um Fla x Flu sempre vale, nem que seja o prazer de esculachar a arcoirizada !

Fluminense orquestrado por Abel que não poupou o salto agulha e botou (uuui) em campo seus titulares crendo que seria uma pelada barata e fácil de levar. Do outro lado um Flamengo que não passa recibo e mostra que pode incomodar e garantir nossa falta de humildade.

Embalado pelo clima YMCA exalado pelos tricolores, o Flamengo se soltou em campo. Pudemos até acompanhar belas jogadas de Leo Moura, aquele que já não tem mais o apreço da torcida, para levar os corneteiros a loucura. O time jogava com uma sintonia digna de time que leva todas, o que não corresponde a nossas ultimas rodadas. Deu gosto de ver a leveza, a sincronicidade, os passes, a visão de jogo, e até mesmo as finalizações. Era goleada certa. Tudo ia bem no reino Rubro Negro, até que o bobo da corte resolveu dar o ar da graça: Jorginho, o Fanfarrão !

O técnico que não fala palavrão resolveu consertar o que não está quebrado, e colocou 3 laterais em campo… Substituições desnecessárias e sem motivo, dando espaço para os flores crescerem, ou melhor, não foram eles que cresceram, fomos nós que nos apequenamos. Ainda assim, levamos a melhor. Ganhar das moças é algo que transcende a razão !

A excelente performance do time poderia ter sido ontem o ponto alto para atuação do marketing, que teve todos os ingredientes para fazer e acontecer. Mas pelo que acompanhamos, deixou a desejar…

Boa sacada a premiação ao melhor da partida, salvo a falta de orientação aos jogadores sobre como valorizar este momento de evoluir a parceria. A postura inadequada do Gabriel ao dizer que venderia o prêmio, joga por terra todo o trabalho de divulgação e valorização do parceiro. E é neste momento onde fidelizamos a parceria. É na valorização da marca, através das nossas ações, que evoluímos e solidificamos a relação. A partir de uma postura inadequada (por falta de orientação) colocamos fim a uma ação que poderia se estender por mais alguns capítulos. Prospectar e fechar um patrocínio é o básico. É a manutenção e evolução desta parceria que vai definir o sucesso a ser obtido.

A impressão que tive nessa ativação, foi de falta de planejamento. Temos um patrocinador. Temos uma ação. Mas como vai funcionar? Qual a mecânica? Qual o retorno esperado? São estes detalhes que fazem toda diferença. Sinto que ainda trabalhamos muito mal nossa força, nossa marca, o peso que apenas a marca Flamengo já carrega por si só. Uma boa ativação de patrocínio é uma oportunidade de mostrar ao mercado o que podemos oferecer. Que não vendemos apenas um espaço na camisa. Não somos um álbum de figurinhas. Podemos fomentar nossa receita propondo ações de marketing diferenciadas que agreguem valor e visibilidade às duas partes.

No saldo final da rodada é de que temos sim dentro de casa um time capaz de trazer resultado, basta saber comandar. Assim como temos oportunidades de executar grandes trabalhos que reflitam em ganhos financeiros ao Flamengo, basta saber planejar !

Saudações Rubro Negras !

PC